Coordenadoria de Agricultura

Sua principal função é implementar ações que atendam o desenvolvimento rural sustentável e a política de segurança alimentar e nutricional.

O corpo técnico é composto por engenheiros agrônomos, que fornecem assistência técnica aos agricultores, com o objetivo de promover a adoção de melhores técnicas e práticas de cultivo, levando em consideração aspectos ambientais, de saúde e econômicos.   

O serviço é descentralizado, com vistas a facilitar o acesso dos agricultores cadastrados, bem como a mobilidade dos técnicos. São duas casas de agricultura, uma na zona leste e outra na zona sul da cidade.


Além da assistência técnica e da orientação, estimula e cria espaços de comercialização dos produtos.

Sobre a Casa de Agricultura Ecológica

As atividades das Casas de Agricultura Ecológicas (CAEs), coordenadas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), contemplam diversos aspectos das política municipal de desenvolvimento rural sustentável, de segurança alimentar e nutricional e da política de geração de emprego e renda.

Técnicos, engenheiros (agrônomos e ambientais) e gestores ambientais que trabalham nas CAEs, localizadas em Parelheiros e no Parque do Carmo, oferecem assistência técnica e auxílio para a organização dos produtores, rodução, distribuição e comercialização dos produtos.

A CAE de Parelheiros conta com uma câmara fria para auxiliar os produtores no armazenamento dos alimentos, e também com uma estufa onde são realizadas capacitações praticas de cultivos em ambiente protegido e produção de mudas. Conta ainda com um viveiro onde são armazenadas mudas para serem utilizadas nas recuperação e adequações ambientais das propriedades rurais. Cerca de 5.500 mudas, produzidas pela Prefeitura de São Paulo, foram utilizadas nos últimos doze meses neste tipo de ação.

Na zona leste, com a expansão das hortas urbanas, geralmente localizadas sob as linhas de transmissão de energia (Eletropaulo), adutoras da Sabesp, além das áreas públicas cedidas pelas prefeituras regionais da região, a CAE do Parque do Carmo atende um produtor com perfil diferente, mais urbano do que rural, e também atua com o objetivo de dar assistência técnica para manejo do solo e cultivo de hortaliças, frutas, flores e plantas durante todo o processo produtivo.
Outras informações sobre as CAEs

É de responsabilidade da CAE a interlocução regional com as outras ações da prefeitura como melhorias de estradas e condições aos agricultores, articulação de feiras na região, eventos temáticos do desenvolvimento rural e os grupos do Programa Operação Trabalho Hortas e Viveiros da Comunidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), em Parelheiros.

A CAE também realiza o acompanhamento formal dos trabalhos das entidades que participam dos projetos do Fundo Especial do Meio Ambiente (FEMA) que promovem a agricultura e seu desenvolvimento, além da parceria com a Secretaria do Verde – com ações do Conselhos das Áreas de Proteção Ambiental (APA´s), e apoio as iniciativas do Polo Ecoturístico de Parelheiros com suas interfaces na agricultura.

O quadro técnico da CAE é composto por três engenheiros agrônomos e um gestor ambiental;

Apoio ao produtor rural

Segundo último levantamento realizado pela Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (COSAN) da SMTE, em 2010, estima-se que somente na região de Parelheiros existam aproximadamente 400 produtores rurais cadastrados.
Criada em 2011, com o apoio da CAE Parelheiros, a única cooperativa na região, Cooperativa Agroecológica dos Produtores Rurais e de Água Limpa da Região Sul de São Paulo (Cooperapas), reúne 30 produtores associados. Entre eles, existem os que já possuem certificados orgânicos e em fase de transição agroecológica (protocolados), e comercializam os seus produtos em venda direta para o consumidor ou em locais de distribuição.

“A organização em cooperativa é muito melhor para nós. Negociar preço individualmente é difícil e quando discutimos isso em conjunto temos condições de ganhar mais e pagar menos. A compra coletiva é uma grande vantagem”, avalia a presidente da Cooperapas, Valéria Maria Macoratti.

Hortas urbanas e geração de emprego e renda

As hortas urbanas do município, se caracterizam como pólos de desenvolvimento da política de segurança alimentar e nutricional, e oferecem uma possibilidade de complementação de renda a populações em vulnerabilidade social.

“Sabemos que houve uma melhora significativa dos padrões de vida, pois a renda gerada com a produção ajuda na manutenção das despesas das residências. Às vezes, a venda dos produtos cultivados na horta é a única fonte de renda das famílias”, disse a engenheira agrônoma da CAE Parque do Carmo Tatiana Soares.

A atenção à política agrícola do município, o fomento aos pequenos agricultores e o fortalecimento da segurança alimentar e nutricional, associada à geração de emprego e renda, vai de encontro às expectativas da atual administração.

Endereços das CAEs:

Casa de Agricultura Ecológica - Zona Sul
Avenida Sadamu Inoue, 5.252
Jardim dos Álamos - Parelheiros

Casa de Agricultura Ecológica - Zona Leste
Avenida Afonso de Sampaio e Sousa, 951
Casarão Parque do Carmo - Parque do Carmo