Share

Prevenção e Tratamento de Úlceras Crônicas e do Pé Diabético - Proibido Feridas

O que é o Programa?

O Programa Proibido Feridas foi criado por uma equipe de SMS para atender todos os pacientes, portadores de úlceras crônicas e do pé diabético de uma forma humanizada e especializada, coordenando políticas, diretrizes, projetos e ações para promoção da saúde da pele, prevenindo, recuperando lesões e reabilitando a forma e as funções da mesma.

Atualmente todas as UBS possuem profissionais da área de enfermagem e médicos capacitados no atendimento deste paciente.

Os profissionais especializados, que se encontram nos Ambulatórios de Especialidades e AMA Especialidades, tais como ortopedista, cirurgião vascular, endocrinologista e dermatologista dão continuidade a este atendimento de acordo com fluxo estabelecido no Protocolo de Feridas, utilizado por toda a rede.

Este Programa também é desenvolvido pelas áreas de atendimento domiciliar (UAD e PRODHOM).

Base legal

Lei Municipal Nº 14.984 de 23 de setembro de 2009 – institui no âmbito do Município de São Paulo o PROGRAMA DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO DAS ÚLCERAS CRÔNICAS E DO PÉ DIABÉTICO, que deve ser desenvolvido na rede pública Municipal de Saúde, pela SMS com a participação da Comissão de Prevenção e Tratamento de Feridas desta instituição.

Ações propostas

Promover estratégia para prevenção, o diagnóstico e o tratamento das úlceras crônicas e das complicações podais.

Implantar serviços de referências para o cuidado avançado das úlceras crônicas e do pé diabético ( Ambulatórios e AMA especialidades).

Estruturar e integrar a rede de cuidados das úlceras crônicas e do pé diabético.
Pactuar fluxo de referência e contra referência entre os diferentes níveis de atenção à saúde.

Ampliar a rede de profissionais treinados para promover cuidados avançados no tema.

Promover educação continuada para todos os profissionais envolvidos no Programa.

Divulgar para toda a rede envolvida, novos conhecimentos técnicos adquiridos em congressos, simpósios e outras atividades científicas.

Produzir estudos clínicos e epidemiológicos a partir do sistema de dados implantado em SMS desde janeiro de 2011.

Conheça mais sobre o Programa