Biografia de Maria José Fleury Monteiro - Sra. Leandro Dupré (ex-patronesse)

Ex-patronesse da Biblioteca Infanto-Juvenil Sra. Leandro Dupré (Biblioteca Infanto-Juvenil do Centro Cultural da Penha) que foi unificada com a Biblioteca Pública Guilherme de Almeida, sob a denominação de Biblioteca Municipal José Paulo Paes.

Maria José Dupré - https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Jos%C3%A9_Dupr%C3%A9Maria José Fleury Monteiro, que também utilizou o pseudônimo Sra. Leandro Dupré,
nasceu em 1º de maio de 1898 na fazendo Bela Vista em Botucatu, São Paulo, hoje município de Ribeirão Claro no Paraná (divisa entre os dois estados), filha de Antônio Lopes de Oliveira Monteiro e de Rosa de Barros Fleury Cardoso. Foi alfabetizada pela mãe e pelo seu irmão mais velho.

Mudou-se para a cidade de São Paulo, onde cursou a Escola Normal Caetano de Campos, formando-se professora. Sua vida na literatura começa após se casar com o engenheiro Leandro Dupré, quando adotou seu pseudônimo.

Em 1939 publicou o conto Meninas tristes, no suplemento literário do jornal O Estado de S. Paulo, com o pseudônimo de Mary Joseph, incentivada pelo esposo, que dizia que suas narrativas eram "contos orais" que mereciam ser escritos.
Teve sua primeira obra literária publicada em 1941, intitulada O Romance de Teresa Bernard. Dois anos após publicou Éramos Seis, que veio a receber o prêmio Raul Pompéia, da Academia Brasileira de Letras.

Em 1943, Dupré começa a publicar obras infantis, como Aventuras de Vera, Lúcia, Pingo e Pipoca, também premiado pela ABL. As obras destinadas ao público infantil ganharam destaque com a série que narra as aventuras do Cachorrinho Samba, entre os quais O Cachorrinho Samba na Rússia, que recebeu o Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro. Teve traduzidos para outros idiomas os livros Eramos seis, Gina e Os Rodriguez.
Dupré foi membro diretivo da Sociedade Paulista de Escritores, vice-presidente da Creche Baronesa de Limeira e da entidade beneficente Gota de Leite, trabalhos que, se não necessariamente feministas, capitaneavam nos estados brasileiros dos anos 1930-40 a luta pelas conquistas femininas.

Obras: A Casa do Ódio (contos 1951), O Romance de Teresa Bernard (1941), Éramos Seis (1943), Luz e Sombra (1944), Gina (1945), Os Rodriguez (1946), Dona Lola (1949), Vila Soledade (1953), Angélica (1955), Menina Isabel (1965), Os Caminhos (1969), Aventuras de Vera, Lucia, Pingo e Pipoca (1943), A Ilha Perdida (1945), A Montanha Encantada (1945), A Mina de Ouro (1946), O Cachorrinho Samba (1949), O Cachorrinho Samba na Floresta (1950), O Cachorrinho Samba na Bahia (1957), O Cachorrinho Samba na Fazenda Maristela (1962), O Cachorrinho Samba na Rússia (1963), O Cachorrinho Samba Entre os Índios (1966), Roteiro: Apassionata (1952) (com Guilherme de Almeida).

Veja a biografia completa de Maria José Dupré na Wikipedia em https://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_Jos%C3%A9_Dupr%C3%A9

Observação: A Biblioteca Infanto-Juvenil Sra. Leandro Dupré foi unificada com a Biblioteca Pública Guilherme de Almeida, sob a nova denominação de Biblioteca Municipal José Paulo Paes.

Biblioteca Sra. Leandro Dupré - Biblioteca Infanto-Juvenil Penha de França - Ramal 23
Criação: Decreto nº. 8.746 de 7 de abril de 1970 (pdf) (Biblioteca Infanto-Juvenil do Centro Cultural da Penha). Denominação: Decreto nº. 24.942 de 16 de novembro de 1987 (pdf)
Junção e nova denominação: Decreto nº. 46.434 de 6 de outubro de 2005 (pdf) (Biblioteca Municipal José Paulo Paes) (Art.29 : Ficam reunidas, sob a mesma direção e local, as seguintes bibliotecas integrantes do Sistema Municipal de Bibliotecas: V - Biblioteca Pública Guilherme de Almeida e Biblioteca Infanto-Juvenil Sra. Leandro Dupré, na Penha, sob a denominação de Biblioteca Municipal José Paulo Paes)