15/07/2013 15h25

Share

Subprefeitura realiza operação de poda de árvores

Preocupada em oferecer melhor qualidade de vida para as pessoas, a Subprefeitura não mede esforços para oferecer um bom trabalho a todos

Imagem do post

A equipe de remoção e poda de áreas verdes da Subprefeitura realiza diariamente esse tipo de operação. Agora foi a vez da Rua Conselheiro Pedro Luiz, no bairro de Santana, receber o serviço.

A arborização é um item muito importante dentro de todo espaço urbano. Os benefícios ambientais proporcionam a diminuição da poluição e a maior permeabilidade do solo. Preocupada em oferecer melhor qualidade de vida para as pessoas, a Subprefeitura não mede esforços para realizar um bom trabalho a todos.

Em alguns casos, a queda pode ser evitada caso a poda aconteça previamente. Além das enchentes, o ataque de cupins, fungos e bactérias, o apodrecimento das raízes - por falta de ar e água devido à impermeabilização do solo - e a poluição, são as causas mais frequentes da queda de árvores.

Caso perceba algumas destas características ou note que a altura da planta está atingindo os cabos de energia elétrica, o morador pode ligar para a central telefônica da Prefeitura, no número 156, ou ir até a sede da Subprefeitura mais próxima da região em que mora.

Registrada a reclamação, a administração pública encaminha um engenheiro agrônomo da Coordenação Geral das Subprefeituras para fazer vistoria. O especialista verifica se a árvore está com alguma doença ou praga e, dependendo da avaliação, solicita a poda ou o corte da planta. Após a autorização da Subprefeitura, o serviço é publicado no Diário Oficial do Município e, dez dias depois, entra no cronograma de serviços do órgão público.

Para manter a árvore saudável o engenheiro agrônomo da Subprefeitura dá uma importante dica: A árvore deve ser mantida em área permeável de no mínimo 60 centímetros de diâmetro ao redor do caule do exemplar arbóreo. Esse procedimento evita que as raízes causem danos nas calçadas e protege a região do colo, pois o contato direto do concreto com o caule causa lesões que são porta de entrada para doenças e, em muitos casos, interrompem a circulação de seiva para as raízes, comprometendo assim a sustentação da árvore.