Share

RAIVA HUMANA

Orientações à população

RAIVA

A raiva é uma doença primária de animais que pode ser transmitida aos humanos (antropozoonose) pela mordedura, lambedura e arranhadura de animais infectados com o vírus da raiva.

A doença é caracterizada por sintomas neurológicos em animais e seres humanos. O vírus multiplica no local da lesão e migra para o sistema nervoso e a partir daí para diferentes órgãos, principalmente para as glândulas salivares, sendo eliminado pela saliva.

É uma doença grave! Quando o quadro clínico da Raiva é instalado, praticamente, 100% dos casos evoluem para óbito.

 

 ATENÇÃO! VINAGRE E SAL NÃO CURAM O VÍRUS DA RAIVA!

A instalação da doença clínica pode ser prevenida, mesmo em pacientes não imunizados previamente, pelo uso de vacinas e soros. Veja a seguir, como deve ser o tratamento. 

 

COMO DEVE SER O TRATAMENTO  DA PESSOA ACIDENTADA
O tratamento dependerá da espécie de animal envolvida no acidente. O fato do animal ser  ou não vacinado, não interfere na indicação do tratamento.

 

VEJA AQUI COMO PROCEDER EM CASO DE ACIDENTES COM ANIMAIS OBSERVÁVEIS: CÃES E GATOS

 

ANIMAIS NÃO OBSERVÁVEIS: são animais onde a raiva não é bem conhecida e são classificados como animais de risco grave para transmissão da doença. São eles: morcegos, qualquer espécie de micos, macacos, quatis, gambá, raposa, guaxinim, capivaras, cães e gatos mortos, desconhecidos ou desaparecidos.

VEJA AQUI COMO PROCEDER EM CASO DE ACIDENTES COM: 

 

 SAIBA MAIS SOBRE:

A RAIVA NO BRASIL E NO MUNDO

O QUE FAZER COM ANIMAIS MORTOS

 

ATENÇÃO! A indicação da vacina ou soro é uma decisão do médico que atendeu o paciente, após avaliação e análise de critérios de risco. Caso necessário, o médico fará o encaminhamento para uma das unidades de referência que fazem a aplicação.