14/07/2017 14h22

Share

São Paulo ganha terceiro painel do Museu de Arte de Rua (MAR)

O MAR apoia intervenções de grafite em paredes e muros de áreas públicas, com o objetivo de colorir a cidade

A cidade de São Paulo acaba de ganhar o terceiro painel do Museu de Arte de Rua (MAR), que começou a ser pintado no último sábado (8) no Aricanduva, Zona Leste. O local escolhido foram as pilastras do Viaduto Alberto Badra, mais conhecido como Viaduto Aricanduva e que fica na divisa com a Prefeitura Regional Penha.O primeiro mural foi pintado no Tucuruvi, na Zona Norte, e o segundo da série também começou a ser feito em Ermelino Matarazzo.

Os artistas participantes deste novo espaço são Daniel Duarte, Fábio Saturnino da Silva, Felipe Claro dos Santos, Patrick Toledo, César de Melo Ferreira, Ronaldo Angeloantonio, Rafael, Yuski Conesa Imai, Lucas Orosco Saes e Aline Lorenzon. A iniciativa tem patrocínio da Sherwin-Willians.

De acordo com o prefeito regional, Luiz Carlos Frigerio, a iniciativa permite que os diversos artistas do grafite ajudem a coloria estes locais disponibilizados pela nova gestão. “Estamos trabalhando muito, construindo parcerias para melhorarmos a região e manifestações culturais como estas terão sempre o nosso apoio”.

Sobre o projeto MAR
O edital inédito foi lançado em março deste ano, com anúncio dos oito projetos selecionados em 23 de maio. As propostas foram selecionadas pela Secretaria Municipal de Cultura com a ajuda de especialistas e artistas atuantes em diversas vertentes da arte urbana a partir de um edital elaborado. Ao todo, serão investidos R$ 200 mil em oito projetos.
A seleção foi realizada por meio de uma comissão composta por cinco membros: a artista e grafiteira desde 2002, Ana Carolina Meszaros do Amaral Rêgo, conhecida como Tikka Meszaros; Ciro Ernesto Shunemann, artista, pintor e escultor conhecido como Ciro Schu; Donizete de Souza Lima, artista e arte-educador também conhecido como Bonga; Roberto Carlos Madalena, professor com experiência em projetos do terceiro setor e Antonio Eleilson Leite, mestre em Estudos Culturais pela Universidade de São Paulo. O grupo avaliou os 23 projetos inscritos, selecionando oito projetos, sendo quatro em cada módulo previsto no edital.