Prêmio Nelson Mandela

O exemplo de uma das mais importantes personalidades mundiais inspira premiação de iniciativas comprometidas com os direitos da população negra e demais grupos étnico-raciais no município de São Paulo

A luta de Nelson Mandela em prol da promoção da igualdade racial contra a segregação imposta pelo então regime sul-africano e a data de sua libertação, após 27 anos de clausura, serviram de inspiração para a criação do Prêmio Nelson Mandela, prevista pela Lei Nº 16.829, de 6 de fevereiro de 2018. A premiação é realizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, por meio da sua Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, da Prefeitura de São Paulo.

O Prêmio Nelson Mandela destaca três iniciativas comprometidas com os direitos da população negra e dos demais grupos étnico-raciais no município de São Paulo, realizadas por associações, fundações, organizações não governamentais, núcleos religiosos ou artísticos, com atuação e sediados no município de São Paulo há mais de um ano.

As propostas inscritas são analisadas por uma comissão julgadora do Prêmio - composta por personalidades indicadas em listas tríplices pelas entidades vinculadas ao tema -, que irá selecionar as iniciativas inéditas em benefício da comunidade negra, povos indígenas e comunidades tradicionais da cidade de São Paulo. Os projetos devem ter sido desenvolvidos no período de até 4 anos antes da premiação.

 

Edição 2021 - Inscrições abertas até 30 de novembro
Acesse o edital
aqui

As organizações interessadas devem inscrever suas iniciativas pelo e-mail smdhccpir@prefeitura.sp.gov.br, citando como título “Proposta – Edital de Chamamento Público nº CPB/012/2021”. São vedadas as inscrições de iniciativas que já receberam prêmios desenvolvidos pela administração municipal. Este ano, a entrega do troféu aos projetos vencedores está prevista para o mês de novembro.

 

Edição 2020 - Confira os vencedores

Grêmio Recreativo Cultural Social Escola de Samba Unidos de Vila Maria
A Escola de Samba surgiu em 1950, a partir de um grupo de amigos que moravam na parte alta do distrito de Vila Maria e imediações, que se reuniam para brincar o carnaval pelas ruas do bairro. Atualmente, é uma escola de samba do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, sendo uma das agremiações mais tradicionais dos festejos paulistanos.
Há mais de 20 anos, a Escola de Samba possui um projeto social chamado "Vila Maria - Um Caso de Amor".
Referido projeto conta com a escolinha de futebol, cursos profissionalizantes, atendimentos de saúde e odontológico, o qual beneficia mais de 11 mil pessoas ao ano, dentre elas, a grande maioria é composta pela população negra.
Destacamos uma importante parceria realizada pela Escola de Samba, consistente no projeto “Sambando Com Saúde”, da Secretaria Municipal de Saúde da cidade de São Paulo, que tem como foco, a prevenção e os cuidados das doenças prevalentes da população negra.

APROFE – Associação Pró-Falcêmicos
É uma instituição sem fins lucrativos, com vinte e dois anos de existência, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos portadores da Doença Falciforme. Referida doença falciforme, é uma das enfermidades mais comuns entre a população negra e a instituição foi criada por portadores de Anemia Falciforme.
Desde a criação da instituição, a sua direção participa ativamente de debates, seminários, conferências, conselhos e grupos de estudos, para informar principalmente a população negra e alertar para os tratamentos existentes, a fim de melhorar a qualidade dos portadores, tendo em vista que essa doença não tem cura.
Na cidade de São Paulo, a APROFE é referência no assunto, por levar os seus conhecimentos aos pacientes falciformes, especialmente os que se encontram na periferia da Capital.
Destacamos também, várias ações realizadas pela instituição, principalmente no que diz respeito às iniquidades raciais em saúde bucal, onde o tratamento odontológico é uma medida preventiva muito importante aos pacientes que portam essa doença.

SIEMACO – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo
Com mais de 60 anos de existência, é uma entidade sindical, sem fins lucrativos, que representa todos os trabalhadores em empresas de asseio e conservação; higiene; limpeza pública urbana; prestação de serviços a terceiros de limpeza e conservação ambiental; limpeza de fossas e caixas d’água; manutenção predial; pintura, restauração e limpeza de fachadas; dedetização; lavagem de carpetes; coleta de lixo domiciliar, industrial, hospitalar, seletiva e de entulhos; serviços em destino final de lixo (usinas de reciclagem, compostagem, incineradores e aterros sanitários); varrição de vias públicas; serviços complementares de limpeza urbana; jardinagem e paisagismo; execução e manutenção de áreas verdes públicas e privadas (poda de árvores, capinação e limpeza de córregos, canais e sistemas de drenagens, pintura de postes e meio fio); prestação de serviços a terceiros de portaria, recepção, copa e administrativo das empresas dos segmentos acima descritos, na cidade de São Paulo.
De acordo com o perfil dos trabalhadores em Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo, lançado em 2012 pela entidade e elaborado pelo DIEESE, 73% se declaram negros (pretos e pardos).
A entidade através da sua direção tem inúmeros trabalhos sobre a promoção da igualdade racial no mercado de trabalho, bem como luta pela inclusão de cláusulas relativas à igualdade de gênero e raça em suas negociações coletivas de trabalho.