14/07/2017 11h57

Share

Rede Metropolitana de Banco de Alimentos já conta com oito cidades

Projeto encampado pela Prefeitura de São Paulo articula municípios da região metropolitana e garante assistência alimentar para população em vulnerabilidade social.

 A Prefeitura de São Paulo coordena, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), a inciativa “Rede Metropolitana de Banco de Alimentos”, que consiste na articulação de diversos municípios que tem uma característica em comum: a operacionalização de Bancos de Alimentos. Os Bancos de Alimentos são equipamentos que tem dois grandes objetivos: minimizar o desperdício de alimentos por meio da captação junto aos mercados, redes varejistas, etc. e fornecer esses alimentos às pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Compõem a rede São Paulo, Guarulhos, Osasco, Mauá, Embu das Artes, São Bernardo do Campo, Diadema, Jandira e Suzano. Juntos, os municípios atendem mais de 26 mil famílias, estimando-se que ultrapasse o número 106 mil pessoas atendidas, que se encontram em situação de vulnerabilidade social e são diretamente beneficiadas por seus respectivos Bancos.

O objetivo principal da rede é efetivar a cooperação entre os partícipes no que diz respeito à captação e distribuição de doações, troca de experiências no âmbito operacional dos Bancos e do Programa Nacional de Aquisição de Alimentos (PAA), intercâmbio de conhecimentos e experiências em ações de Segurança Alimentar e Nutricional buscando, assim, fomentar e aprimorar as ações nessa temática.

O Programa Nacional de Aquisição de Alimentos visa fortalecer a Agricultura Familiar e garantir acesso aos alimentos saudáveis à população em vulnerabilidade social. Por intermédio do Programa, o governo adquire os alimentos dos agricultores familiares, assentados da reforma agrária, comunidades indígenas e demais povos e comunidades tradicionais e os distribui à população mais vulnerável economicamente.

No primeiro semestre de 2017, a Rede Metropolitana de Bancos de Alimentos reuniu-se sete vezes para debater o escopo de sua atuação. As reuniões têm ocorrido de forma itinerante, ou seja, cada reunião é feita numa cidade, o que permite o conhecimento das diferentes realidades do funcionamento dos Bancos e, assim, permite a troca de experiências e discussão de aperfeiçoamento de determinadas situações.

Ainda no intuito de contabilizar as atividades da Rede, foram realizadas 19 doações de alimentos e produtos alimentícios (melancia, abacate, caqui, suco em pó, carne desidratada, iogurte, entre outros), totalizando cerca de 45.700 quilos de alimentos repassados às famílias das diferentes cidades envolvidas.

Desafios - A Rede tem trabalhado na sua consolidação, em pontos cruciais que se apresentam como grandes desafios: mobilização de outros municípios para que se integrem à Rede; critérios mais claros para os repasses de doações entre as cidades; estabelecimentos de indicadores de monitoramento das doações e efetividade das ações; entre outros. Desafios que estão na agenda de discussão dos membros para que sejam pensadas coletivamente soluções criativas e de longo prazo.

Para aprofundamento das atividades da Rede, as cidades participantes projetam para os próximos meses a realização de atividades de formação, na qual participam técnicos e sociedade civil; atividades para discutir o processo de articulação de novos parceiros para a captação de doação; e discussão de possibilidades de pactuação de agendas de ações entre as cidades.

Informações adicionais no Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional da Vila Maria pelo telefone 2967-0755.

 

 

Siga a SMTE nas redes sociais