Dirofilariose

 


Dirofilaria immitis: parasita adulto no coração de cão

Fonte: www.biosci.ohio-state.edu/~parasite


 

 

 

 

O que é?

Dipetalonema reconditum e Dirofilaria immitis são os filarídeos mais freqüentemente encontrados em cães em nosso meio. A dirofilariose acomete cães e carnívoros silvestres e atualmente é considerada também uma zoonose emergente, visto que há mais de uma centena de descrições de parasitismo humano. O Dipetalonema reconditum parece não causar grandes danos ao hospedeiro, não comprometendo o homem, porém suas microfilárias são semelhantes às de Dirofilaria immitis, podendo ser confundidas e dificultando o diagnóstico diferencial.

 

Transmissão

As microfilárias de Dirofilaria immitis distribuem-se pela circulação, sendo ingeridas por mosquitos ao se alimentarem no animal. Após um período de 10-14 dias de evolução no corpo do mosquito, as microfilárias se transformam em larvas infectantes. Quando estes mosquitos se alimentam em outro animal, as larvas são introduzidas em seu organismo, onde passam a se desenvolver e migram para o coração. Cerca de 29 espécies de mosquitos do gênero Aedes, 12 do gênero Anopheles, 14 do gênero Mansonia e 06 do gênero Culex são responsáveis pela transmissão do parasita (BENGIS, 1975). As microfilárias de Dipetalonema reconditum passam por um processo semelhante, mas o hospedeiro intermediário é a pulga (Ctenocephalides felis) ou o piolho (Heterodoxus spiniger).

 

Diagnóstico Laboratorial

  • Pesquisa Direta do Parasita (método Knott modificado)

Material: sangue com EDTA
Resultado: 24 a 48 horas.
 

Envio Correto de Material

  • Material
    • Sangue colhido com EDTA (3 ml), de preferência no final da tarde.
  • Conservação/Transporte
    • Refrigerado

 

Prevenção

  • Controle de mosquitos com utilização de inseticidas

 

  • Em áreas endêmicas, pode-se prevenir a infecção dos cães por Dirofilaria immitis mediante tratamento destes, antes do início da estação de mosquitos e de forma continua durante dois meses, com a finalidade de destruir as larvas infectantes.

 

Veja também :