Circuito Municipal de Cultura: Programação de Agosto

Confira a programação completa

Adriano Martins

Linguagem: Música

O show “Ninguém é dono de ninguém” do cantor sertanejo Adriano Martins, propõe uma experiência empolgante, graças à interação com o público por meio de canções especialmente escolhidas com o intuito de alegrar e contagiar o público a partir da escuta musical. Seus elementos inspiradores passeiam por diversos gêneros da música regional sertaneja, dialogando com propriedade e independência entre o universo musical contemporâneo e tradicional. Seu repertório apresenta canções exclusivas e experimenta novas estéticas para canções já consagradas. O show conta com um time de músicos promissores da nova geração paulista e seu repertório foi arranjado para violão, contrabaixo, guitarra, bateria, teclado e percussão. Com isso, o artista promete levar todo o público a cantar e dançar o tempo inteiro.

| Casa de Cultura Ipiranga. Quarta-feira: 03/08, às 16h.

| Casa de Cultura Manoel Mendonça/Santo Amaro. Sexta-feira: 12/08, às 19h30.

| Museu Casa do Bandeirante. Sábado: 27/08, às 13h.

 

Elo

Linguagem: Dança

Eu que somado ao outro, crio o entendimento de nós: desatados, desacorrentados, mas unidos pelo brincar, pelo mover, pelo afeto. ELO configura-se como uma proposição poética para espaços alternativos que dialogam corpo, arquitetura e público em busca de outro olhar para a cidade, habitando o invisível. Qual a urgência deste corpo hoje? Contra a pulsão de morte, só o atrito gera empatia e alteridade. Um exercício para tornar visível uma perspectiva da cidade pelo encontro com o outro. Corpos em desvios poéticos que buscam a anarquia dos afetos. Um pulsar pela empatia. É o sorriso como convite e o corpo como morada do outro. O que sensibiliza? Como você exercita a empatia? Tocar foi, ainda é, e para sempre será, a verdadeira revolução. Nem ele, nem ela. ELO.

| Centro de Referência da Dança. Sexta: 05/08, às 15h.
 

Traços e Traçados Urbanos

Linguagem: Dança, teatro.

O espetáculo Traçados e Traços Urbanos através da diversidade de seu elenco de bailarinos e músicos mostra jornadas da imobilidade, mobilidade parcial a mobilidade, a igualdade de papéis e suas relações entre si e com o espaço. Todos vão aos poucos entrando nas movimentações e coreografias, cada qual com suas características e individualidades, mas todos juntos interagindo e desenhando o espaço. O espetáculo apresenta cenas lúdicas, intrigantes envolvendo os bailarinos e o público que no final é convidado a entrar na ação, na dança, na brincadeira criando um espaço colorido e diverso.

| Centro Cultural Galeria Olido. Sexta-feira: 05/08, às 19h.

| Centro Cultural Galeria Olido. Sábado: 06/08, às 18h.

| Teatro Flávio Império. Domingo: 07/08, às 19h.

 

Congos Congadas e Reinados de Pretos

Linguagem: Música

A Congada de Santa Ifigênia de Mogi das Cruzes, em seus 80 anos de existência conta com uma vasta participação em diversos festivais e encontros de cultura popular. Eventos da Prefeitura de São Paulo, de Mogi das Cruzes e de diversos outros no Estado de São Paulo, Estado de Minas Gerais e Estado do Rio de Janeiro. Citando alguns: Encontro de Congos e Moçambiques de Atibaia, Festa de São Benedito de Aparecida do Norte, Festival de Cultura Paulista Tradicional-Revelando São Paulo, Festas e Encontros do Divino Espírito Santo entre diversos outros. Além de participações em apresentações, a Congada tem uma forte importância para a valorização da cultura popular, do movimento negro, e da resistência e luta da etnia.

| Casa de Cultura Ipiranga. Sábado: 06/08, às 15h.

 

Palavra Andarilha

Linguagem: Música

Dois viajantes, um bandolim encantado e um mamulengo ciclista cantador de prosa e poesia. Este é o cenário em que as palavras brincam e saltitam nas cantigas, trava-línguas, parlendas e desbravadoras adivinhas. Um singelo cortejo que passeia pela cultura popular e da infância e aguça o sabor da memória afetiva.

| Centro Cultural Santo Amaro. Sábado: 06/08, às 15h.

| Centro Cultural Grajaú. Sábado: 20/08, às 16h.

 

Riobaldo

Linguagem: Teatro, Música, Circo

O ator Gilson de Barros, apresenta seu espetáculo Riobaldo, no Circuito Municipal de Cultura. Personagem central do romance Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, o ex-jagunço Riobaldo relembra seus três grandes amores: Diadorim, Nhorinhá e Otacília. O incompreendido amor homossexual por Diadorim, o amigo que lhe apresentou a vida de jagunço e lhe abriu as portas do conhecimento da natureza e do humano, levando-o ao pacto fáustico; o amor carnal e sem julgamentos pela prostituta Nhorinhá; e o amor purificador por Otacília, a esposa, que o resgatou do pacto fáustico e o converteu num ‘homem de bem’.

| Casa de Cultura Butantã. Sábado: 06/08, às 16h.

| Casa de Cultura Júlio Guerra/Largo Treze. Sábado: 13/08, às 16h.

| Centro Cultural Penha. Domingo: 14/08, às 19h.

| Centro Cultural da Juventude. Sábado: 20/08, às 19h.

 

Festa Ralachão

Linguagem: Música

A Festa Ralachão surgiu em 2017 com os produtores Rafa Duarte, Paula Mendes e Camis Rivereto, com a proposta de levar a cultura preta e periférica para o centro de São Paulo. Visando unir e reunir os mais diversos tipos de pessoas, a festa enfatiza estilos de músicas populares entre a comunidade preta, além de apoiar e introduzir produtores, djs e marcas desse meio. Com mais de 15 edições já realizadas, a Ralachão já passou por endereços populares do centro de SP como Bar Quenga Paulista na Rua Treze de Maio, Morfeus Club na Santa Cecília, Bar Cork no Vale do Anhangabaú e Espaço Nobre na República. Mais de 10 mil pessoas já passaram pelas nossas pistas e o rápido crescimento, assim como o sucesso da festa com o público, é o nosso maior termômetro para continuarmos levando a proposta da Ralachão cada vez mais longe.

| Casa de Cultura São Rafael. Sábado: 06/08, das 17h às 19h.

 

Eliana Pittman - Do Samba ao Carimbó

Linguagem: Música

Grande personagem da música brasileira, a versátil Eliana Pittman apresenta um novo show reunindo samba e carimbó, dois dos mais genuínos ritmos brasileiros, ambos gravados e difundidos por ela desde os anos 60. Com direção musical do violonista Joan Barros e do percussionista Michel Machado, o repertório apresenta clássicos de Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Candeia, Cartola, além dos carimbós de Pinduca que ficaram famosos na sua voz nos anos 70. No final do show, uma seleção de carnaval com marchinhas e sambas enredo da Portela, sua escola do coração, completam o roteiro.

| Casa de Cultura São Miguel Paulista. Sábado: 06/08, às 18h.

| Casa de Cultura Júlio Guerra/Largo Treze. Sexta-feira: 19/08, às 19h30.

 

Floresta Viva

Linguagem: Teatro Infantil

O espetáculo é uma fábula sobre a importância de cuidarmos das florestas do país. Uma abelha, conhece uma esperta formiga e as duas viram amigas inesperáveis, até que um dia, a abelha percebe que a floresta está em chamas e convoca sua amiga formiga para que juntas possam salvar as árvores e os animais do incêndio, causado por um homem ganancioso e malvado.

| Teatro Flávio Império. Sábado: 06/08, às 19h.

| Centro Cultural Santo Amaro. Domingo: 07/08, às 15h.

| Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Domingo: 14/08, às 15h.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Domingo: 21/08, às 15h.

| Casa de Cultura São Rafael. Domingo: 28/08, às 16h.

 

Vitor Federado

Linguagem: Música

Criado desde cedo entre as principais rodas de samba da capital paulista, Vitor Federado tem em sua essência referências de diferentes estilos musicais. Com apenas 13 anos de idade, passou a integrar oficialmente a bateria da Escola de Samba Vai-Vai como ritmista. Foi a partir dali que seu gosto pela música começou a aflorar e o desejo pela composição se tornou mais evidente. Sua maior inspiração sempre foi seu tio, o músico Guto Bocão, percussionista do Racionais MCs e um dos diretores de bateria da Vai-Vai. Como percussionista, Vitor já tocou com nomes como o maestro João Carlos Martins e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, além de ser o mais novo a cantar no Cacique de Ramos, um dos blocos de carnaval mais conhecidos e tradicionais do Rio de Janeiro. Atualmente, segue como intérprete da Ala Show da Vai Vai e trabalha em sua carreira de músico e ator. Há cinco anos se dedicando à sua carreira autoral, Vitor já tem trabalhos lançados como o EP Vitor Federado, Volume 1 e os singles Tão Linda, Dog e o mais recente, Bloquinho. Ator por formação, Vitor participou da série brasileira produzida pela TV Cultura, Pedro & Bianca, que foi premiada pelo Emmy Kids Awards em Nova York. Além disso, também teve participações pontuais em novelas da Rede Globo. O artista transmite em sua carreira musical a sua vocação nas artes cênicas. “A música é meu refúgio de atuação, eu faço dela a minha trama, o meu drama. Eu coloco nela histórias que eu vejo, que eu passei. Tive que fazer das minhas canções a minha televisão, o meu próprio teatro”, finaliza.

| Centro Cultural da Juventude. Sábado: 06/08, às 19h.

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. Domingo: 07/08, às 19h.

| Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Sábado: 13/08, às 20h.

| Casa de Cultura São Rafael. Domingo: 21/08, às 18h.

 

Cris SNJ

Linguagem: Música

Cris SNJ Aka Cris Negona atua há 23 anos no Rap Nacional e é nascida na Zona Sul de São Paulo, que soma em seus trabalhos como clássicos "Pensamentos" , "Se Tu Lutas Tu Conquistas" do SNJ tem seu solo "Evoluindo Através dos Tempos" trazendo mais da sua essência.

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. Sábado: 06/08, às 19h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 21/08, às 19h.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. Domingo: 28/08, às 17h.

 

Mel

Linguagem: Música

Mel Gonçalves fez parte da Banda Uó ao lado de Mateus Carrilho e Davi Sabbag. O grupo se posicionou como uma grande novidade na cena independente brasileira, além de ser a primeira banda a ter uma mulher trans à frente. Em 2018 a Banda Uó se encerra e Mel busca experimentos solos, lançando dois trabalhos audiovisuais poéticos, parcerias com Romero FERRO e Patricktor4, uma faixa autoral e duas releituras das músicas Mutante (Rita Lee) E Emoriô (Gilberto Gil e João Donato). Foi colunista da revista Quem, e apresentadora do Estação Plural, primeiro programa LGBT em rede aberta (TV Brasil). Também apresentou uma série de conteúdos no MEL. TV, seu canal na plataforma Twitch.TV.

| Casa de Cultura São Rafael. Sábado: 06/08, às 20h.

 

Movidinha Circo

Linguagem: Circo

Alô pessoal, o circo chegou! Com muitas brincadeiras, cantigas e cantorias, em um cenário aconchegante e confortável para o público, espetáculos de circo e música compõem a programação, intercalados com artistas recreadoras fazendo esculturas de balões, brincadeiras com corda e jogos lúdicos. E nessa atmosfera, grandes brinquedos de madeira desafiam o público a se tornar malabaristas por um dia!

| Casa de Cultura Raul Seixas. Domingo: 07/08, às 11h.

| Casa de Cultura São Rafael. Domingo: 21/08, às 14h.

| Museu Casa do Sertanista. Sábado: 27/08, das 11h às 15h.

 

Baile Black Bom

Linguagem: Música

O Baile Black Bom é uma homenagem à música negra mundial e nacional. Uma viagem no tempo com releituras dos maiores clássicos do gênero, num baile dançante que traz em seu repertório grandes nomes da Black Music mundial e nacional como Michael Jackson, Tim Maia, Bruno Mars, Lauryn Hill, Snoop Dog, Sabotage entre outros, executados AO VIVO pela banda Consciência Tranquila - coletivo formado por cantores, rappers, músicos e Dj. Uma imersão no universo da cultura negra contemporânea com seus ritmos, cores e corporeidade. Completam a programação, o melhor do charme e hip hop com a discotecagem do DJ Flash.

| Casa de Cultura São Miguel Paulista. Domingo: 07/08, às 15h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 28/08, às 19h.

 

Catappum!

Linguagem: Circo

Numa manhã cinzenta, um barulho ensurdecedor faz com que todos os habitantes de uma cidade “imaginária” caiam num sono profundo, CATAPPUM! No meio do emaranhado de corpos, Shortz e Calarças são os únicos sobreviventes acordados. Os atrapalhados palhaços se envolvem no grande mistério de descobrir quem é o responsável por fazer toda a cidade cair num sono profundo. Nesta busca eles se deparam com a falta de comunicação e o medo permanente de “dormir” a qualquer momento. O espetáculo traz a estética preta para o picadeiro dos palhaços, com música ao vivo, bonecos e jogos com a plateia.

| Casa de Cultura Butantã. Domingo: 07/08, às 15h.

| Casa de Cultura Raul Seixas. Sábado: 20/08, às 11h.

| Casa de Cultura Guaianases. Sábado: 27/08, às 15h.

| Centro Cultural Vila Itororó. Domingo: 27/08, às 17h.

 

Da Razão do Vermelho

Linguagem: Dança

Baseado no livro “Uma Vida Positiva” o espetáculo "Da Razão do Vermelho" questiona a aceitação de limites, de sua própria condição de doente crônico, a aceitação do outro e a visão da sociedade com todas as suas regras; adaptar-se, expor-se ou esconder-se? O corpo é quem fala sobre os seus anseios e cicatrizes. Três bailarinos/intérpretes encaram o desafio de transformar textos em movimentos. Palavras, sons e silêncios dão ritmo a este espetáculo de muita sensibilidade. Após a apresentação será exibido o curta "DIA 1" e um bate-papo com Rafael Bolacha.

| Centro Cultural Galeria Olido. Domingo: 07/08, às 16h.

| Centro Cultural da Diversidade. Sábado: 13/08, às 19h.

 

Cosmoceânica

Linguagem: Música, teatro, circo e dança.

A Cosmoceânica é uma banda cênica com obras artísticas voltadas principalmente para a primeira infância. Porém, sabemos também que, de maneira lúdica e divertida, nossas obras são para toda a família e todes, pois uma criança não se desenvolve sozinha. É por meio da interação, desse diálogo da criança com os adultos que a fruição com a arte acontece e descobrimos o mundo.

| Casa de Cultura São Rafael. Domingo: 07/08, às 16h.

| Centro Cultural Penha. Sábado: 13/08, às 16h.

| Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes. Domingo: 14/08, às 19h.

 

Abrazo Giraffa

Linguagem: Circo

O Abrazo Girafa é um espetáculo solo, de rua e para toda família. Malabarismo com piões acrobáticos, acompanham o grande desafio que dá nome ao espetáculo. O clássico número de equilibrismo com um monociclo girafa, que neste caso, mede mais de 2 metros. Subir nas alturas, equilibrar uma bola de cristal no topo da cabeça e malabarear com três facões, é o desafio. Acreditar no impossível, se torna necessário para abraçar a sua criança interior.

| Casa de Cultura Tremembé. Quinta-feira: 11/08, às 20h.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Domingo: 28/08, às 15h.

 

História de Amor

Linguagem: Teatro

O espetáculo propõe um encontro entre três corpos/as pertencentes a um universo em comum (LGBTQIAP+). Na cena, dois homens cisgêneros, um branco (o Primeiro Homem) e um preto (o Segundo Homem), dividem o palco (e uma história de amor) com uma pessoa de gênero não binário, identificada como A Mulher. No texto, as palavras dançam, se esquivam, se contradizem, pregam peças. Como o intrincado jogo dramatúrgico proposto por Lagarce há 30 anos reverbera nesses/as corpos/as?

| Museu Chácara Lane. Sexta-feira: 12/08, às 15h.

| Museu Solar da Marquesa. Sábado: 13/08, às 13h.

| Centro Cultural da Diversidade. Domingo: 14/08, às 18h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sábado: 20/08, às 21h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Domingo: 21/08, às 19h.

| Teatro Arthur Azevedo. Sábado: 27/08, às 21h.

| Teatro Arthur Azevedo. Domingo: 28/08, às 19h.

 

Rastrum

Linguagem: Música, Dança, Teatro

Do latim “Rastrum”. Vestígio; pegada ou sinal deixado ao caminhar. Qualquer sinal que fica quando algo passa; o que dá pistas do aparecimento... KD. Em “Rastrum” queremos revelar o percurso de nossas escolhas. Um mergulho que se expande, amplia e transmuta o corpo e a forma. Comemorando os 16 anos da KD Cia de Dança convidamos o público a revisitar suas histórias através da nossa e também fazer presente a beleza do hoje, desse encontro que viemos celebrar e dançar. Quais são suas resistências, pretensões, dificuldades, limites, paradoxos? Existe um fim? Talvez um dia alguém fique...

| Museu Casa Modernista. Sexta-feira: 12/08, às 16h30.

 

Marabu

Linguagem: Música

É do funk da baixada ao samba de Jorge Ben, no berço da efervescência cultural e musical da zona sul de São Paulo, que nasce Marabu: aquele que compartilha histórias. Nascido e criado no Jd. Angela, o Mc passou a materializar seu primeiro trabalho na música em 2018, através das faixas "Negócios" e "Boa Sorte" - ambas com produção musical de Levi Keniata e hoje integra a Nebulosa Selo. Marabu também atua como curador, pesquisador, articulador cultural e educador com foco nas manifestações culturais afrodiásporicas; Aos 25 anos, o Mc tem uma identidade musical rica em melodias e marcada por operações artísticas comuns aos terreiros e bailes de rua, essas características ganham maior destaque em seu disco de estreia. Em 2020 Marabu debutou com seu primeiro álbum, intitulado “FUNDAMENTO”, uma realização da Nebulosa Selo, com produção de Levi Keniata".

| Centro de Culturas Negras. Sexta-feira: 12/08, às 20h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 28/08, às 16h.

 

Amar, Verbo Intransitivo

Linguagem: teatro

Escrito em 1927 é considerado o primeiro romance do escritor modernista Mário de Andrade (1893-1945), Amar, Verbo Intransitivo ganha uma adaptação teatral com dramaturgia de Luciana Carnieli e direção de Dagoberto Feliz. A trama narra a história da governanta Fräulein Elza, que é contratada por uma família tradicional paulista nos anos de 1920 para fazer a iniciação amorosa e sexual de Carlos (vivido por Pedro Daher), o primogênito herdeiro. A partir desse encontro, os personagens vivem uma relação amorosa, revelando críticas sociais e comportamentais. Leitor da alma feminina, Mário de Andrade constrói uma protagonista que se destaca por sua multiplicidade. A governanta, professora de línguas, de piano e de amor deixa a terra onde nasceu, a Alemanha, e torna-se sujeito de seu próprio destino em território brasileiro. Uma prostituta alemã inserida na sociedade aristocrática de disfarces. A protagonista, apesar de estar colocada no contexto histórico do início do século XX, é ideal para discutir o constante papel de subordinação da mulher na sociedade burguesa e patriarcal.A encenação tem como foco central o jogo cênico entre os dois atores, que narram a história e simultaneamente interpretam os personagens. Assim, a linguagem cênica se alterna entre narração e dramatização. A ação transcorre em um cenário que simula um estúdio cinematográfico. As partes dramatizadas acontecem como se estivessem sendo filmadas, acrescentando mais um degrau à história e à linguagem do espetáculo. Literatura, teatro e cinema se intercalam nessa transposição do romance para o palco.

| Teatro Paulo Eiró. Sexta-feira: 12/08, às 21h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sexta-feira: 19/08, às 21h.

| Teatro Arthur Azevedo. Sexta-feira: 26/08, às 21h.

 

A Espetacular Volta ao Mundo

Linguagem: Teatro

A Espetacular Volta ao Mundo. Com muita diversão, dois palhaços charlatões, através de muita confusão e brincadeiras, tentam convencer o público que deram a volta ao mundo. Nestas viagens trouxeram personalidades incríveis vindas de terras distantes com habilidades inimagináveis como: telepatia, tiro ao alvo, adestramento de fera e acrobacia.

| Museu Chácara Lane. Sábado: 13/08, às 11h.

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Quarta: 17/08, às 16h.

| Centro Cultural Grajaú. Domingo: 21/08, às 16h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sexta-feira: 26/08, às 17h.

| Casa de Cultura Guaianases. Domingo: 28/08, às 17h.

 

Samba Rock no Asfalto

Linguagem: Dança

O espetáculo Samba Rock no Asfalto, conta a trajetória de um estilo de dança muito popular na década de 1960, que teve início nos bailes da periferia de São Paulo. O grupo busca interagir e estimular o público presente, transformando o espetáculo num verdadeiro baile de samba rock.

| Casa de Cultura Brasilândia. Sábado: 13/08, às 17h.

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Sábado: 27/08, às 20h.

 

O Jardineiro da Lua

Linguagem: Teatro

Seu Antônio narra a todos sua aventura de quando se tornou JARDINEIRO DA LUA aos 6 anos. Nesta história descobriremos que a Lua é repleta de flores luminosas, que precisam ser regadas por seu guardião do planeta Terra para manter sua luminosidade. Nesta aventura, o público viajará com o pequeno Toninho e seus amigos na descoberta de sua tarefa. Em 2022, o espetáculo completou 8 anos de apresentações ininterruptas.

| Teatro Paulo Eiró. Sábado: 13/08, às 16h.

| Teatro Paulo Eiró. Domingo: 14/08, às 16h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sábado: 20/08, às 16h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Domingo: 21/08, às 16h.

| Teatro Arthur Azevedo. Sábado: 27/08, às 16h.

| Teatro Arthur Azevedo. Domingo: 28/08, às 16h.

 

Les Girls - Uma Diva Perto de Você

Linguagem: Teatro, Música

LES GIRLS – UMA DIVA PERTO DE VOCÊ é um espetáculo musical a partir do show musical Les Girls – O Musical, idealizado por Paula Sabbatini em 2018. Em 2019 as apresentações começaram a ocorrer em outro formato com o nome de Les Girls: Uma Diva Perto de Você. Em 2021, a artista e produtora cultural Gabrielle Araújo, da Caboclas Produções, entra para somar na Direção de Produção do projeto e convida o ator e diretor Rodolfo Lima com o intuito de trazer para o palco a teatralização de histórias das três artistas. Com o convite, Rodolfo Lima volta a emergir novamente no universo das singularidades de mulheres trans e assim dar continuidade ao trabalho iniciado em 2019, ao investigar o universo T, com o espetáculo Entrega para Jezebel, do Núcleo Teatro do Indivíduo, também com três mulheres trans no elenco.

| Teatro Paulo Eiró. Sábado: 13/08, às 21h.

| Teatro Paulo Eiró. Domingo: 14/08, às 19h.

 

Os Boêmios de Adoniran

Linguagem: Teatro, Música, Dança

O musical Os Boêmios de Adoniran trata-se de um espetáculo que visa o resgate e a difusão da história do samba paulistano para o público em geral. Através das composições de Adoniran Barbosa e de uma história emocionante, jovens, adultos e idosos tem a oportunidade de conhecer um pouco mais da cidade de São Paulo. Com um elenco de grande talento e com uma qualidade musical de altíssimo nível, o espetáculo foi destaque nos principais e mais respeitados guias de cultura da cidade de São Paulo, se consagrando com sessões sempre lotadas e um grande sucesso de público e críticas. O musical também já viajou por diversas cidades do interior e do litoral paulista. Em seis anos de estrada, “Os Boêmios de Adoniran” conquistou alguns prêmios, tais como: Prêmio Bibi Ferreira na categoria Melhor Espetáculo no voto Popular (2012/2013), Prêmio de Melhor Espetáculo no Festival de Teatro de São Paulo 2011 e Prêmio de Melhor Projeto Sonoro pela Cooperativa Paulista de Teatro 2010.

| Casa de Cultura Manoel Mendonça/Santo Amaro. Domingo: 14/08, às 16h.

 

Zezé Motta

Linguagem: Música

Zezé Motta é a rainha negra do Brasil. A mulher da pele preta que enfrentou a ditadura desse país livre e nua. É uma atriz de dar orgulho. Mas tem uma coisa que Zezé Motta faz ainda melhor: cantar. E é com seu canto de luta e resistência que ela soube ao palco para interpretar canções que foram gravadas por ela nestes mais de 50 anos de carreira na música. Sua voz poderosa ecoa na história da música brasileira há muito tempo, desde os antigos anos setenta, quando Zezé gravou seu primeiro disco solo em que compositores do porte de Rita Lee e Moraes Moreira entregaram canções inéditas para ela gravar. Além disso, sua voz imortalizou clássicos como Trocando em Miúdos de Chico Buarque e Francis Hime e Pecado Original de Caetano Veloso que nunca mais foram as mesmas depois de sua interpretação. O espetáculo “Atendendo a Pedidos” além de uma releitura musical da carreira de Zezé na música popular brasileira, apresenta ao público a atriz e cantora que se transformou em sensação mundial ao estrelar o filme Xica da Silva, do diretor Cacá Diegues, que projetou o cinema brasileiro em mais de 16 países.

| Centro de Culturas Negras. Domingo: 14/08, às 19h.

| Casa de Cultura Tremembé. Quinta-feira: 18/08, às 20h.

| Casa de Cultura Campo Limpo. Sexta-feira: 19/08, às 11h.

 

Dançando os orixás, Cantando pro Santo

Linguagem: Dança

Com duração de 40 minutos, o espetáculo trabalha os mitos dos Orixás, através de todos os aspectos que compõem as manifestações populares da cultura afro-brasileira, como movimentação corporal, música e cantos de sabedoria popular e autoral. O elemento principal é a Dança Afro Brasileira, que coloca em diálogo movimentos inspirados nas danças dos orixás e entidades dos terreiros de candomblé e umbanda, com movimentos contemporâneos como o “passinho do funk”, a capoeira e o ballet contemporâneo. Tudo embalado ao som de um mix de cantos tradicionais, tambores, instrumentos de corda e poesia.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Sexta-feira: 19/08, às 20h.

 

Dançando os orixás, Cantando pro Santo

Linguagem: Música, Dança

Com duração de 40 minutos e composto por 6 dançarines e 4 músicos, o espetáculo navega entre poemas, gestualidades de expressão das simbologias das danças dos Orixás e cantos, em uma paisagem sonora que descola o público pelo imaginário da travessia diaspórica dos povos negros até o Brasil. A expressão da corporalidade contemporânea, ancorada no legado ancestral afrobrasileiro, é uma forma de honrar a ancestralidade enquanto origem e continuidade, gerando, assim, incessantemente o sentido da existência.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Sexta-feira: 19/08, às 20h.

 

Tássia Reis

Linguagem: Música

Trap, drill, vogue beat, house, disco, rock, samba e soul. É assim, sempre mostrando completa versatilidade e ousadia, que Tássia Reis entrega tudo em seu quarto registro de estúdio, Próspera D+’ – um formato deluxe que expande e dá sequência ao universo criado pela artista em 2019. “Por conta da pandemia, a Próspera Tour precisou ser interrompida depois de viajar alguns países e estados brasileiros, mas estávamos apenas começando essa movimentação. Foi um baque pensar que tinha acabado ali e teríamos que seguir em frente. Porém, fui surpreendida pelo pedido dos meus fãs: eles queriam que aquele trabalho tivesse uma sequência e fiquei feliz de saber disso, sobretudo por vivermos em um mundo muito imediatista. Foi aí que decidi divulgar versões novas de alguns sons, juntar com inéditas e outras faixas de Próspera que não pude trabalhar como gostaria. O resultado é esse álbum que vem com uma força, um impulso pra nos fazer sair da cama, tirar o pijama, afastar o sofá e dançar. Porque apesar de todos os momentos difíceis que passamos nesses últimos tempos, sobrevivemos. A vida é preciosa, precisamos celebrá-la, precisamos beijar mais, dançar mais, descansar mais, nos amar mais, o mundo já é tão difícil ... Eu quero ter motivos pra sonhar de novo e acho que essa estreia é um começo disso pra mim”.

| Casa de Cultura São Rafael. Sábado: 20/08, às 18h.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. Domingo: 21/08, às 17h.

| Casa de Cultura São Mateus. Domingo: 28/08, às 17h.

 

MC Danny

Linguagem: Música

"MC Danny, hein... Não confunda!". Entre os bordões que invadiram a música brasileira, poucos são tão bons para introduzir a artista por trás dele. É fácil confundir MC Danny de várias formas antes de conhecê-la melhor. Ela teve a 1a e a 3a músicas mais tocadas no Spotify no Brasil no réveillon ("Toma toma vapo vapo", com Zé Felipe, e "Ameaça", com Paulo Pires e Marcynho Sensação) - com isso, elas entraram até no top 30 global. Quem ouve de relance os forrós ousados pode ficar confuso sem saber que: A nova voz da pisadinha é uma funkeira paulista. Ela tentava emplacar em SP há 10 anos, até virar queridinha do forró. As letras são cheias de ousadias e quicadas. Mas Danny se formou no funk "consciente", sobre a realidade difícil das favelas. Nas músicas, ela deixa homens doidos com relações sem sentimento. Na real, Danny vive tranquila com sua namorada. Todo mundo está atrás da voz imponente, do ritmo e da liberdade feminina da artista que antes era ignorada. Ela fechou 'feats' com Barões da Pisadinha e João Gomes, e sua equipe conversa com a de Anitta. Mas ela não quer se prender a uma fórmula - no funk nem na pisadinha.

| Casa de Cultura São Rafael. Sábado: 20/08, às 20h.

 

Cigarras ao Sol

Linguagem: Música, Circo, Teatro, Dança

Acreditamos que as relações são sobre o quanto de verdade você está disposto a entregar para outra pessoa e para si mesmo. O quanto de verdade que existe na sua entrega e o quanto de verdade você está disposto a depositar no colo de outrem. Se você consegue despejar sua verdade sobre aquilo que você é; se você consegue se desesperar com a falta de honestidade dos discursos superficiais e se consegue, em meio à ditadura da frieza, reciclar a beleza da coragem em ir dizendo cada terremoto que tem se passado aí dentro do seu peito. Você tem sido e tem dito a verdade?

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Sábado: 20/08, às 20h.

| Casa de Cultura Brasilândia. Sábado: 27/08, às 19h.

 

Bora Brincar

Linguagem: Música, dança, teatro

O espetáculo “Bora Brincar” foi concebido para mostrar ao público o festejar da cultura popular brasileira, trazendo a trupé - a bagunça, a brincadeira – adentrando às danças brasileiras. A cia. busca envolver o público abrindo espaço para a brincadeira, com a sonoridade, as danças, os gestos, fazem uma imersão nas raízes populares, em especial, do norte e nordeste do país, trabalhando os ritmos do Carimbó, Ciranda e Coco.

| Casa de Cultura M'Boi Mirim. Domingo: 21/08, às 20h.

 

DJ Faul

Linguagem: Música

Cria da zona leste de São Paulo, DJ Faul é um dos grandes representantes da nova geração, indicado ao prêmio Sabotage da Câmara de São Paulo, tem quase 10 anos de carreira, e experiência com shows em grandes festivais pelo brasil como Cena 2k22 (São Paulo) e Queremos! (Rio de Janeiro), discotecagem em lugares de grande importância para a musica do brasil como Sambódromo do Anhembi (SP), Circo Voador (RJ), e Ópera de Arame (CWB). Iniciou nas Batalhas de MC, apresentou um projeto com artistas nacionais e internacionais como Talib Kweli e Drik Barbosa, e desde 2015 trabalha com a artista do selo Laboratório Fantasma. Já dividiu palco com grandes personalidades dessa geração como Emicida, Tássia Reis e DJ KL Jay, já se apresentou no programa Manos e Minas da TV Cultura e também Experimente do Canal Bis, além disso tem sua própria festa chamada VIBE onde apresenta o melhor da sua pesquisa musical.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. Domingo: 21/08, às 16h.

| Casa de Cultura São Mateus. Domingo: 28/08, às 16h.

 

Elas entre Elas

Linguagem: música, dança, teatro, sarau

Elas entre Elas, se trata de intervenção artística especialmente criada pela renomada diretora Eliana Monteiro do Teatro da Vertigem. Elas entre Elas não se trata de uma simples apresentação teatral, mas sim de uma grande intervenção gerando um lugar de experiência no público presente. Para realizar essa grande intervenção, Eliana Monteiro do Teatro da Vertigem convidou as artistas performers para compor o seu elenco, sendo elas: Dione Carlos, Tenca Silva, Elisete Jeremias, Aline Santini, Gabriela Gonçalves, Lucienne Guedes, Mawusi Tulani, Jéssica Nascimento, Bruna Menezes, Claudia Schapira. O projeto tem como foco a invisibilidade das mulheres nas artes, principalmente em setores técnicos, resultado de uma estrutura social patriarcal e em muitos casos a predominância masculina em alguns setores. A Intervenção é composta por uma série de ações. Durante a semana teremos a intervenção cenográfica que acontecerá durante 6 dias no equipamento cultural, a intervenção cenográfica traz elementos das peças e da trajetória de Eliana Monteiro e outras artistas. Além disso a intervenção contará com outras ações,como: Performance audiovisual onde uma convidada falará sobre suas vivências na arte, também acontecerá um encontro aberto ao público numa performance narrativa onde podemos ouvir e falar sobre histórias e trajetórias nas artes. Teremos duas vivências abertas ao público com focos diferentes, uma vivência será dramatúrgica com o foco na escrita automática dentro da arte e como o corpo que participa se escreve e se insere nesse universo e a outra vivência será performática levando pra cena as palavras ditas em um papel, levando o corpo como resultado do jogo, gerando troca, gerando fala. E para finalizar a intervenção teremos uma intervenção performática que será apresentada para o público presente trazendo elementos de tudo que aconteceu durante a cena, trazendo para elas a voz que um dia foi amputada, silenciada, a performance será aberta ao público para que o mesmo possa participar, para que sejamos arte coral, arte que ecoa.

| Museu Solar da Marquesa. 23 a 28/08.

 

A Bailarina e o Palhaço

Linguagem: Circo

Hoje a Cia Suno tem dezesseis espetáculos em seu repertório. Há desde o lúdico "A Bailarina e o Palhaço", conta uma linda história de amor entre esses tradicionais personagens do universo infantil; como o dinâmico "Estripulias no Circo", que apresenta a história da criação do circo em ordem cronológica, passando pelo circo de cavalaria inglês, circo chinês, russo, até a linhagem mais moderna e inusitada.

| Museu Chácara Lane. Sexta-feira: 26/08, às 15h.

 

Dança de Atake - homenagem às rodas sagradas

Linguagem: música, dança, teatro, sarau

Dança e performances afro referenciadas. O grupo surge a partir de uma turma orientada pelo bailarino e professor Felipe Cirilo, pelo Programa Vocacional Dança, em 2017, e se configura como grupo em 2018. Além da dança, o grupo organiza eventos que discutem masculinidades, psicologia e autocuidado. Atualmente organiza as aulas "Povo Preto e Cidade".

| Museu Solar da Marquesa. Sexta-feira: 26/08, às 16h.

 

Baile do Batuca

Linguagem: Música

O Projeto Baile do Batuca existe desde 2015, um projeto que unificou a cultura do samba com o Hip Hop e trouxe toda bagagem artística de carreira do Gerson Batuca. Começou no Centro Cultural Olido, mas passou pelo Centro Cultural Vila Nova Cachoeirinha, Tropical Butantã, Carioca Club, A Gold Campo Limpo, Espaço Faria Lima e no Festival Baile do Carmo em Araraquara.

| Casa de Cultura Campo Limpo. Sexta-feira: 26/08, às 19h.

| Casa de Cultura M'Boi Mirim. Domingo: 28/08, às 20h.