Share

Vigilância de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis (DANT)

 

A vida em uma metrópole como São Paulo produz um grande impacto no perfil de saúde e doença da população. As formas de organização das sociedades a partir da segunda metade do século XX, em particular nos países em desenvolvimento, têm determinado mudanças nos modos de vida das populações, resultando em aumento da desigualdade social e da violência, desemprego, precarização do trabalho, poluição sonora, do ar e da água, sedentarismo, e alteração dos hábitos de consumo, especialmente de alimentos.

Os fatores e condições que caracterizam este cenário são variados e complexos, podendo gerar estresse, depressão, ansiedade; causar doenças cardíacas e cerebrovasculares (infarto do miocárdio, angina, acidentes vasculares encefálicos/derrames), doenças metabólicas como diabetes, doenças respiratórias (bronquite e asma) além de outras doenças crônicas como os cânceres e a obesidade. Esta situação se expressa em um grande aumento das Doenças e Agravos Não – Transmissíveis (DANT). As DANT são responsáveis por cerca de 80% da mortalidade geral, 63% das internações pagas e 73% dos gastos do SUS por internações de indivíduos residentes do município de São Paulo (Secretaria Municipal da Saúde da Cidade de São Paulo, 2006).

O enfrentamento desses fatores e o combate às iniqüidades em saúde requerem ações coletivas, baseadas em estratégias populacionais, que têm como objetivo a redução da prevalência, da incidência e dos custos relacionados às DANT, assim como intervenções locais e específicas. As DANT estão ligadas diretamente aos determinantes sociais da saúde. A Vigilância em DANT agrega não só ações de competência do setor saúde, como as notificações de violência e acidentes, mas por meio de redes sociais deve atuar em conjunto com outros setores da sociedade (Intersetorialidade).

A equipe de Vigilância de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis do Centro de Controle de Doenças (CCD) da Coordenação de Vigilância em Saúde da Cidade de São Paulo (COVISA) vem construindo nos últimos anos a Vigilância em Saúde para as DANT, baseando-se na análise de dados epidemiológicos, nas diretrizes do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS) e nas pesquisas em serviço da Subgerência de DANT: CAEPS e Painel de Monitoramento.

 

Para abarcar a multiplicidade de fatores que causam Doenças e Agravos Não Transmissíveis, a Subgerência de DANT atua nas seguintes frentes de trabalho:

 

Veja Também

 

Boletim CCD - DANT

 

 

 

 

III Fórum DANT e II Fórum de Violência

 

Almanaque DANT nº07  

Almanaque DANT N° 5 - Janeiro de 2010Almanaque DANT N° 4 - Janeiro de 2008Almanaque DANT N° 3 - Junho de 2007 

 

 

 

 

 

 

 

  Almanaque DANT N° 2 - Dezembro de 2006Almanaque DANT N° 1 - Maio de 2005Almanaque DANT N° 0 - Dezembro de 2004

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boletim de Vigilância de Violências - Dezembro de 2009

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caderno Técnico CAEPS / DANT

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Links úteis:

- Coordenação de Vigilância de Agravos e Doenças Não-Transmissíveis-CGDANT

- Estratégia Global em Alimentação Saúdavel, Atividade Física e Saúde:

- Política Nacional de Promoção da Saúde

- Vigitel 2006- Vigitel 2007

- Vigitel 2008

-ISA Capital

- INCA

- Convenção Quadro para Controle do Tabaco

- Política Nacional de Redução de Morbimortalidade por Acidentes e Violências