Share

Histórico

O crescimento e as grandes histórias do Itaim Paulista

A Subprefeitura do Itaim Paulista é cortada por seis córregos no sentido norte –sul que deságuam no rio Tiête, são eles: Itaquera-Itaqueruna, Água Vermelha, Lajeado, Itaim, Tijuco Preto e Três Pontes.
No início do século passado o trabalho das olarias multiplicou-se acompanhando o desenvolvimento da cidade, que consumia cada vez mais materiais de construção, como pedregulhos e areia, extraídos do rio Tietê.
A Chácara das Flores ainda guarda as reminiscências desse tempo: são quatro hectares de terra que abrigam uma das mais antigas olarias do Itaim. Com mais de 70 anos, a antiga olaria, embora já não fabrique tijolos e telhas, continua atraindo a atenção de muitos visitantes. A Chácara, hoje, é um parque que abriga uma grande área verde.
Na região podemos encontrar muitos descendentes de outros paises e regiões do Brasil, que se mudaram para cá em busca de melhores condições de vida.  Depois dos portugueses vieram os italianos, os japoneses e os húngaros. Mais tarde, os migrantes nordestinos, hoje maioria no Itaim.

Uma história nova de crescimento

A região do Itaim começou a receber seus primeiros moradores apenas no final do século18. Com a chegada da Ferrovia Estrada do Norte, antiga Central do Brasil, no século 19, o bairro começou a se desenvolver com as casas surgindo ao longo das margens dos trilhos. Em 1957 o Itaim Paulista ganhou sua primeira paróquia, a de João Batista.
Juntamente com o desenvolvimento econômico, o Itaim conquistou sua emancipação política. Em 1980 a região foi elevada à condição de distrito autônomo, se desmembrando de São Miguel Paulista.

 A Arte do Itaim

No Itaim Paulista a inspiração vem da realidade periférica, com diversos representantes dos mais variados estilos artísticos. A música tem destaque nas ruas do bairro, que conta com talentosos cantores, compositores, instrumentistas e arranjadores.

O teatro e a dança também recebem destaque. A capoeira, movimento de vanguarda difundido há mais de um século, é um dos mais praticados pelos jovens. O hip hop, que agrega os rappers, djs, b.boys, skatistas, grafiteiros e a literatura de periferia, no Itaim Paulista, tem muitos admiradores.
Nos pontos de lazer, a freqüência de público é constante, principalmente aos finais de semana. A população lota os principais equipamentos públicos: os três parques de áreas verdes (Parque Chácara das Flores, Parque Santa Amélia, Parque Chico Mendes), o Clube Escola José Ermírio de Moraes, os dois CEUs, os Centros Desportivos Comunitários (CDCs), a Casa da Cultura e belas e incontáveis  praças distribuídas pelo distrito.