Prodam

Prodam conquista MPS-Br nível F para Software

Avaliação da área de desenvolvimento de softwares foi concluída com sucesso

Prodam conquista MPS-Br nível F para Software

 

Agora a Prodam é MPS-Br nível F em Software e Serviços. A fase de avaliação da área de software foi concluída com sucesso e o resultado apresentado às equipes na final da tarde da sexta-feira, dia 8 de julho, no auditório da Prodam. A avaliação foi realizada pela empresa Incremental e o resultado final somente será confirmado após auditoria realizada pela Softex e publicação no site da instituição, o que deve acontecer ainda neste mês de julho.

Marcelo Thiry, representante da Incremental e líder do processo de avaliação, responsável pela apresentação do resultado da avaliação, disse que o resultado final foi muito positivo e que a empresa já se credencia para avançar em outros níveis de certificação. “Algumas áreas já fazem controles que vão além do nível F e isso possibilita que a Prodam possa obter em breve outros níveis de certificação”. Para a certificação nível F (gerenciado) são avaliados sete requisitos, cinco do nível F e dois do nível G. (veja tabela ao final da matéria)

O representante da empresa certificadora também indicou vários pontos fortes na Prodam como o fato de os colaboradores terem liberdade para manifestar ideias, na escolha de ferramentas tecnológicas, de atuarem em diversas áreas de negócio e pela empresa possuir um ambiente de trabalho agradável e colaborativo. “Foi interessante como essas coisas surgiram nas entrevistas de forma muito clara. Isso denota que essas características estão de fato presentes no dia a dia da empresa”. O líder do processo de avaliação ainda destacou como pontos fortes da empresa, além da qualidade do corpo técnico, o fato de a melhoria nos processos e dos controles internos serem desafios estratégicos da empresa. O instituto avaliador não apontou nenhum ponto fraco no processo. “Para o nível F, não destacamos nenhum ponto fraco. Há algumas possibilidades de melhoria que foram apontadas, mas não há pontos fracos no nível F a serem destacados”.

O diretor da DRD I, Sergio Mauro dos Santos, agradeceu o envolvimento das equipes que participaram diretamente para obtenção da certificação e destacou o papel do vice-presidente, Luiz Carlos Furtado, que liderou o processo para obtenção da certificação. “O Furtado sem dúvida foi o grande líder desse processo, sempre atuando para integrar as equipes e evitando dispersões no trabalho”. Sergio Mauro disse ainda que a certificação é um ponto muito importante pois garante à Prodam maior credibilidade e respeito junto aos clientes e fortalece a posição da empresa como principal prestadora de serviços de TI junto à Prefeitura. “A certificação é mais um indicador que estamos avançando como empresa e que temos preocupação em prestar mais e melhores serviços. Além da empresa, ganham maior respeito e reconhecimento também seus colaboradores”.

Maria Aparecida Souza Rocha, da Gerência de Garantia da Qualidade e Metodologia (GVQ), que atuou diretamente junto as equipes para a obtenção da certificação, também destacou o apoio total do vice-presidente no processo, que “foi decisivo para o sucesso”, mas fez questão de enfatizar que não se trata de uma conquista pessoal de um ou de outro, mas de vitória de todos, uma vitória do comprometimento de todas as equipes. “Foram meses de trabalho envolvendo oito projetos das DRDs I e II, muita dedicação de todos e o resultado premia o esforço e comprometimento de todos. É uma conquista coletiva, da empresa e dos colaboradores”.

O vice-presidente, Luiz Furtado, destacou que fez apenas aquilo que se espera de um patrocinador: deixar as pessoas trabalharem. “Procuramos desatar um nó aqui e outro ali para que as equipes pudessem trabalhar da melhor maneira possível. O resto foi com vocês.” Furtado também agradeceu o apoio da equipe da Fundação Vanzolini, que assessorou a Prodam na processo de certificação e colocou como desafio a obtenção de níveis mais altos de certificação. “Lá trás um processo obteve a certificação nível G, agora toda a empresa, software e serviços, está certificada com nível F. Isso não é um fim, mas um processo que precisa seguir avançando”.

MPS-Br

A certificação MPS-Br (Melhoria de Processos do Software Brasileiro) é uma espécie de ISO 9000 para as empresas de TI e certifica as áreas de Serviços e Software. O processo de obtenção da Certificação MPS-Br começou com a inclusão da meta no Planejamento Estratégico Situacional da empresa (PES) ainda no primeiro semestre de 2013. No segundo semestre do ano, foi contratada a consultoria da Fundação Vanzolini para apoiar o orientar na obtenção da certificação. Os trabalhos começaram efetivamente em fevereiro de 2014 e de lá para cá tanto as áreas de Serviços como de Software avançaram em seus processos e controles.

Os desafios propostos eram:

- Melhoria dos processos de entrega de serviços e no desenvolvimento de softwares;

- Padronização dos processos de trabalho;

- Visibilidade sobre a execução dos projetos e serviços para acompanhamento;

- Atendimento aos clientes com mais qualidade;

- Comprometimento com prazos, entrega e custos.

Em novembro de 2015 a empresa obteve a certificação MPS-Br Nível F Serviços e em julho de 2016 o mesmo nível de certificação para a área de softwares.

Veja abaixo a tabela com a descrição dos níveis do MPS-Br

Nível

MPS-BR-Serviços

MPS-BR-Software

 

Processos

Processos

A

- Em otimização

- Em otimização

B

- Gerência de Trabalhos - GTR (evolução)

- Gerenciado quantitativamente.

C

- Gerência de Capacidade – GCA;

- Gerência da Continuidade e Disponibilidade dos Serviços – GCD;

- Gerência de Decisões – GDE;

- Gerência de Liberação – GLI;

- Gerência de Riscos – GRI;

- Gerência da Segurança da Informação – GSI;

- Relato de Serviços – RLS.

Desenvolvimento para Reutilização – DRU;

- Gerência de Decisões – GDE;

- Gerência de Riscos – GRI.

D

- Desenvolvimento do Sistema de Serviços – DSS;

- Orçamento e Contabilização de Serviços – OCS.

- Desenvolvimento de Requisitos – DRE;

- Integração do Produto – TIP;

- Projeto e Construção do Produto – PCP;

- Validação - VAL Verificação – VEL.

E

-Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional – AMP;

- Definição do Processo Organizacional – DFP;

- Gerência de Mudanças – GMU;

- Gerência de Recursos Humanos – GRH;

- Gerência de Trabalhos - GTR (evolução).

- Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional – AMP;

- Definição do Processo Organizacional – DFP;

- Gerência de Recursos Humanos – GRH;

- Gerência de Reutilização – GRU.

F

- Aquisição – AQU;

- Gerência de Configuração – GCO;

- Garantia da Qualidade – GQA;

- Gerência de Problemas – GPL;

- Gerência de Portfólio de Trabalhos – GPT;

- Medição – MED.

- Aquisição – AQU;

- Gerência de Configuração – GCO;

- Garantia da Qualidade – GQA;

- Gerência de Portfólio de Projetos – GPP;

- Medição – MED.

G

- Entrega de Serviços – ETS;

- Gerência de Incidentes – GIN;

- Gerência de Nível de Serviço – GNS;

- Gerência de Requisitos – GRE;

- Gerência de Trabalhos – GTR.

- Gerência de Projetos – GPR;

- Gerência de Requisitos - GRE.