Prodam

Começa a capacitação para uso da Nuvem São Paulo

Treinamentos foram realizados com apoio do site da Nuvem São Paulo desenvolvido pela GPC

Começa a capacitação para uso da Nuvem São Paulo

 

As primeiras capacitações de colaboradores da Prodam e clientes da empresa para utilização da Nuvem São Paulo foram realizadas entre julho e agosto, na sala de treinamento do primeiro andar. Grupos formados por desenvolvedores e analistas de negócios das DRDs I e II e clientes externos (CET, SPTrans, Cohab, SMC e Gestão) puderam compreender as principais características da computação em nuvem (cloud computing), do projeto de nuvem da Prodam e como esse novo serviço poderá ser utilizado.

Os treinamentos envolveram exercícios práticos com os ambientes de Infraestrutura como Serviço (IaaS), que implicou na criação de máquinas virtuais (instâncias virtuais), e Plataforma como Serviço (PaaS), com o desenvolvimento de sistemas para a web. “Os treinamentos foram bem produtivos, gerando bastante discussão e conseguimos esclarecer todas as dúvidas. Acredito que eles já possam fazer uso do aprendizado para viabilizar com mais agilidade alguns de seus trabalhos”, diz Cristian Gonzalez, da Gerência de Suporte à Infraestrutura (GIS), que conduziu os treinamentos.

Site da Nuvem São Paulo

Durante os treinamentos, os colaboradores tiveram o primeiro contato com o site da Nuvem São Paulo, que tem como objetivo principal centralizar todas as informações pertinentes ao projeto da Nuvem São Paulo, a maneira de uso, o termo de uso da nuvem. “Mais do que tudo, ele é um portal informativo, e por meio dele, também possibilitar o acesso aos dois portais de provisionamento”, explica Cristian Gonzalez.

Neste primeiro momento, a ideia do site é trazer informações sobre o que representa o projeto de nuvem da Prodam, seus benefícios, o tipo de arquitetura e ainda, dar o acesso aos dois ambientes: IaaS e PaaS.

O site Nuvem São Paulo foi desenvolvido inteiramente no ambiente Plataforma como Serviço (PaaS), pela Gerência de Comunicação e Marketing (GPC). Como responsável pelo desenvolvimento do site, Marcelo Pietragalla (GPC) apontou a praticidade como um dos principais benefícios do ambiente. “Com o recurso alocado na sua área, você simplesmente sai desenvolvendo, sem ter mais a necessidade de pedir recursos para cada pequeno projeto, como um hotsite por exemplo. E você ainda tem autonomia para destinar o recurso de um projeto para outro sem precisar passar por toda a burocracia do modelo tradicional”. Esse é o segundo site que a GPC desenvolve no serviço PaaS, o outro foi o site da São Paulo Tech Week, criado em novembro de 2015.

Audiência pública

A Prodam realizou também em julho, no auditório do primeiro andar, uma audiência pública para discussão do termo de referência elaborado pela empresa para contratação de provedor de nuvem pública.

Como ainda não existem parâmetros bem definidos para a contratação de nuvem pública, a empresa lançou uma consulta técnica em junho e em seguida, fez uma audiência pública para revisão e melhorias do edital.

O evento reuniu os principais fornecedores deste tipo de solução no mercado. “Praticamente estava todo o mercado, tanto as grandes empresas quanto as médias. Isso demonstra a relevância do assunto”, observa Marcelus Guirardello, gerente de Suporte à Infraestrutura (GIS). Em sua avaliação, Marcelus diz que a representatividade da audiência foi “muito boa, as perguntas muito relevantes, principalmente sobre algumas questões que ainda estavam em aberto, e que vão ajudar a moldar e delinear a versão final do edital”.

Um dos pontos considerado positivo pelos provedores de nuvem foi a iniciativa da Prodam em propor uma discussão sobre o edital de forma presencial, em que todos os fornecedores pudessem discutir e esclarecer vários pontos do termo de referência. “Foi muito importante ter o feedback dos provedores de nuvem em relação ao nosso documento, que o consideraram bem montado e claro”, aponta Cristian Gonzalez.

A Prodam optou pela adoção de nuvem híbrida, modelo em que a nuvem privada e a nuvem pública se interligam. A nuvem privada já está em produção, a nuvem pública está em processo de licitação.