Laboratório de Controle de Qualidade em Saúde

     O Laboratório de Controle de Qualidade em Saúde (LCQS) desenvolve suas atividades através da realização de análises em amostras de alimentos e água, nas áreas de Microbiologia, Microscopia, Físico-química, Aditivos e Contaminantes, identificando possíveis riscos à saúde pública no amplo contexto da segurança alimentar.
     O LCQS realiza análise laboratorial de amostras oriundas da Secretaria Municipal da Saúde (colhidas durante a inspeção sanitária, envolvidas na investigação de surtos de doenças, ou decorrentes de denúncias ou outros motivos). Também avalia a qualidade de alimentos fornecidos através do Departamento de Alimentação Escolar do município e atende solicitações de outros órgãos públicos.
     Através da realização de projetos e programas, monitora a qualidade de produtos oferecidos à população, visando a preservação e promoção da saúde pública, bem como avalia parâmetros para a verificação dos padrões de identidade e qualidade.
     O LCQS participa do Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental Relacionada à Qualidade da Água para Consumo Humano (VIGIÁGUA), coordenado pela Divisão de Vigilância em Saúde Ambiental do município, realizando ensaios laboratoriais.
     As áreas de abrangência do LCQS são:

  • Microbiologia: realiza análises visando o isolamento e identificação de micro-organismos patogênicos, tais como: Salmonella spp, estafilococos coagulase positiva, clostridio sulfito redutor a 46°C, Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e bactérias do grupo B. cereus. Também são pesquisadas bactérias que, pela presença ou quantidade, indicam as condições higiênicas e/ou sanitárias durante a cadeia produtiva, desde a matéria prima até o consumo, tais como: coliformes totais, coliformes a 45°C (termotolerantes), Enterococos sp e mesófilas.
  • Microscopia: realiza análises em alimentos e água para verificar a presença de matérias estranhas, tais como: fragmentos de pelos de roedor e de inseto, bárbulas de aves, ácaros, objetos rígidos e/ou pontiagudos e outros elementos não pertencentes ao produto. Também são identificadas as estruturas vegetais e fibras musculares próprias da amostra, possibilitando observar fraudes quanto à presença ou não de ingredientes. Tais pesquisas visam assegurar se os produtos atendem as boas práticas ou se apresentam riscos à saúde, em qualquer etapa da cadeia produtiva.
  • Físico-Química: são realizadas análises para a verificação da composição centesimal das amostras, nas quais são medidas as quantidades de proteínas, lipídeos, carboidratos, gorduras, cloretos, açúcares, sólidos solúveis e insolúveis. Além dessas análises são avaliados índices, como: pH, acidez, umidade, densidade, grau brix e grau alcoólico. A interpretação desses resultados consegue orientar desvios de qualidade, além da detecção de fraudes e adulterações. São realizados, também, ensaios para avaliação de potabilidade em amostras de água (cor, odor, turbidez, pH, amônia, nitrato, nitrito, flúor e ferro).
  • Aditivos e contaminantes: são realizadas análises para a pesquisa de aditivos alimentares, como: corantes artificiais, conservadores (nitrato, nitrito, dióxido de enxofre, ácido sórbico e ácido benzóico) e antioxidantes (BHA e galato de propila). Pesquisa-se, também, contaminantes inorgânicos (metais pesados, como: chumbo, cádmio, mercúrio, cromo, cobre, dentre outros), resíduos de pesticidas (aldrin, endossulfam, dicofol, clorpirifos, dimetoato, diazinona e outros) e micotoxinas.

     As metodologias utilizadas nos ensaios analíticos são oficiais e, após a finalização das análises, é emitido laudo técnico, contendo os resultados de todos os exames e a conclusão final, tendo como parâmetro as legislações vigentes.

Atualizado em Setembro de 2015.