Programa de Doulas Voluntárias da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo

 

Doula: uma palavra que vem do grego “mulher que serve”, atualmente se aplica a mulheres que dão suporte físico e emocional a gestantes durante o pré-parto, parto e pós-parto imediato.

O Ministério da Saúde, por meio da estratégia da Assistência Humanizada à Mulher define Doula como uma mulher treinada para apoiar emocionalmente a gestante, durante todo o processo do parto e incentivando a mesma a participar das decisões aplicadas durante o processo.

Na Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo é regido pela Lei Municipal nº. 16.602 de 23/12/2016. O Programa de Doulas Voluntárias é realizado em parceria com a Atenção Básica - Área Técnica da Saúde da Mulher, Coordenação de Gestão de Pessoas, por meio da Escola Municipal de Saúde e Programa Voluntários da Saúde.

As Doulas terão duas características:

Doula Voluntária: Cadastrada no Sistema de Voluntários - SISVOL da Coordenação de Gestão de Pessoas da Secretaria Municipal da Saúde, capacitada como Doula pela SMS.
Doula Externa: Deverá fazer o cadastro no SISVOL trinta dias antes da data prevista para o parto e providenciar a documentação necessária, acompanhando uma única gestante.

As Doulas devem seguir as normas do Manual do Programa de Doulas Voluntárias e o Fluxo.

 

Considerar as seguintes alterações para o manual, apartir de 17/07/2018

3.5 Estar atuando a no mínimo 90 dias no Programa Voluntários da saúde, devidamente cadastrada no SISVOL.
3.6 Ter a autorização do Coordenador do Voluntariado da unidade, para atuar como Doula
4.12 Cadastro prévio, com trinta dias de antecedência da data prevista para o parto, no Sistema de Voluntários-SISVOL da Coordenação de Gestão de Pessoas da Secretaria Municipal da Saúde
4.8 itens anteriores, com exceção dos itens 3.5 e 3.6”
FLUXO DOULAS VOLUNTÁRIAS - retificação
Gestante e Doula agendam visita no hospital de referência, com 30 dias de antecedência da data prevista para o parto;
 


 

  

Manual do Programa de Doulas Voluntárias