Teatro e Dança nas Bibliotecas

Teatro O Velho dos Sonhos, Hugo Pussolo e Dança Nômades Viajantes são os espetáculos de setembro nas bibliotecas públicas de bairro.

O Velho dos Sonhos

O Velho dos Sonhos
Classificação indicativa: Livre | Duração: 50 min.
O vento vem de algum lugar e traz histórias de contar... Ninguém, no mundo, conhece tantas histórias como o Velho dos Sonhos. À noite, ele abre a porta de mansinho e joga doce de leite nos olhos das crianças, para que não possam mantê-los abertos, nem vê-lo. Ele vai por trás delas e sopra em seus pescoços de tal forma, que as cabecinhas vão ficando pesadas e quando as crianças já estão em suas caminhas, conta-lhes suas histórias. Durante uma semana inteira, ele foi, todas as noites, ver um menino e lhe contou uma história por noite. São sete histórias, pois, como todos sabem, a semana tem sete dias. O Patinho Feio, A Vendedora de Fósforos, A Pequena Sereia, O Soldadinho de Chumbo são alguns dos contos que o vento conta, e sem avisar soprará ao público as mais divertidas maravilhosas aventuras que formam a história do maior contador de histórias – Hans Christian Andersen.
Dia 6 de setembro às 11h - Biblioteca Vicente Paulo Guimarães
Dia 13 de setembro às 10h - Biblioteca Prefeito Prestes Maia
Dia 18 de setembro às 10h - Biblioteca Malba Tahan
Dia 19 de setembro às 14h - Biblioteca Álvares de Azevedo

Hugo Pussolo

Hugo Pussolo
Classificação indicativa: Livre | Duração: 50 min.
Dramaturgia AnarCoCômica
Uma mostra da obra teatral do autor e diretor Hugo Possolo, dos Parlapatões, chega às Bibliotecas da cidade de São Paulo. São leituras dramáticas, realizadas pelos atores grupo teatral, sob direção de Camila Turim. Serão 10 textos lidos em 07 diferentes bibliotecas municipais. Ao final de cada leitura será realizado um bate-papo com o autor.
Os textos transitam pelo humor e trazem um espírito anárquico, características do parlapatão Possolo, que definem boa parte do estilo do grupo. O projeto fazendo faz parte das atividades do Programa de Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo. Seu objetivo é fazer um panorama da literatura dramática de um autor contemporâneo para estabelecer maiores vínculos com o público e aprofundar os debates em torno de sua obra.


Os Mané
Os Mané nasceu como parte da experimentação dramatúrgica realizada no Projeto Pantagruel. Estreou em 99 e ficou em cartaz oito meses na Sala Repertório do TBC. Uma comédia que brinca com o tempo, contando a história de três homens comuns que são colocados à parte da história pelas diversidades de sua época. Um texto que coloca em confronto três períodos diferentes da história da humanidade, cujos valores mesquinhos não se modificaram o suficiente, deixando que os três personagens, todos de nome Manuel, se sentissem sempre tratados como verdadeiros idiotas, enfim, verdadeiros “manés”.
Doce Axioma
Em 2010, para o DramaMix das Satyrianas, os Parlapatões encenaram Doce Axioma, peça que, durante a campanha eleitoral para presidente, visava debater a legalização do aborto no Brasil e o assédio sexual, especialmente, em relação de poder e em diferentes gerações. Ana, uma jovem de classe média, é seduzida pelo seu professor, Miranda. Ela fica grávida e, mesmo em conflito com sua melhor amiga, Lela, decidem fazer um aborto. Uma peça curta que aborda temas delicados, questionando poeticamente importantes problemas contemporâneos.
Dia 27 de setembro às 10h - Biblioteca Alceu Amoroso Lima

Nóis otários[s] é uma peça que foi encenada em 2012, cuja narrativa anárquica discute a corrupção do Brasil, por meio de hipérboles e situações cômicas insólitas. Luiz Carlos, o otário da história, é envolvido num grande imbróglio. O Senador Laudemar se vê obrigado a fazer um projeto de lei, cujas regras tratam da altura do cidadão para usar um equipamento voltado a crianças, o que gera insatisfação em Macedinho, anão e presidente de uma ONG. Por causa de um erro de Sidney, assessor do Senador, documentos comprometedores vão parar nas mãos de Luiz Carlos. Sidney tenta dar um susto em Luiz Carlos e, sem querer, mata Macedinho. O agente federal Guto, que investiga o Senador, consegue os documentos. Uma CPI é instalada, mas o Senador e outros envolvidos passam ilesos, enquanto Luiz Carlos vê sua vida arruinada.
Os Escafandristas
Peça escrita em 2012 para DramaMix das Satyrianas. Tudo começa em uma ambiente completamente destruído que, aos poucos se revela um cinema. Seu Arthur é um velho projecionista que viveu os dias de glória e glamour de um importante cinema do centro paulistano que entrou em total decadência e hoje exibe filmes pornôs e é local de prostituição. Ele encontra Michel, jovem que estava ali para aprender e ser seu substituto, também sobrevivente desse acidente, que imaginam ter sido uma explosão ou terremoto, pela força e impacto que sentiram. Esperançosos pela chegada de ajuda revelam suas histórias e sonhos, ligados às imagens dos filmes que ali passaram. Até que encontram uma outra sobrevivente, Paula, uma travesti que ali se prostituía. A esperança de todos vai se transformando em desespero os levando a refletir sobre o sentido de suas vidas.
Dia 28 de setembro às 15h - Biblioteca Álvaro Guerra

A Meia Hora de Abelardo
A Meia Hora de Abelardo foi escrita em 2003 para a Mostra de Dramturgia do SESI, encabeçada pelo ator Renato Borghi, a peça visa discutir as relações dos artistas de teatro com a imprensa Mostra os supostos últimos trinta minutos na vida de Gabriel Cruz, um ator decadente. Gabriel já não é mais chamado por esse nome, mas por Abelardo, personagem que interpretou na novela Baile de Máscaras. No enredo da novela, a personagem era um vilão que matava mulheres depois de convencê-las a dançar mascaradas. Na vida real, fracassado e há muitos anos esquecido, Gabriel/Abelardo tem a chance de dar uma entrevista para um conceituado jornal. Tudo se transforma numa melancólica e triste desventura.
Os Bobos
Escrita em 2007, para o ciclo de dramaturgia Comédia do Avesso, Avesso da Comédia, dos Parlapatões. Traz a visita do comediante mais famoso do país, Dodi, que acaba de lançar seu Talk Show, ao presidente da República, muito orgulhoso por ter obtido expressiva votação. A intimidade dos dois é interrompida pelo garçom, um homem invisível socialmente, sem nome, que durante anos serve as autoridades. Ele é solicitado pelos dois poderosos a dar opiniões sobre as decisões que pretendem tomar e se recusa a fazer. Os dois, indignados, reavaliam seus entendimentos sobre o poder que têm, mas demonstram que estão cegos para realidade.
Dia 29 de setembro às 11h - Biblioteca Mário Schenberg

Nômades Viajantes

Nômades Viajantes
Classificação Indicativa: Livre | Duração: 40 min.
O Grupo de dança “Identidade Em Movimento” apresenta o seu mais novo espetáculo. Explorando a ideia dos sentimentos que perpassam as fases da vida do nascimento até a morte, mesclados com o conceito de nomadismo da busca por territórios, o grupo mistura-se ao público em suas apresentações.
Dia 5 de setembro às 14h30 - Biblioteca Raimundo de Menezes
Dia 8 de setembro às 14h - Biblioteca Camila Cerqueira César
Dia 9 de setembro às 11h - Biblioteca Nuto Sant’Anna
Dia 12 de setembro às 15h - Biblioteca Chácara do Castelo
Dia 13 de setembro às 14h - Biblioteca Pedro Nava
Dia 14 de setembro às 15h - Biblioteca Castro Alves
Dia 15 de setembro às 11h - Biblioteca Jovina Rocha Álvares Pessoa
Dia 19 de setembro às 14h - Biblioteca Helena Silveira
Dia 20 de setembro às 10h - Biblioteca Aureliano Leite
Dia 21 de setembro às 13h - Biblioteca Vicente de Carvalho
Dia 29 de setembro às 11h - Biblioteca Gilberto Freyre
Dia 30 de setembro às 11h - Biblioteca Clarice Lispector