Agosto Indígena: Confira a programação

Secretaria Municipal de Cultura promove atividades do Agosto Indígena no Centro Cultural da Penha e no Centro Cultural Tendal da Lapa

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, anuncia a programação do Agosto Indígena. Com apresentações no Centro Cultural da Penha, Centro Cultural Tendal da Lapa e Casas de Cultura, a iniciativa traz a arte de diversos povos indígenas brasileiros, com exibições de cinema, shows e apresentações de dança e cantos, a partir do dia 9, data na qual é celebrada o Dia Internacional dos Povos Indígenas. 

No Centro Cultural da Penha, acontece a exibição gratuita de filmes da Mostra Ecofalante: são três curta-metragens “Tapajós Ameaçado” (dia 9), “Yaõkwa - Imagem e Memória” (dia 10) e “Osiba Kangamuke - Vamos lá, Criançada” (dia 11) e o longa-metragem “A Mãe de Todas as Lutas” (dia 13). Entre os dias 9 e 13, o grupo Fulni-ô Yamititkwa Sato apresenta as danças e cantos da língua Yathê na frente do centro cultural.

Já no Tendal da Lapa, no dia 21, o rap guarani e cantorias tradicionais guarani ganham o palco com apresentação de Owerá, Pará Retê e DJ Tupã.

Confira a programação completa:

 

ECOFALANTE

Cinema

A partir das 14h | Filmes “Tapajós Ameaçado”, “Yaõkwa - Imagem e Memória” e “Osiba Kangamuke - Vamos lá, Criançada”

Dia 13, Às 19h30 | Filme “A Mãe de Todas as Lutas”

Exibição de filmes sobre a cultura indigena dentro do Agosto Indígena.

| Centro Cultural Penha - Espaço Mário Zan. 9, 10 e 11/08. Livre.

 

Grupo Fulni-ô Yamititkwa Sato

Cultura indígena

Em comemoração ao dia dos povos indígenas acontecerão danças e cantos da língua Yathê, além de pintura corporal com urucum e jenipapo e artesanato de palha do Ouricuri.

| Centro Cultural Penha - Frente do CCSP. 9, 11, 12 e 13/08. Terça, quinta e sexta, às 14h30, e sábado, às 14h. Livre. 90 minutos. 

 

Show Cantorias Tradicionais Guarani - Owerá

Música

Apresentação musical de cantorias tradicionais guarani com Owerá, Pará Retê e DJ Tupã. Nesta apresentação, o rapper Owerá e o DJ Tupã também vão trazer o rap guarani para a cena como representatividade indígena.

| Centro Cultural Tendal da Lapa. 21/08 às 17h. Livre. 50 minutos. 

 

Curumierê - Principia, um canto pela educação - Cultura Popular e Tradicional

As músicas brincantes sobre as raízes africanas são a forma criativa, o que estimula a retenção do conhecimento. A musicalidade a Xangô, Ossaim, Iemanjá, Iansã são apresentadas ao público, mas o quê os orixás tem a ver com os indígenas? São os espíritos indígenas, os mensageiros dos orixás. Porque os orixás não chegam na Umbanda, eles são da Nação Afro, então os caboclos são mensageiros dos orixás.

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. 03/08 às 14h. Livre. Grátis. 45 minutos.

 

Sarau Museu do Inusitado + Documentário sobre Vivências Da Aldeia Takua Ju Mirim e Irexakã - Sarau

O Sarau Museu do Inusitado + Documentário sobre Vivências Da Aldeia Takua Ju Mirim e Irexakã é um encontro multi-artístico e cultural em formato de Sarau, tendo seu foco na integração de linguagens, nas trocas artísticas plásticas, na arte corporal e na música. Buscando uma experimentação livre com conexão das pesquisas artísticas ditas eruditas contemporâneas com a arte periférica e tradicional, proporcionando um fazer vivo da arte.

| Online no Facebook da Casa de Cultura de Parelheiros. 06/08 às 16h. 12 anos. Grátis. 90 minutos.

 

Vivência de Cantos Sagrados - Cultura Popular e Tradicional

Vivência de Cantos com grupo de artes Dyroá Bayá da Etnia Tariano com seu local de origem de Iauaretê, que fica localizado no Amazonas. Nesta vivência de cantos promove um momento de partilha com os participantes de forma tradicional com uma canção para que eles ouçam e sintam a força de cada palavra dentro da música. No segundo momento o público é convidado para cantar junto com o grupo. Vale ressaltar que essas canções é um modo dos indígenas do alto rio negro a entrar em contato com os seus ancestrais.

| Casa de Cultura São Miguel. 06/08 às 16h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

WorkShop: O Poder da Natureza sobre o Auto Conhecimento

Para introduzir esta apresentação é necessário abordarmos um pouco da história de nosso povo e de nosso país, ressaltar a importância sobre a maneira que vivem, tradições e a evolução dos povos indígenas, a influência e o poder que todo esse conhecimento ancestral tem sobre nosso planeta nos tempos atuais.

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. 10/08 às 10h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Nasci Fulni-ô, a etnia que resiste por sua oralidade.

A intervenção propõe um momento de convívio por meio da apresentação da cultura indígena e suas lutas. O Grupo Yamititkwa Sato da etnia Fulni-ô é considerado um dos povos indígenas do nordeste com maior resistência às modificações de sua cultura, pois conseguiram preservar e transmitir às futuras gerações seu idioma materno, o Yaathe que significa nossa boca, nossa fala. Nesta ocasião apresentam seu modo de ser, suas visões de sociedade e como é o dia a dia na aldeia onde moram.

| Casa de Cultura Hip Hop Leste. 10/08 às 14h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

WorkShop: O Poder da Natureza sobre o Autoconhecimento - Intervenção Artística

Para introduzir esta apresentação é necessário abordarmos um pouco da história de nosso povo e de nosso país, ressaltar a importância sobre a maneira que vivem, tradições e a evolução dos povos indígenas, a influência e o poder que todo esse conhecimento ancestral tem sobre nosso planeta nos tempos atuais.

E para trazer esse conhecimento e sabedoria de uma forma ainda mais intensa, vivenciar um pouco da força de suas cantigas ancestrais, o poder que a reza, a música, e sua espiritualidade tem sobre nosso corpo físico e mental.

| Casa de Cultura Guaianases. 11/08 às 14h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Vivência de Cantos Sagrados - Cultura Popular e Tradicional

Vivência de Cantos com o grupo de artes “Dyroá Bayá” da etnia Tariano com seu local de origem de Iauaretê que fica localizado no Amazonas, promove um momento de partilha com os participantes de forma tradicional, com uma canção para que eles ouçam e sintam a força de cada palavra dentro da música. No segundo momento o público é convidado para cantar junto com o grupo. Vale ressaltar que essas canções são um modo dos indígenas do alto do rio negro entrar em contato com os seus ancestrais.

| Casa de Cultura Vila Guilherme - Casarão. 11/08 às 18h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Grupo Indígena Xeketé apresenta "Filhos Dessa Terra" - Artes Manuais

Feira de Artesanato com Produtos Indígenas, na praça Silva Teles e Apresentações Artísticas com o Grupo XEKETÉ de Canto e Danças Indígenas.

| Casa de Cultura Itaim Paulista. 13/08 às 10h. Livre. Grátis. 300 minutos.

 

Vivência de Cânticos Indígenas - Cultura Popular e Tradicional

Vivência de Cantos com grupo de artes Dyroá Bayá da Etnia Tariano com seu local de origem de Iauaretê, que fica localizado no Amazonas. Nesta vivência de cantos promove um momento de partilha com os participantes de forma tradicional com uma canção para que eles ouçam e sintam a força de cada palavra dentro da música. No segundo momento o público é convidado para cantar junto com o grupo. Vale ressaltar que essas canções é um modo dos indígenas do alto rio negro a entrar em contato com os seus ancestrais.

| Casa de Cultura Hip Hop Sul. 13/08 às 14h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Vivência de Cantos Sagrados - Cultura Popular e Tradicional

Vivência de Cantos com grupo de artes Dyroá Bayá da Etnia Tariano com seu local de origem de Iauaretê, que fica localizado no Amazonas. Nesta vivência de cantos promove um momento de partilha com os participantes de forma tradicional com uma canção para que eles ouçam e sintam a força de cada palavra dentro da música. No segundo momento o público é convidado para cantar junto com o grupo. Vale ressaltar que essas canções é um modo dos indígenas do alto rio negro a entrar em contato com os seus ancestrais.

| Casa de Cultura Raul Seixas. 18/08 às 10h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Menina Japinim - Contação de Histórias

Brincando de ser Menina Japinim, as narradoras se revezam nessa brincadeira, contando as aventuras vividas por uma criança indígena que, certa vez, saiu de sua aldeia e voou para paisagens desconhecidas. O Coletivo Cafuzas convida o público a trilhar esse percurso cheio de descobertas. Esta apresentação é baseada no livro “Menina Japinim”, de Ana Miranda.

| Casa de Cultura Campo Limpo. 18/08 às 14h. Primeira infância. Grátis. 60 minutos.

 

Dança do Toré - Cultura Popular e Tradicional

A Dança do Toré é uma demonstração dos costumes e danças da comunidade indígena de Originários Karibokas.

| Casa de Cultura Júlio Guerra. 18/08 às 16h. Livre. Grátis. 60 minutos.

 

Toré com Sabuká Kariri - Xocó - Cultura Popular e Tradicional

O grupo Sabuká convida a todos para que, através de cantos e seus significados, possam estar juntos honrando a memória e o contexto atual dos povos originários brasileiros. O Toré é um conjunto de cantos indígenas que expressa os acontecimentos históricos e culturais apresentando em forma de arte os fenômenos naturais do universo indigena.

| Casa de Cultura Raul Seixas. 20/08 às 15h. Livre. Grátis. 60 minutos.