06/01/2014 14h03

Share

Cidade implementa 18 mil novos pontos de iluminação e supera meta para 2013

Programa substituiu 125 mil lâmpadas por novas com maior luminosidade

Imagem do post

A Prefeitura de São Paulo atingiu e superou, no fim de dezembro, a meta traçada para 2013 para o Programa de Remodelação e Eficientização gerido pelo Departamento de Iluminação Pública (Ilume). Até 27 de dezembro de 2013, foram ampliados 18 mil novos pontos de luz e 125 mil lâmpadas de vapor de mercúrio foram substituídas por vapor de sódio, que tem mais luminosidade – 5 mil além da meta traçada. Entre os locais beneficiados estão a Vila Bela, em São Mateus, que permaneceu na escuridão por dez anos. Os novos investimentos causaram redução de 22% nas reclamações sobre problemas de iluminação.

Com o programa, que tem investimentos de R$ 116,3 milhões, a Secretaria Municipal de Serviços também atendeu a uma relação da Polícia Militar, que apontava 643 logradouros que necessitavam de melhoria de iluminação, por conta de maior incidência de crimes. Após mais de 800 vistorias, o Ilume não constatou problemas em 140 delas. Em outras 138 foram realizadas 10 mil manutenções, como troca de lâmpadas queimadas. Em 397 endereços, foram executadas 7 mil remodelações, 113 locais receberam 750 novos pontos de luz e em 53, foram realizados serviços de podas de árvores.No caso da Vila Bela, o local foi contemplado com 421 pontos de iluminação distribuídos em cem ruas, o equivalente a 12 quilômetros de vias, beneficiando 10 mil pessoas.

Em Paraisópolis, a avenida Hebe Camargo, de um quilômetro de extensão, recebeu um novo padrão de iluminação, pedonal, em que as luminárias são posicionadas para favorecer prioritariamente as calçadas. Experiências assim também foram realizadas na Alameda Santos e rua Antônio Carlos, no Jardins, para eliminar pontos escuros causadas pela arborização.

A remodelação e a ampliação da iluminação não ficaram restritas às ruas e avenidas e também beneficiaram praças, como a Mãe Preta, na Vila Curuçá, do Forró, em São Miguel Paulista e do Campo do Torto, em Itaquera. Na Mãe Preta, por exemplo, 400 pontos de iluminação, distribuídos numa área de 5 mil metros quadrados, trazendo conforto para 40 mil pessoas.

Queda nas reclamações

Os novos investimentos causaram redução de 22% nas reclamações sobre problemas de iluminação. Nos casos que exigiram intervenções em até 48 horas, 83% deles foram executados no prazo, enquanto em 2012, foram 67%. Nos casos que necessitavam de até 72 horas, 97% foram concluídos, contra 83% registrados no ano de 2012.

Novas atribuições

A partir de janeiro, o ativo de 9 mil pontos de iluminação da Eletropaulo utilizados na reurbanização de favelas passarão para o controle do Ilume. O departamento será responsável também pela iluminação das passarelas, que hoje, contam com 7,5 mil pontos, que são controlados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), além dos 106 parques.

O projeto é expandir em 2,3 mil novos pontos de iluminação nas passarelas e nos parques, serão ampliados 600 novos pontos, além de 70 remodelações nos locais.

Parcerias

Para modernizar a iluminação pública da cidade, a Prefeitura deverá firmar em 2014, parcerias público-privadas (PPP) para prestação e manutenção do serviço. Chamamento Público atraiu a atenção de mais de 40 empresas, das quais 26 foram autorizadas a apresentar estudos de modernização, otimização, expansão, operação e manutenção da infraestrutura da rede, composta por mais de 560 mil lâmpadas.

Pela parceria, os vencedores ficarão com a arrecadação da Contribuição para custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip), estimada para este ano em R$ 271 milhões. Esse valor é pago pelo contribuinte na conta de luz – R$ 4,44 por residência e R$ 13,99 para imóveis não residenciais.