Circuito Municipal de Cultura: Programação de Outubro

Confira a programação completa

A Valsa de Lili

Linguagem: Teatro

Público: Adulto

Lili é uma pessoa extraordinária, uma mulher com questões iguais às de qualquer outro ser humano: o amor, os limites sociais e físicos e a luta pela sobrevivência. A única coisa que a distingue é que só consegue mexer os músculos do pescoço e da cabeça. Neste espetáculo, narra a aventura de viver plenamente em meio a estas adversidades.

| Teatro Paulo Eiró. Domingo: 02/10 às 19h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sexta: 14/10 às 21h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sábado: 15/10 às 21h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Domingo: 16/10 às 19h.

 

O Amigo Fiel

Linguagem: Teatro

O AMIGO FIEL baseia-se no conto homônimo de Oscar Wilde. Por meio do Teatro de Sombras e bonecos construídos com galhos de árvores, o espetáculo propõe uma reflexão profunda sobre o cinismo, a tolerância, o individualismo e a amizade. Em um jardim abandonado, amigos falam sobre a vida, sobre como cuidar de uma planta para que ela possa dar frutos.

| Teatro, Paulo Eiró. Domingo: 02/10 às 16h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Sábado: 15/10 às 16h.

| Teatro Alfredo Mesquita. Domingo: 16/10 às 16h.

 

A Bailarina e o Palhaço

Linguagem: Circo

Público: Infantil

Hoje a Cia Suno tem dezesseis espetáculos em seu repertório. Há desde o lúdico "A Bailarina e o Palhaço", conta uma linda história de amor entre esses tradicionais personagens do universo infantil; como o dinâmico "Estripulias no Circo", que apresenta a história da criação do circo em ordem cronológica, passando pelo circo de cavalaria inglês, circo chinês, russo, até a linhagem mais moderna e inusitada.

| Casa de Cultura Brasilândia. Domingo: 09/10 às 15h.

 

Riso

Linguagem: Dança

Público: Jovens, adultos

Cinco pessoas habitam e povoam o espaço construindo percursos e cruzamentos, criando situações onde risos e movimentos constroem uma dramaturgia única. Os sons dos risos partituram a encenação e revelam camadas e situações a partir de diferentes “tipos” de riso: o riso-choro, o riso-explosivo, o riso-mudo, o riso-perverso, o riso-engraçado, o riso-equivocado, o riso-histriônico citando alguns. O transbordamento do riso no corpo ou do corpo em riso.Os corpos, o riso, a dança, e o humor, encontrando nuances variadas se afirma também como movimento de resistência - existência. “A graça emerge de uma fonte inesgotável e o riso é a última das dádivas.

| Casa de Cultura Brasilândia. Sábado: 22/10 às 19h.

 

Rei na Rua

Linguagem: Teatro

'Rei na Rua' é um espetáculo de teatro de rua, que utiliza também elementos da linguagem do circo e da narrativa de histórias e reconta o clássico texto 'A Roupa Nova do Rei' de Hans Christian Andersen, onde um Rei que abusa de seu poder para garantir a manutenção da sua luxúria e a ignorância de seu povo é desnudado em praça pública por artistas de rua.

| Casa de Cultura São Miguel Paulista. Sábado: 01/10 às 18h.

| Casa de Cultura Butantã. Sábado: 08/10 às 16h.

| Casa de Cultura São Rafael. Quarta: 12/10 às 10h.

| Casa de Cultura Guaianases. Sábado: 29/10 às 15h.

 

Mato Seco

Linguagem: Música

Público: Adultos

O Mato é um dos grandes destaques no cenário do reggae brasileiro, formada por: Rodrigo Piccolo (vocal e guitarra), Eric Oliveira (guitarra), Osvaldo Ciziniaukas Jr. (contrabaixo), João Paz (órgão e piano), Tiago Rezende (bateria), Carlos Eduardo Gonçalves (percussão e voz) Mauro Peres (percussão e voz) e Lincoln Martins (Trompete), a banda é facilmente reconhecida por seu ativismo social, e suas canções que buscam abraçar todos os públicos. Com letras que falam abertamente sobre amor, união, resistência, e a luta das minorias por direitos, o Mato consegue tocar no íntimo de seus ouvintes que refletem sobre situações do cotidiano, gerando de cara uma identificação pessoal com suas músicas. A banda preparou uma seleção de sucessos que marcam a comemoração dos seus 20 anos de carreira e canções que produziram ao longo da quarentena na pandemia da covid – 19.

| Casa de Cultura Butantã. Domingo: 09/10 às 17h.

| Casa de Cultura Manoel Mendonça/Santo Amaro. Sexta: 14/10 às 19h30.

| Centro Cultural CCJ. Sábado: 15/10 às 19h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 16/10 às 19h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 29/10 às 19h30.

 

House Of Avalanx

Linguagem: Música

Público: Adultos

A House of Avalanx é um Grupo voltado para a Cultura Ballroom, nascida em 2017 na Cidade de Campinas, atualmente tem membros pelos estados de SP, MG, CE, SC e Portugal, totalizando 26 membros. O Grupo atua ministrando aulas palestras e organizando eventos voltados para a Cultura Ballroom, onde acontecem as batalhas. Em maior parte é composta por pessoas LGBT+ que buscam na Cultura um apoio para construir sua carreira.

| Casa de Cultura Butantã. Segunda: 31/10 às 18h.

 

Florilégio

Linguagem: Teatro

Público: Infantil

O espetáculo parte do território do real, ancestral e dos sonhos, em um espaço tempo que nos aproxima de pessoas e histórias. Entre poesias, músicas, danças, lutas, mas também entre encontros e desencontros próprios de nosso tempo, transita por narrativas que envolvem a construção de uma comunidade, construindo uma tessitura em torno dos sentidos do esperançar, inspiração vinda do educador Paulo Freire.

| Casa de Cultura Tremembé. Quinta: 13/10 às 17h.

| Centro Cultural CC Grajaú. Sábado: 15/10 às 16h.

| Casa de Cultura Campo Limpo. Quinta: 20/10 às 09h.

| Casa de Cultura Raul Seixas. Sábado: 22/10 às 15h.

 

Alguma Coisa

Linguagem: Teatro

Público: Infantil

ALGUMA COISA nos apresenta a história de José. Ele passa seus dias em sua pequena casa no meio do nada, tranquilo ao pé de uma serra e cercado pelos seus amigos: suas galinhas, vacas e alguns peixes. Há também um pé de manga e, em frente, o lindo rio vermelho. Seu cotidiano é cuidar do roçado e ler seus livros. É uma vida pacata e feliz, que inspira completude. Porém, um dia ele recebe uma carta misteriosa. Ela traz uma provocação. O homem instigado aceita o desafio e passa a construir alguma coisa que o aproxime dos céus. Algo que possa ajudá-lo a se transportar dali, a continuar, a viajar para outros territórios. O homem constrói alguma coisa que é um tanto real e um tanto ficcional. E lá de cima, por sobre a casa e a árvore, observa e aguarda. Até que alguma coisa, alguma criatura voadora saída do horizonte, entre o encantado e cotidiano, vem buscá-lo. E assim, como em um encontro de velhos amigos – mas que na realidade nunca se viram – alegram-se e partem. Uma nova jornada entre nossa realidade e os sonhos, é iniciada.

| Casa de Cultura São Rafael. Quarta: 19/10 às 15h.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Domingo: 23/10 às 16h.

| Casa de Cultura Campo Limpo. Quinta: 27/10 às 15h.

| Casa de Cultura Guaianases. Sexta: 28/10 às 14h.

| Centro Cultural CCV Formosa. Domingo: 30/10 às 16h.

 

Bora Brincar

Linguagem: Música, dança, teatro

Público: Adulto

O espetáculo “Bora Brincar” foi concebido para mostrar ao público o festejar da cultura popular brasileira, trazendo a trupé - a bagunça, a brincadeira – adentrando às danças brasileiras. A cia busca envolver o público abrindo espaço para a brincadeira, com sonoridade, danças, gestos, fazem uma imersão nas raízes populares, em especial, do norte e nordeste do país, trabalhando os ritmos do Carimbó, Ciranda e Coco.

| Centro Cultural CFC Tiradentes. Quarta: 12/10 às 15h.

| Museu Casa do Bandeirante. Sábado: 15/10 às 14h.

 

Mulheres

Linguagem: Teatro

Mostrando sempre a importância do empoderamento feminino e da luta pela igualdade, falaremos sobre mulheres que fizeram e fazem a diferença no Brasil e no mundo! Contaremos histórias e cantaremos músicas de mulheres como: Carmem Miranda, Chiquinha Gonzaga, Cecília Meireles e outras mulheres que se destacaram na história! Um espetáculo infantil apresentado apenas por mulheres (uma atriz e três musicistas), com música ao vivo, fantoches, interação e histórias reais. Mostrando a força, garra e vontade dessas mulheres, que vieram ao mundo para fazer uma grande diferença! Após o final da apresentação, abriremos uma roda de conversa com o público sobre a importância das mulheres apresentadas nas histórias e da luta feminina pela igualdade de direitos e respeito.

| Museu Casa do Sertanista. Sábado: 01/10 às 15h.

| Centro Cultural CC Santo Amaro. Quarta: 05/10 às 15h.

| Centro Cultural Flávio Império. Domingo: 16/10 às 16h.

 

Nos Bastidores da Lona

Linguagem: Circo e teatro infantil

Público: Infantil

Como será que um palhaço acorda? Como será que ele se prepara para suas apresentações? É exatamente isso que vemos no espetáculo “Nos Bastidores da Lona”. A cooperação dos palhaços em não deixar o circo falir após uma crise é a chave da brincadeira! Entre números clássicos, música, acrobacia e muito humor, a história toma forma e nos mostra que na vida não conseguimos fazer nada sozinhos!!!

| Casa de Cultura São Rafael. Domingo: 09/10 às 14h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Quarta: 12/10 às 14h.

| Museu Casa do Sertanista. Sábado: 29/10 às 15h.

 

Amálgama

Linguagem: Teatro

Público: infantil

Quatro artistas levam para a cena diferentes técnicas circenses em uma linguagem própria entre o malabarismo, a acrobacia e a dança. AMÁLGAMA é o nome que se dá à mistura de elementos diversos. Pode ser a reunião desordenada de pessoas; a fusão perfeita de coisas que formam um todo; o nome da companhia e do espetáculo.

| Museu Casa Modernista. Sábado: 08/10 às 11h.

| Casa de Cultura Vila Guilherme. Sábado: 08/10 às 17h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 09/10 às 19h.

 

Corpo História

Linguagem: Dança

Público: Adulto

Performance de dança que tem como base pesquisa dos bailarinos-coreógrafos nos locais históricos que irão ocorrer as apresentações. A partir dessa pesquisa presencial e sensorial com o espaço, desenvolve-se coreografias que com eles dialoguem. O corpo narrando a história. Uma construção que surge a partir do momento que a cidade se via isolada da presença e do contato, fez-se necessidade de ocupar os espaços públicos com a arte corporal, ação que se ressignifica e chega até a realidade atual.

| Museu Casa Modernista. Sexta: 28/10 às 16h.

| Museu Chácara Lane. Sábado: 29/10 às 16h.

 

Aretuza Lovi

Linguagem: Música

Público: adultos

Natural de Goiás, Aretuza Lovi é uma cantora Drag Queen brasileira de 32 anos criada por Bruno Nascimento. Gravou sua primeira música “Strip Tease” em 2012, onde foi uma das pioneiras do segmento musical LGBTQIA+ no Brasil. Além de cantora, a artista fez parte do projeto Ezatamentchy, um dos perfis de humor mais conhecidos no Brasil, que foi criado por um grupo com o objetivo de combater o preconceito no país. Em 2016, integrou no elenco da 9a temporada do programa Amor & Sexo, no qual participou do quadro Bishow. Ainda lançou os singles Nudes e Catuaba com participação de Gloria Groove. Em 2018 junto a Pabllo Vittar e Glória Groove lança a canção "Joga Bunda", sendo esse o carro-chefe do seu álbum de estréia, o vídeo se tornou a colaboração de drag queens mais vista do YouTube, com mais de 40 milhões de visualizações. No mesmo ano, foi lançado seu álbum 'Mercadinho', que conta com participações de IZA, Solange, Valesca e rendeu muitas pautas na internet e na TV, como uma participação no 'Encontro com Fátima Bernardes além de uma turnê na Europa. Sendo uma das maiores artistas pop do Brasil, Aretuza usa muito das referências dos estados que viveu em suas músicas e de ritmos como o Calypso, Swing, Forró e o Pop. Atualmente ela trabalha na produção de seu segundo álbum de estúdio que será lançado em 2022.

| Centro Cultural CC Diversidade. Sábado: 08/10 às 19h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 22/10 às 19h.

 

Corpos de Fronteira

Linguagem: Dança

Público: Adultos

A obra busca refletir sobre a pluralidade de corpos que colocam em questão tais fronteiras: negros, mulheres, homossexuais, periféricos unem-se por acreditar que juntos as individualidades se potencializam, além de proporcionar microfissuras possíveis para entendimento do mundo hoje. Em tempos de distanciamento social, entendemos o atravessamento dessas fronteiras para além da fisicalidade que separa os territórios. Um anseio pelo encontro, pela possibilidade de reconhecer o próprio corpo como borda e pela experiência (s)cinestésica em ritual de partilha. Corpos de Fronteira visa reconhecer um retrato da condição humana: coletiva, conjunta, agrupada, buscando interações, associações. Em meio ao silêncio do distanciamento, redescobrimos e inventamos formas de estar juntos. Na cena, as hierarquias entre os papéis sociais são testadas e, no melhor dos cenários, podem ser questionadas e reconfiguradas.

| Centro Cultural CC Diversidade. Domingo: 09/10 às 18h.

| Centro Cultural CCV Formosa. Domingo: 30/10 às 19h.

 

Se Joga

Linguagem: Dança

Público: Infanto Juvenil

Os (as) integrantes do Núcleo Ximbra se debruçaram nas experiências vividas dentro de seus territórios durante a pandemia onde criaram as narrativas de como é ser um artista periférico em suas casas. Os metros quadrados ali dados são as respostas das angústias corporais de cada (uma). A intervenção está sendo retomada de forma presencial e contará em cada apresentação com um/uma artista convidade retomando a sua forma original. Em 2019 a performance teve diversos artistas convidades tanto da musica como do corpo, contou com: Luciano Sallun, Denis Lima, Silvana de Jesus, mestre Pedro Peu, Joelma Souza, Camila Brasil, Uma Luíza , Alldry Eloise e Gerson Afrobreak. Por fim essa proposta consiste em dialogar com artista convidades em suas edições em espaços abertos.

| Centro Cultural CC Grajaú. Domingo: 16/10 às 16h.

 

Junior Dread

Linguagem: Música

Público: Jovens

Show do cantor Junior Dread e sua banda composta por 8 músicos e 4 pessoas de equipe técnica. A apresentação consiste em um show de uma hora a duas horas de duração, com músicas de seu álbum “Saiba Viver” e singles lançados em parcerias com diversos produtores nacionais e internacionais, além de clássicos da música reggae internacional com música de Bob Marley, Peter Tosh.

| Casa de Cultura Butantã. Domingo: 09/10 às 16h.

| Casa de Cultura Manoel Mendonça/Santo Amaro. Sexta: 14/10 às 18h30.

| Centro Cultural CCJ. Sábado: 15/10 às 18h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 29/10 às 18h.

 

Quilombo

Linguagem: Dança

Público: Adulto

O espetáculo “Quilombo” mostra a resistência de cada jovem preto periférico através da arte. O quilombo não morreu, ele ainda existe e se localiza em cada favela do nosso país, e do Rio de Janeiro. A performance aborda o quilombo do passado e o que não morreu, que está vivo no século 21. Ainda hoje as pessoas são discriminadas por morarem na favela, tendo pele clara ou escura. Ainda hoje, gente preta todo dia é massacrada só por ser preta.

Neste quilombo procuramos a força para lutar por igualdade de viver.

| Centro Cultural Galeria Olido. Sábado: 01/10 às 19h.

 

Chocolatte da Vila Maria

Linguagem: Música

Público: Adulto

Com mais de 30 anos de estrada, o sambista já acompanhou grandes artistas como: Beth Carvalho, Demônios da Garoa, Jamelão, Jair Rodrigues, Monarco, Quinteto e Branco e Preto entre outros. Com muitos vistos na bagagem ele se apresentou em diversos festivais como: Montreux Jazz Festival (Suíça), Jazz à Vienne (Áustria), Guida Festival (Itália), Mega Music – Newtown, Logan Square Auditorium (Chicago/EUA).Seu repertório conta com grandes sucessos como: Chora Neném, Herança Popular, Na Beira da Esquina, Zeca Fumaça e muito mais.

| Centro Cultural CC Penha. Sábado: 08/10 às 20h.

 

Leandro Fregonesi

Linguagem: Música

Público: Adulto

Cantor e compositor brasileiro revive o melhor do samba. Leandro Fregonesi tem 3 CDs e 1 DVD lançados, mais de 500 músicas compostas sendo que várias delas gravadas por artistas como Beth Carvalho, Maria Bethânia, Diogo Nogueira, Zezé Motta, além de inúmeros artistas da nova geração como Renata Jambeiro, Nilze Carvalho, Juninho Thybau, Renato Milagres e tantos outros, como também por grupos como o Casuarina e Bom Gosto. É o único artista da nova geração que tem músicas suas nos trabalhos comemorativos de 50 anos de carreira de 3 Divas da Música Brasileira: Maria Bethânia, Beth Carvalho e Zezé Motta! Além de se apresentar em palcos por todo o Brasil, já se apresentou na Espanha (Madri e Barcelona), França (Cannes) e Hungria (Budapeste).

Fregonesi mostra, neste show, além de composições suas, sambas de sucesso de outros compositores como Dona Ivone Lara, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, resultando num show alegre, contagiante e brindando o público com o que de melhor o samba tem: a popularidade, a nobreza da simplicidade, a força poética, a vastidão rítmica, as filosofias da vida e nossa genuína vocação para a miscigenação, a felicidade, a festa e o “Fuzuê”.

| Casa de Cultura Júlio Guerra/Largo Treze. Sábado: 08/10 às 16h.

| Centro Cultural CC Penha. Domingo: 09/10 às 19h.

 

YEBO - GUMBOOT DANCE BRASIL

Linguagem: Dança

Público: livre

Gumboot dance (dança de botas de borracha) é uma forma de dança popular que foi criada pelos trabalhadores no século XIX nas minas de ouro e de carvão da África do Sul. Homens negros, com sua a força de trabalho explorada pelos senhores do capital, lutavam para conquistar riquezas que jamais teriam para si. Expondo suas vidas ao risco, distante de suas aldeias e famílias, diariamente cavando buracos cada vez maiores, onde ficavam enterradas suas histórias, suas memórias e suas vozes Yebo aborda a exploração, tanto das minas, como dos sete povos levados para extração do minério. É a criação de um dialeto sonoro a partir das batidas nas botas de borracha e transformado em um alegre espetáculo percussivo em que a dança produz o som, e o som, conta as histórias dos poucos momentos de descanso e animação que esses trabalhadores tinham.

| Centro Cultural CC Santo Amaro. Sábado: 01/10 às 15h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Quarta: 12/10 às 20h.

 

Ultra Soul

Linguagem: Música

Público: Adultos e jovens

A Ultra Soul foi criada com o intuito de resgatar a música negra americana como a Soul Music, o Funk e o R&B dos anos 70 e 80. A banda já acompanhou alguns artistas como: Ed Motta, Léo Maia, Vanessa Jackson, Dom Paulinho Lima, Edu Camargo, ambos do The Voice Brasil, entre outros. Estruturada com quatro vocais que revezam entre si, fazendo belíssimas apresentações com espetaculares arranjos. Há 10 anos têm levado o melhor do Soul, Funk e R&B em lugares como: Virada Cultural Paulista, Bourbon Street, Charles Edward, Festival de Inverno, e também em outros estados como Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e em várias cidades do interior paulista. A banda faz clássicos como: Tim Maia, Eart, Wind and Fire, Jorge Ben Jor, Stevie Wonder, Luiz Gonzaga, Seu Jorge, Nina Simone, Maxwell, Michael Jackson entre outros. O intuito desse trabalho é trazer muita diversão e autenticidade para seu evento, um show mesclado entre os sucessos clássicos para dançar muito!!!

| Centro Cultural CCJ. Sábado: 01/10 às 19h.

| Centro Cultural CFC Tiradentes. Sexta: 21/10 às 19h.

 

Avoapé

Linguagem: Teatro

Público: infantojuvenil

O espetáculo é a continuidade da pesquisa cênica do projeto Diário de Um Certo Artista, iniciada em 2019. Para a criação da obra de 2021, o Coletivo Diário se aprofundou na cena Currículo, refletindo sobre os caminhos que se abrem e se fecham o tempo todo para quem não tem o exigido pelo sistema. E, com a pandemia, a burocratização e o não acesso se potencializam. O profissional deixa seu antigo currículo de lado para rascunhar novas habilidades e vivências. Profissionais esses que se redescobrem para transformar o antigo e se adaptar ao novo normal. Resistindo, lutando e enfrentando.

Entre folhas, flores e tropeços, Rodrigo segue trilhando os caminhos que reivindica para todes nós e clamando por Njila, pelas Yabás, por suas ancestrais vivas e por seus irmãos da terra. Entre agonias e pandemias, o artista segue resistindo de dentro de casa, das ruas, dos terraços e dos espaços entre artistas independentes. Trilhando seu caminho, um pé atrás do outro, até voltar a alçar voo.

| Centro Cultural CCN. Quinta: 13/10 às 19h.

 

Dança Por Correio

Linguagem: Dança

Público: Adulto

“Dança Por Correio” é uma intervenção artística, que carrega a imagem da “entrega” como metáfora em sua criação e seu desenvolvimento. A dança é um instrumento que aproxima as pessoas e estabelece conexões para construir momentos. Portanto é necessário pensar a dança não apenas pelas propostas que transformam o corpo ou o jeito de se movimentar, mas também a partir do encontro vivido pela experiência construída e o que dela pode ser absorvida e carregada. Com a intenção de atravessar os fluxos cotidianos, as pessoas são convidadas a escolher uma carta e a partir de seu conteúdo cria-se a entrega, o encontro, a dança, interferindo em seu trajeto, diluindo a arte em seu dia. Disponibilidade no olhar e escuta sensível para as pessoas e território, é guia para os “carteiros”, que vão para a rua com o desejo de entrega e de jogo, permitindo-se saborear tais contextos e entregando-se para pessoas que nunca viram e talvez nunca voltem a encontrar. “Dança por Correio” tem o desejo de comunicar-se com os transeuntes, viajantes de sua própria cidade e “turistas” de uma vida, que por vezes não é vivida por conta do infinito trabalho e busca pelo conforto.

| Museu Chácara Lane. Sábado: 15/10 às 15h.

| Museu Solar da Marquesa. Sexta: 28/10 às 17h.

 

Dança de Atake - homenagem às rodas sagradas

Linguagem: música, dança, teatro, sarau

Público: Jovens

Dança e performances afro referenciadas. O grupo surge a partir de uma turma orientada pelo bailarino e professor Felipe Cirilo, pelo Programa Vocacional Dança, em 2017 e se configura como grupo em 2018. Além da dança, o grupo organiza eventos que discutem masculinidades, psicologia e autocuidado. Atualmente organiza as aulas "Povo Preto e Cidade".

| Museu Chácara Lane. Sábado: 15/10 às 15h.

 

Eyes of Beholder

Linguagem: Música

Com uma trajetória que completa 10 de anos de carreira, a banda paulistana Eyes of Beholder volta aos palcos com sua nova turnê Visions, esse ciclo completo, o grupo decidiu prestar homenagem ao homem e sua eterna busca pelo autoconhecimento e promete aos fãs com uma turnê épica.

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Sábado: 22/10 às 20h.

 

Pequeno Herói Preto

Linguagem: Teatro

Público: Infantil

O Pequeno Herói Preto, conta a aventura do Super Nagô, um youtuber de 10 anos que descobre seus poderes através de sua família. Ele usa os conhecimentos de seus antepassados e da natureza para transformar positivamente a vida das pessoas ao seu redor. A obra é uma idealização do ator Junior Dantas, com direção de Cristina Moura e Luiza Loroza.

| Centro Cultural CFC Tiradentes. Sábado: 15/10 às 15h.

 

Les Girls - Uma Diva Perto de Você

Linguagem: Teatro, música

Público: Jovens, adultos, idosos

Um espetáculo musical a partir do show musical Les Girls – O Musical, idealizado por Paula Sabbatini em 2018. Em 2019 as apresentações começaram a ocorrer em outro formato com o nome de Les Girls: Uma Diva Perto de Você. Em 2021, a artista e produtora cultural Gabrielle Araújo, da Caboclas Produções, entra para somar na Direção de Produção do projeto e convida o ator e diretor Rodolfo Lima com o intuito de trazer para o palco a teatralização de histórias das três artistas.

Com o convite, Rodolfo Lima volta a emergir novamente no universo das singularidades de mulheres trans e assim dar continuidade ao trabalho iniciado em 2019, ao investigar o universo T, com o espetáculo Entrega para Jezebel, do Núcleo Teatro do Indivíduo, também com três mulheres trans no elenco.

| Centro Cultural CFC Tiradentes. Domingo: 02/10 às 18h.

 

Travessia

Linguagem: Dança

Público: Infantil, jovens, adulto

Em 2019, Felipe Oládélè esteve em Cabo Verde, com passagens nas ilhas de São Vicente, Ilha do Sal e Santo Antão. Um encontro de um atlântico real com um atlântico singular. A busca transatlântica da memória como persistência e invenção. A experiência ao conhecer um território pela primeira vez integra uma das pulsões para a construção da dramaturgia corporal deste espetáculo que é tecida a partir desta experiência de viagem, de corpos, deslocamentos, encontros e aproximações com o outro. Felipe, que nos últimos anos desenvolve sua pesquisa entre teatro, dança, música e performance a partir do corpo-diaspórico, vem expandindo seu trabalho através dessas linguagens em espetáculos como "Chão de Pequenos" e a performance "invisibilidade social", ambos da Companhia Negra de Teatro, e também no espetáculo "PRETO" da companhia brasileira de teatro, dirigida por Marcio Abreu. Se faz urgente entender o passado, compreender o agora e projetar uma possibilidade de futuro. Produzir novas memórias, novas imagens e novas pontes para a subjetividade. Se faço do meu corpo território, como constituí-lo uma nova terra? Como repovoar a existência?

| Casa de Cultura Freguesia do Ó. Sábado: 29/10 às 20h.

 

Brita: lugares vermelhos e invisíveis para existir

Linguagem: Dança

Público: Jovens, adultos

A obra Brita: lugares vermelhos e invisíveis para existir traz como mola propulsora o impacto da gentrificação na experiência das grandes cidades e o contínuo processo de “descorporificação” por ela engendrado. Não são apenas casas demolidas e substituídas por grandes torres, há um avassalador processo que rouba os corpos das pessoas, faz entristecer, adoecer e esvair. Famílias são deslocadas com indenizações irrisórias, muros são construídos isolando territórios e comunidades, tapando o sol e rachando casas. O que pode o corpo quando enfrenta os desafios da cidade e da crescente bifurcação entre humanismo e vida urbana? Como ocupar frestas, transitar nos desequilíbrios sem se perder Quais fundamentos nos permitem (re)existir diante de desmontes, escombros e violências que atravessam carnes e ossos? Brita propõe a ideia de corpos que, opostos à inércia, imaginam-se em vôos – sujeitos a quedas e encantamentos.

| Centro Cultural Galeria Olido. Domingo: 02/10 às 18h.

 

Serginho Madureira

Linguagem: Música

Público: Adultos

O show conta com a participação de Serginho Madureira e banda Disciplina, que é composta por 8 integrantes e um produtor musical. Cavaco, violão 6 cordas, contrabaixo trombone de vara, surdo e tamborim, Pandeiro, tantã e conga, repique de mão e tarol. O repertório ilustra canções de Serginho Madureira gravadas por ele e também suas autorias gravadas por outros artistas como: Zeca Pagodinho, Grupo Fundo de Quintal, Leci Brandão, Diogo Nogueira, Originais do samba entre outros. Também entrará no repertório samba dos anos 90 de artistas que participaram no seu mais recente DVD, como: "Coração feito menino" Royce do cavaco, "Liberdade sonhada" gravada pelo Grupo Katinguelê na época, "Paraíso" gravada pelo Grupo Sensação entre outras lindas canções. O espetáculo tem duração de 60 minutos.

| Centro Cultural Galeria Olido. Terça: 04/10 às 18h.

 

Cola Show

Linguagem: Circo

Um Shows que surpreende, pois são duas artistas, que parecem a mesma pessoa, se aventurando como artistas de rua em meio a sociedade machista. As gêmeas malabaristas mais carismáticas de Ribeirão Preto vem para desconstruir tantos conceitos ultrapassados, além de cativar todo o público com esse espetáculo que explora o mundo do malabarismo através de números contemporâneos e experimentais, prometendo proporcionar ao espectador um êxtase de alegrias e risadas, se desafiando a tornar o show cada vez mais impressionante, mais emocionante e mais difícil.

| Casa de Cultura Raul Seixas. Quarta: 12/10 às 15h.

 

Voa Besouro

Linguagem: Dança, música, teatro.

A roda de leitura “Voa Besouro” proporciona um encontro lúdico com nossas ancestralidades por meio da leitura coletiva de alguns contos da coleção literária besouro, “Ruas do Brincar”. Além da leitura dos contos, os participantes conhecerão alguns jogos africanos praticados em grupo como o Shisima e Ouri. Todos os participantes recebem um exemplar gratuito da coleção ao fim da atividade. A mediação do encontro é feita pelo autor Israel Neto.

| Casa de Cultura São Rafael. Quarta: 26/10 às 15h.

 

Marabu

Linguagem: Música

Público: Adulto

É do funk da baixada ao samba de Jorge Ben, no berço da efervescência cultural e musical da zona sul de São Paulo, que nasce Marabu: aquele que compartilha histórias. Nascido e criado no Jd. Angela, o Mc passou a materializar seu primeiro trabalho na música em 2018, através das faixas "Negócios" e "Boa Sorte" - ambas com produção musical de Levi Keniata e hoje integra a Nebulosa Selo. Marabu também atua como curador, pesquisador, articulador cultural e educador com foco nas manifestações culturais afrodiásporicas; Aos 25 anos, o Mc tem uma identidade musical rica em melodias e marcada por operações artísticas comuns aos terreiros e bailes de rua, essas características ganham maior destaque em seu disco de estreia. Em 2020 Marabu debutou com seu primeiro álbum, intitulado “FUNDAMENTO”, uma realização da Nebulosa Selo, com produção de Levi Keniata".

| Centro Cultural Galeria Olido. Sábado: 22/10 às 19h.

 

Contos do Príncipe

Linguagem: Teatro

Público: Infantil

Contos do Príncipe é um espetáculo de contação de histórias, interpretado pelo ator Júnior Dantas. Serão apresentados os contos: A origem do tambor, O Príncipe que sentia medo, Jima e o anel mágico e Todos dependem da boca. Junior é idealizador, ator e autor de obras como O Pequeno Príncipe Preto e O Pequeno Herói Preto, que percorreram o Brasil.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. Domingo: 16/10 às 17h.

| Casa de Cultura Tremembé. Quinta: 20/10 às 17h.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Sábado: 29/10 às 16h.

 

509-E

Linguagem: Música

Público: Adultos

As experiências no cárcere os fizeram enxergar as reais intenções do sistema famigerado, criaram o antídoto através do resgate da autoestima, encontraram no Hip Hop a ferramenta para ampliar seus horizontes através de suas músicas. De dentro da detenção iniciaram suas jornadas, em 1999 a dupla era conhecida como “Linha de Frente” e até chegaram a fazer uma música de participação no CD do ex-traficante José Carlos dos Reis Encina, vulgo ``Escadinha''. Como ninguém se recupera sozinho, contaram com o apoio da "Madrinha dos Presos", a atriz Sophia Bisilliat, idealizadora do projeto “Talentos Aprisionados”. Vários músicos de peso do cenário nacional como Mano Brown e Edi Rock (Racionais MC's), DJ Hum (parceiro de Thaíde), Zé Gonzales (Planet Hemp) e MV Bill deram todo o suporte para que a mensagem chegasse aos ouvidos de toda uma sociedade carente e desinformada sobre o sistema carcerário no Brasil. No ano de 1999 nasce o 509-E tornando-se porta-voz de todos aqueles que sofriam com a vida desumana dentro de um sistema prisional falido. No ano seguinte em 2000 lançam seu primeiro CD, chamado Provérbios 13, com 12 faixas e que até hoje é considerado um clássico, denunciando todas as injustiças sociais sofridas pela classe periférica. O número 509-E representa a cela onde residiam no pavilhão 7.

| Casa de Cultura Ipiranga. Domingo: 09/10 às 17h.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. Domingo: 23/10 às 17h.

 

Festa Ralachão

Linguagem: Música

Público: Adultos

A Festa Ralachão surgiu em 2017 com os produtores Rafa Duarte, Paula Mendes e Camis Rivereto, com a proposta de levar a cultura preta e periférica para o centro de São Paulo. Visando unir e reunir os mais diversos tipos de pessoas, a festa enfatiza estilos de músicas populares entre a comunidade preta, além de apoiar e introduzir produtores, djs e marcas desse meio. Com mais de 15 edições já realizadas, a Ralachão já passou por endereços populares do centro de SP como Bar Quenga Paulista na Rua Treze de Maio, Morfeus Club na Santa Cecília, Bar Cork no Vale do Anhangabaú e Espaço Nobre na República. Mais de 10 mil pessoas já passaram pelas nossas pistas e o rápido crescimento, assim como o sucesso da festa com o público, é o nosso maior termômetro para continuarmos levando a proposta da Ralachão cada vez mais longe.

| Casa de Cultura Ipiranga. Sábado: 01/10 às 15h.

 

Os Lavadores de História

Linguagem: Teatro

Público: infantil

Urucum, Tom Tom e Jatobá são lavadores de histórias que, todas as noites, visitam quintais da infância para lavar o que ali fora esquecido e revelar memórias. Eles ficam tocados, mas também se divertem muito com as personagens e segredos de cada história revelada. O espetáculo convida o público a reviver as próprias memórias e relembrar a infância com o intuito de que não se perca o que foi vivido em cada lugar.

| Casa de Cultura Ipiranga. Quarta: 05/10 às 16h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 08/10 às 15h.

| Casa de Cultura Manoel Mendonça/Santo Amaro. Domingo: 09/10 às 16h.

| Casa de Cultura M'Boi Mirim. Sábado: 15/10 às 15h.

 

Asfixia Social + Gog

Linguagem: Música

Público: Adulto

O Asfixia Social é uma das bandas mais ativas da cena independente nacional, tendo já lançado 2 DVDs - ao vivo em Cuba (2015) e ao vivo em São Paulo (2013), 3 discos e 1 livro, trazendo em sua música uma mistura original de Rock, Hip Hop, Soul, Dub, Punk e as raízes da música brasileira. Formado por Kaneda (Voz/Trompete/Trombone), Rafael e Marcelo (Guitarras), Leo (Baixo) e Rodrigo (Bateria), o grupo realiza em julho de 2022 sua segunda turnê na Europa e está confirmado em importantes festivals como o Rebellion Festival e Punx Picnic (Inglaterra), Vive Le Punk e Chaffeur Dans la Noirceur (França) e Halt Pop (Holanda), além de shows por toda a Alemanha e Reino Unido. O grupo já gravou com diversos artistas, entre eles o rapper Gog (DF), e devido a parceria de longa data e diversas canções conjuntas no repertório, a banda convida o MC para este show de 1 hora, incluindo versões de "A Cara do Inimigo", "África Tática", "Brasil com P" e a releitura de "Assassinos Sociais", originalmente escrita em 1993 e regravada em 2021. A parceria Asfixia Social e Gog no palco deixam um recado certeiro: o som é periférico e pesado! Genival Oliveira Gonçalves (Gog) é um dos maiores nomes do hip-hop brasileiro, conhecido como o poeta do rap, alçou os mais altos vôos para representar a cultura de rua que aprendeu no subúrbio brasiliense. Como convidado especial, encaixa perfeitamente na proposta da banda Asfixia Social, que optou pela mistura sonora em meio a letras reflexivas e tem representado a diversidade presente na cultura brasileira, revelando que a periferia pode e deve ter a voz ativa e valorizar todo esse caldeirão cultural.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. Sexta: 07/10 às 20h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Sábado: 08/10 às 20h.

 

Gali Galó

Linguagem: Música

Público: Livre

Gali Galó - Amor de Furacão O sertanejo, o brega e o pop no mesmo palco. A mistura da viola caipira e da sanfona com beats e sintetizadores causam um estranhamento entre o tradicional e o moderno, fazendo jus ao Queernejo e às suas referências ecléticas em suas épocas. Suas maiores referências estão na música sertaneja e na música brega. Artistas como Sidney Magal, Reginaldo Rossi, Johnny Hooker, Chitãozinho e Xororó, Inezita Barroso, Mateus Carrilho, Lana Del Rey e Johnny Cash, são algumas de suas principais referências para criar seu personagem único.

| Casa de Cultura Júlio Guerra/Largo Treze. Sexta: 21/10 às 17h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 22/10 às 17h.

 

Getúlio Abelha

Linguagem: música

Público: Livre

Getúlio Abelha é um multiartista que transita livremente entre o forró tradicional, o pop e o eletrônico. Questões atuais, políticas, corpos, gênero e críticas ao conservadorismo estão presentes na música, dança e audiovisual do artista. Nos palcos, Getúlio é explosão pura, seja por conta de seus figurinos coloridos e impactantes, seja por sua performance avassaladora com seus bailarinos coreografados, que atravessa o pop com uma atitude punk e vice-versa. Com letras ácidas, tom irônico e crítico, Getúlio Abelha nos faz dançar, refletir e resistir.

| Casa de Cultura Júlio Guerra/Largo Treze. Sexta: 21/10 às 18h.

| Casa de Cultura São Mateus. Sábado: 22/10 às 18h.

 

DeLua

Linguagem: Música

Público: jovens, adultos, idosos

De Dias e Lua duas cantoras que recentemente se juntaram e formaram a dupla chamada DeLua, com sucessos já lançados como "Bumbum do Poder" e "Tem Quem Queira", no estilo musical chamado BREGADEIRA que consiste na junção de: Arrocha, Brega, Pagodão Baiano e o Funk. Em seus shows DeLua busca sempre trazer toda a alegria para seu público, com suas músicas sempre bem agitadas e dançantes.

| Casa de Cultura M'Boi Mirim. Sábado: 22/10 às 17h.

 

Bia Ferreira

Linguagem: Música

Público: Família

Multi instrumentista, cantora, compositora, arranjadora, produtora musical e ativista, Bia Ferreira nasceu no interior de Minas Gerais e iniciou seus estudos na música aos 3 anos. Conceitua sua arte como MMP: Música de Mulher Preta. Passou a se comunicar artisticamente com o intuito de educar, conscientizar e informar pessoas sobre as demandas da luta antirracista no Brasil, bem como questões ligadas ao movimento LGBTQIA+ e ao amor afrocentrado. Suas canções são leitura obrigatória para o vestibular da UNB tanto para o Ensino médio, quanto para o Ensino Superior. E, para as crianças de 1 a 4 série do sistema SESI, a música é trabalhada em todos os livros.

| Casa de Cultura São Rafael. Sábado: 08/10 às 20h.

| Centro Cultural Vila Itororó. Domingo: 16/10 às 17h.

 

É Nóis na Xita

Linguagem: Infantil

Público: Teatro

Eles são corajosos, fortes, determinados e muito atrapalhados! Assim, o Grupo Namakaca parte em busca do riso perdido como uma grande aventura, no estilo Indiana Jones, enfrentando desafios e perigos, lutando bravamente na terra, no céu e no mar. Suas armas mais poderosas são o malabarismo, as acrobacias e a palhaçaria.

| Teatro Paulo Eiró. Sábado: 15/10 às 16h.

| Teatro Paulo Eiró. Domingo: 16/10 às 16h.

 

Menina Pássara

Linguagem: Teatro

Público: Infantil

Nasceu uma menina-pássara. Sem asas, sem bico, sem penas. Não canta nem voa, fica muda em seu canto. Diferente de todos, sai em busca por um lugar que seja seu, um nome que lhe pertença e uma identidade para sua língua. Em sua trajetória, encontra vários pássaros, únicos, diferentes, em extinção. E ela, será que é pássaro?

| Casa de Cultura São Miguel Paulista. Sexta: 07/10 às 15h.

 

A Espetacular Volta ao Mundo

Linguagem: Circo, dança, música

Público: Infantil, Jovens, adultos

Com muita diversão, dois palhaços charlatões, através de muita confusão e brincadeiras, tentam convencer o público que deram a volta ao mundo. Nestas viagens trouxeram personalidades incríveis vindas de terras distantes com habilidades inimagináveis como: telepatia, tiro ao alvo, adestramento de fera e acrobacia.

| Casa de Cultura São Rafael. Quinta: 13/10 às 15h.

 

Brasilidade - Muito Prazer, As Iyálódes

Linguagem: Música

Público: Jovens, adultos

A DJEMBE PRODUÇÕES E ENTRETENIMENTOS, por meio do projeto ELLAS, coloca a musicalidade no corpo para além da voz num repertório que promove o aquilombamento da mulher negra na música, através do show BRASILIDADE - MUITO PRAZER, AS IYÁLÓDES, produzido pelo músico, Fábio Luiz Aleixo. Para além de refletir sobre a trajetória de mulheres negras que atuaram e atuam no campo musical, a DJEMBE convida a repensar a representação das mulheres negras nas letras e canções. Priorizando músicas que reverenciam a mulher negra. São muitas as IYÁLÓDES no cenário musical que deixaram de alguma forma a marca de seus pés nessa estrada, algumas famosas e outras nem tanto - não iremos citar exemplos. Mas iremos apresentar algumas delas a vocês. ELLAS. proclamam a brasilidade cantando músicas de compositoras negras que fizeram sucesso em outras vozes, músicas que fizeram sucesso nas vozes de intérpretes negras e músicas que enaltecem a mulher negra. O público prestigiará a transformação do silêncio em linguagem, em ação, em música no talento de Dandara NIlle, Natália Ribeiro, Karen Feitoza, Maria Júlia (Maju), Thamires Rosa, Jana Assis, Nana Xavier, Patricia Carneiro.

| Casa de Cultura São Rafael. Sexta: 28/10 às 20h.

 

Kodon

Linguagem: Dança, teatro

Público: jovens, adultos, idosos

Kodon (Sol Nascente na língua malinké), a Cia busca trazer reflexões sobre a continuidade inevitável da vida e seus ciclos, exaltando a soberania das forças da natureza das quais os seres humanos dependem. Com um trabalho que se utiliza das linguagens da dança, teatro e acompanhado pela música ao vivo, o intervenção que tem duração de 50 minutos promove cenas que recriam vivências diárias muito comuns tanto na África como aqui no Brasil, permeadas pela ideia de um força maior que mantém os processos naturais fortalecidos por gerações e a importância destas energias observadas milenarmente por todas as culturas tradicionais do mundo. Busca promover assim o protagonismo das expressões e estéticas negras enquanto divulga a rica e milenar cultura Mandingue.

| Museu Solar da Marquesa. Sábado: 15/10 às 16h.

 

Criança que canta também dança

Linguagem: Música

Público: Infantil

Show tradicionalmente popular com canções destinadas ao público infantil. Côco, samba-reggae, maxixe, ciranda, baião, carimbó, xote, frevo e caboclinho são os ritmos que integram as composições de Hilda Maria inspiradas em escritos de Manoel de Barros, em mitos folclóricos brasileiros e até na grande Margareth Menezes. As coreografias criadas por Letícia Vaz, também conduzem o show como um convite às crianças para dançarem e aprenderem um pouco mais sobre cultura brasileira de forma simples e animada. Um show interativo para se divertir, aprender e gastar muita energia.

| Casa de Cultura Vila Guilherme. Sábado: 01/10 às 17h.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Terça: 04/10 às 10h.

 

Planta e Raiz

Linguagem: Música

Público: Jovens, adultos

Planta & Raiz é uma banda de reggae formada em 1998 e começou a carreira apresentando-se em feiras, casas noturnas e bares na capital e no litoral paulista, tocando covers de Bob Marley, Gilberto Gil e Edson Gomes. Em 2001, no palco da Via Funchal, fizeram o show de abertura para a banda que consagrou Bob Marley, The Wailers para uma plateia de 7000 espectadores em São Paulo. Em 2005, lançaram um DVD ao vivo. Em toda carreira venderam mais de 500 mil cópias. Formado por Zeider Pires (voz), Franja (guitarra), Fernandinho (guitarra), Samambaia (baixo) e Juliano (bateria), e inúmeros hits, o Planta & Raiz possui 12 álbuns lançados e se prepara para o lançamento de um novo EP, que deverá conter 5 singles inéditos.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Domingo: 09/10 às 20h.

 

O Descotidiano

Linguagem: Circo

Público: Adulto

Em uma casa de poucos móveis e sentimentos, habita um personagem por vezes estressado e por outras fadigado pela rotina imposta pela vida. Este ser excêntrico e solitário busca através da desconstrução de seu cotidiano uma motivação para sorrir. Muitas vezes comandando os objetos a sua volta e muitas outras sendo comandado, o personagem se coloca em enroscos e acaba vivendo situações surreais. Manipulando objetos do cotidiano que vão de colheres e livros, passando por xícaras, vassouras e pás de lixo, além de objetos clássicos do malabarismo como bolas e o malabarismo de contato.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. Quarta: 12/10 às 18h.

 

Jota Pé

Linguagem: Música

Público: Família

Cantautor paulistano Jota.pê iniciou sua carreira em 2015. Suas composições recebem fortes influências musicais que vão de Jorge Ben a Caetano Veloso, passando pelo manguebeat de Chico Science. Em 2015 lançou seu primeiro álbum “Crônicas de um Sonhador”.Já se apresentou em importantes palcos da cena nacional como TEDx, Memorial da América Latina Rio2C, Show Livre entre outros. Seu mais novo e recente trabalho é o EP “Garoa” com produção de Lucas Mayer e participação de grandes músicos como Marcelo Mariano e Kabé Pinheiro. Seu lançamento teve início em 2020 onde o artista lançou uma música por vez, e em 2021 o EP Completo com todas as músicas que compõem o álbum. Com a volta dos shows presenciais, Garoa inicia em 2021 uma série de Shows já passando por São Paulo Capital e São José dos Campos.

| Centro Cultural Vila Itororó. Domingo: 23/10 às 17h.

 

Elas entre Elas

Linguagem: música, dança, teatro, sarau

Público principal: Jovens, adultos

Elas entre Elas, trata-se de intervenção artística especialmente criada pela renomada diretora Eliana Monteiro do Teatro da Vertigem. Elas entre Elas não se trata de uma simples apresentação teatral, mas sim de uma grande intervenção gerando um lugar de experiência no público presente. Para realizar essa grande intervenção, Eliana Monteiro do Teatro da Vertigem convidou as artistas performers para compor o seu elenco, sendo elas: Dione Carlos, Tenca Silva, EliseteJeremias, Aline Santini, Gabriela Gonçalves, Lucienne Guedes, Mawusi Tulani, Jéssica Nascimento, Bruna Menezes, Claudia Schapira. O projeto tem como foco a invisibilidade das mulheres nas artes, principalmente em setores técnicos, resultado de uma estrutura social patriarcal e em muitos casos a predominância masculina em alguns setores. A Intervenção é composta por uma série de ações. Durante a semana teremos a intervenção cenográfica que acontecerá durante 6 dias no equipamento cultural, a intervenção cenográfica traz elementos das peças e da trajetória de Eliana Monteiro e outras artistas. Além disso a intervenção contará com outras ações, como: Performance audiovisual onde uma convidada falará sobre suas vivências na arte, também acontecerá um encontro aberto ao público numa performance narrativa onde podemos ouvir e falar sobre histórias e trajetórias nas artes. Teremos duas vivências abertas ao público com focos diferentes, uma vivência será dramatúrgica com o foco na escrita automática dentro da arte e como o corpo que participa se escreve e se insere nesse universo e a outra vivência será performática levando pra cena as palavras ditas em um papel, levando o corpo como resultado do jogo, gerando troca, gerando fala. E para finalizar a intervenção teremos uma intervenção performática que será apresentada para o público presente trazendo elementos de tudo que aconteceu durante a cena, trazendo para elas a voz que um dia foi amputada, silenciada, a performance será aberta ao público para que o mesmo possa participar, para que sejamos arte coral, arte que ecoa.

| Centro Cultural CC Santo Amaro. 11 a 16/10.

| Museu Chácara Lane. 25 a 30/10.

| Museu Casa Modernista. 27 a 01/10.