Barra de Impressão

Secretaria Municipal da Saúde


  • Início
  • Secretarias
  • Saúde / Saúde da Mulher


    Métodos Anticoncepcionais

    Área Técnica Saúde da Mulher - Atenção Básica

    A escolha do método que melhor se adapte ao corpo e às necessidades da mulher deve ser feita com o auxílio da Equipe da Unidade de Saúde.

    Tabelinha: pode ser usada por mulheres que recebam orientação adequada e conheçam seu ciclo menstrual.

    Método de Billings: indica quando a mulher está fértil pelo muco cervical, devendo evitar relações sexuais neste período.

    Temperatura Basal: indica quando a mulher está fértil pelo gráfico da temperatura do corpo.

    Preservativo Masculino: também conhecido como camisinha ou condom, é usado pelo homem, que coloca no pênis antes da penetração. É um método muito importante pois além de evitar a gravidez indesejada, previne doenças sexualmente transmissíveis (DST).

    Preservativo Feminino: também conhecido como camisinha feminina, é colocada dentro da vagina antes da relação sexual, impedindo que o espermatozóide atinja o útero. Também tem a vantagem de prevenir as doenças sexualmente transmissíveis (DST).

    Diafragma: é uma capinha de silicone que a mulher deve colocar na vagina antes de cada relação sexual, impedindo que o espermatozóide atinja o útero.

    Geléias Espermicidas: são produtos colocados na vagina antes da relação sexual, porém devem ser usados associados com a camisinha ou o diafragma.

    DIU: o Dispositivo intra uterino age dentro do útero, impedindo que ocorra a fecundação.

    Pílula Anticoncepcional: É composta de hormônios que inibem a ovulação. Existem três tipos de pílulas:

    • a pílula combinada: a mulher toma diariamente por 21 ou 24 dias e tem menstruação no período de descanso entre as cartelas;

    • a minipílula: a mulher toma diariamente, sem intervalo entre as cartelas, sendo mais indicada para as mulheres que estão amamentando;

    • contracepção de emergência: também conhecida como pílula do dia seguinte é indicada quando ocorrem relações sexuais desprotegidas, nos casos de falha do método utilizado e após estupro;

    Anticoncepcionais Injetáveis: compostos de hormônios sintéticos. Existem dois tipos de injeções: a mensal, que a mulher toma uma vez por mês e a trimestral, que a mulher toma a cada três meses podendo ficar sem menstruação. Mais indicada para quem está amamentando.

    Outros métodos hormonais disponíveis no mercado:

    • os adesivos que ficam grudados na pele,

    • o anel vaginal que é colocado dentro da vagina e,

    • o implante colocado debaixo da pele do braço.

    Métodos cirúrgicos ou definitivos: impedem o encontro dos espermatozóides com o óvulo. Existem dois métodos:

    • laqueadura ou ligadura de trompas: cirurgia realizada na mulher que necessita de internação hospitalar e anestesia.

    • vasectomia: cirurgia realizada no homem, com anestesia local e não necessita de internação hospitalar.


    Lembretes importantes:

    • Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação da equipe de saúde (Evite a automedicação);

    • Procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência para ter acesso às informações e aos métodos anticoncepcionais e solicite a sua participação nos grupos educativos;

    • Ao prevenir-se de uma gravidez inesperada, previna-se também contra as doenças transmitidas sexualmente;

    • Solicite também informações sobre a prevenção do câncer de colo do útero e de mama.

    Maiores informações: saudedamulher@prefeitura.sp.gov.br

    Veja também


    • Copyright
    • SAC