23/06/2017 17h45

Share

Descarte de entulho está com os dias contados

Ipiranga abre guerra contra o descarte irregular de entulho

O descarte irregular de entulho e lixo é um dos problemas de difícil solução na cidade. A Regional Ipiranga abriu guerra contra os descartadores e caçambeiros irregulares. Em operações conjuntas comandadas pela GCM e com apoio das Polícias Militar, Civil e Ambiental, Defesa Civil, fiscalização da Regional Ipiranga e CET em apenas um mês foram apreendidos três caminhões responsáveis por grandes descartes. A apreensão dos veículos, a prisão dos motoristas e a aplicação de multas de mais de 18 mil reais a cada um reduziram significativamente o volume de descarte feito na região. A Rua Abagiba é um exemplo clássico. Há mais de 20 anos essa rua é um ponto “viciado”. E não adiantava a Prefeitura limpar. Em menos de três horas, a rua estava cheia de entulho e lixo novamente. Segundo o subinspetor Ricardo Cataldo da GCM, que comandou a ação, foi necessário meses de fiscalização e preparo para conseguir o flagrante. “E não adianta ficarmos com uma viatura parada na rua. O descartador vê a viatura e vai jogar em outro lugar. O objetivo é impedi-lo de continuar jogando lixo na rua. A única forma de fazer isso é com o trabalho integrado das polícias e da fiscalização. Só assim é possível vencermos esse crime”, explica Cataldo. Para recuperar a Rua Abagiba e devolvê-la à população e para eliminar a pecha de "ponto viciado de descarte" a Regional Ipiranga plantou 15 árvores e vai chamar os grafiteiros para pintar painéis nos muros da rua. Rua Canoas também sofria com descarte irregular Outra operação conjunta apreendeu caminhões que faziam descarte irregular de entulho na Rua Canoas. O motorista do caminhão que estava fazendo o descarte foi preso em flagrante e o caminhão, apreendido. O outro caminhão, também apreendido, estava irregular, registrando mais de 100 mil reais em multas. Ambos não tinham licença para fazer o transporte e descarte de entulho. O descarte irregular é um problema grave que a cidade de São Paulo enfrenta. Está enquadrado no rol nos crimes ambientais dos mais graves dada sua complexidade de solução e alcance de degradação ambiental. Combater tal crime requer ações constantes e conjuntas das polícias e da Prefeitura.