15/02/2011 15h27

Share

Vila Brasilândia ganha novo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas

O CAPS AD II Brasilândia é o 4º do tipo inaugurado na Zona Norte e tem capacidade para realizar até 1.400 atendimentos por mês

Imagem do post

O CAPS AD atende pessoas com transtornos mentais graves e persistentes associados ao uso de álcool e outras drogas. Além de atendimentos individuais, o CAPS trabalha com oficinas terapêuticas, atendimento

O prefeito de São Paulo inaugurou o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD II) Brasilândia nesta terça-feira (15). O novo equipamento é o 22º do tipo na cidade e o 4º da Zona Norte. Com capacidade para realizar 1.400 atendimentos por mês, o CAPS AD II Brasilândia compõe a rede municipal de atenção à saúde mental, que visa diminuir o número de internações psiquiátricas em modelo asilar ou manicomial.

Acompanhado pelo secretário municipal da Saúde, o prefeito conheceu as instalações do CAPS AD II Brasilândia e falou sobre o papel desse equipamento para a cidade: "A importância desta unidade não fica somente no que ela representa para o município de São Paulo, mas pelo conjunto de ações na área da saúde. Temos uma meta bastante ambiciosa de reformar e criar equipamentos. Isso vai melhorar a qualidade do serviço para as pessoas que possuem algum tipo de problema no campo psiquiátrico".

O novo equipamento conta com recepção, sala de espera, banheiro adaptado para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, cozinha, lavanderia, além de farmácia, sala de enfermagem, sala de observação, três consultórios e quatro salas de oficinas terapêuticas. O CAPS AD II Brasilândia tem capacidade para realizar atendimentos nas modalidades intensivo, semi-intensivo, e não intensivo. "Esta unidade faz parte de um trabalho de construção da política de saúde mental. Apesar das dificuldades, a cidade de São Paulo está encarando a epidemia que o problema do álcool e da droga provocam hoje. E, para isso, nós temos contado com a colaboração de toda a comunidade local", afirmou o secretário municipal da Saúde.

Os 52 pacientes que já estão em atendimento são acompanhados por uma equipe multidisciplinar composta por três psiquiatras, três psicólogos, um enfermeiro, dois terapeutas ocupacionais, dois assistentes sociais, cinco auxiliares de enfermagem e um farmacêutico. O equipamento é administrado pela Associação Saúde da Família (ASF) e está em funcionamento desde 17 de janeiro de 2011. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7 às 19 horas, na Rua Olinto Fraga Moreira, 275, Vila Brasilândia.

Sobre os CAPS

O CAPS AD é um serviço da Prefeitura de São Paulo que atende pessoas com transtornos mentais graves e persistentes associados ao uso de álcool e outras drogas. Além de atendimentos individuais (medicamentoso, psicoterápico, de orientação, entre outros), o CAPS trabalha com oficinas terapêuticas, atendimentos em grupo e com visitas domiciliares.

Esses equipamentos seguem a Política Nacional de Saúde Mental, que preconiza a desospitalização e prevê, além de tratamento clínico e psiquiátrico, atividades comunitárias para reintegrar o paciente ao convívio familiar e social. O acompanhamento psicossocial interdisciplinar visa, por exemplo, à reinserção social do paciente no mercado de trabalho, no ambiente escolar e cultural e ao fortalecimento dos laços familiares.

Com a inauguração do CAPS AD II Brasilândia, a população de São Paulo conta com uma rede de 64 CAPS sendo 15 unidades voltadas para o atendimento infantil. O endereço de cada unidade está disponível no site da Prefeitura, na página da Secretaria da Saúde e pelo telefone 156.

Texto: Secom