Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo

Prestadores de serviço articulam criação de Rede de Economia Solidária no Cambuci

Foto: EcosolSP (divulgação)

Aconteceu, na última quarta-feira, 22, na Incubadora Pública de Empreendimentos Econômicos Solidários, a primeira reunião de empreendedores interessados na criação de uma Rede de Produção e Prestação de Serviços. A convocação foi feita pela equipe do “Economia Solidária SP como Estratégia de Desenvolvimento”, projeto da Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE) em parceria com a Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol Brasil).

A ação foi iniciada em 2014 com a proposta de consolidar uma Política Pública de Economia Solidária no município, pautada na oferta de incubação e assessoria a coletivos e redes de empreendedores populares em áreas como costura, alimentação e artesanato. O encontro lotou o auditório do equipamento público reunindo mais de 60 prestadores de serviços em áreas como design, construção civil, consultoria em previdência, arquitetura, assistência ao parto e hospedagem de sites.

Após uma rodada de apresentações, os participantes puderam conhecer mais sobre o funcionamento de uma rede solidária, ouvindo integrantes de ações apoiadas pelo projeto. A empreendedora Elaine Souza, da União dos Sabores Solidários, destacou que a rede de alimentação foi criada a partir de uma reunião como aquela e que fazer parte da iniciativa possibilitou a sua participação em editais públicos e no atendimento a demandas maiores: “Conseguimos participar de eventos de longa duração que eu, sozinha, não conseguiria realizar. Começamos com 40 pessoas, hoje somos 100”.

Foto: EcosolSP (divulgação)

A designer Lena Amano, da Costura Solidária SP, contou que a rede teve início em 2015, momento em que mobilizaram empreendimentos e planejaram o seu funcionamento. “No ano passado, colocamos nosso plano em execução, atendendo mais demandas e participando de oficinas de criação de produtos como ecobags e mochilas”.

Durante o encontro, a educadora social Elisangela Soares explicou que a criação de uma Rede de Produção e Prestação de Serviços é uma boa oportunidade para interligar as iniciativas já apoiadas pelo projeto: “A ideia é unir saberes aproveitando brechas que existem no mercado. Por exemplo, às vezes, a rede de costura recebe demanda de determinada produção, mas não conhecemos nenhum empreendimento que a produza. A criação de uma rede de prestadores de serviços potencializaria oportunidades de trabalho e geração de renda”, explica.

O técnico de suporte em TI Everton Soares, também interessado em compor a Rede, acredita justamente nessa interligação entre os empreendimentos e na troca de serviços. “Desejo contribuir para que o microempreendedor tenha as mesmas oportunidades de serviços digitais que as grandes empresas”.

O próximo encontro de articulação da Rede de Produção e Prestação de Serviços acontecerá no dia 15 de março, às 10h, no auditório da Incubadora Publica de Empreendimentos Econômicos Solidários. O equipamento está localizado na Rua Otto de Alencar, 270, no Cambuci.

Siga a SMTE nas redes sociais