Seu navegador não suporta javascript!
Barra de Impressão

Secretaria Municipal da Saúde


  • Início
  • Secretarias
  • Saúde / Notícias


    14/06/2017 11h06

    Saúde promove ações de prevenção a DSTs na semana que antecede a “Parada”

    Atividades de orientação e distribuição de preservativos fazem parte da programação da Pasta para o evento de domingo (18)

    Na semana que precede a Parada do Orgulho LGBT, programada para o próximo domingo (18), na Avenida Paulista, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de São Paulo promove uma série de ações voltadas à prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e de incentivo ao diagnóstico precoce do HIV, o vírus da Aids.

    Nesta quinta-feira (15), agentes do programa municipal de DST/Aids participam da Feira da Diversidade, no Vale do Anhangabaú. Entre às 10h e 17h, distribuirão 50 mil preservativos, gel lubrificante e material educativo. Na unidade móvel, serão ofertados 150 testes de fluído oral para detecção do HIV. O método dispensa seringas e agulhas e o resultado fica pronto em cerca de 20 minutos.

    Já no sábado (17), serão distribuídos três mil preservativos masculinos, mil femininos e mil sachês de gel lubrificante em ação na 15ª Caminhada de Mulheres Lésbicas e Bissexuais de São Paulo, a partir das 14 horas, na Praça Roosevelt.

    A distribuição de camisinhas e a orientação de profissionais da saúde continuam no domingo (18), durante a Parada, na Avenida Paulista. O evento é organizado pela Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOGLBT SP) e tem apoio da Prefeitura de São Paulo, que irá posicionar, por meio da SMS, duas tendas, das 10h às 16h, para a distribuição de 200 mil preservativos.

    “São Paulo é uma cidade que abraça a diversidade e, neste sentido, a Parada é um evento importante por concentrar um público que vive sua orientação de forma livre. É um momento importante para lembrar as pessoas que esse momento fica ainda melhor se lembrarmos das formas de prevenção”, afirma Maria Cristina Abbate, coordenadora do programa municipal de DST/Aids, além de ressaltar a importância de aproveitar a oportunidade para reforçar as informações de prevenção às DSTs..

    A cidade de São Paulo registrou queda de 36,3% na taxa de detecção de HIV entre 2005 e 2015. A diminuição, no entanto, não deve reduzir a atenção com o vírus. Desde 2011, a proporção de casos de Aids é de três homens para cada mulher, com maior concentração na população masculina mais jovem, de 15 a 29 anos. Entre os homens que fazem sexo com homens (HSH), a notificação passou de 32,5%, em 2005, para 53,2% em 2015 – aumento de 63,7%.

    A rede municipal de saúde de São Paulo possui 26 postos especializados em DST/Aids, que fornecem orientações sobre prevenção, testes de HIV e distribuição gratuita de camisinhas.

    O endereço dos serviços de emergência para os procedimentos de Prevenção Pós Exposição (PEP), fornecidos em caso de exposição a risco de infecção pelo HIV, podem ser encontrados no site http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/servicos/teste_de_aids/index.php?p=222312


    • Copyright
    • SAC