Prefeitura de São Paulo lança site do programa City Câmeras

Ferramenta vai permitir que qualquer cidadão ou empresa possa disponibilizar sua câmera para integrar sistema de monitoramento de segurança

Foto: Assessoria SMIT

A Prefeitura lança nesta terça-feira (11) o site do City Câmeras, com orientações à população e a empresas sobre como participar do programa. O site (www.citycameras.prefeitura.sp.gov.br) será uma plataforma de monitoramento de segurança da cidade, reunindo imagens de todas as câmeras conectadas ao sistema e que poderão ser acessadas diretamente pelos distritos policiais, batalhões da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana (GCM), garantindo mais agilidade nas ações de prevenção e combate ao crime e contribuindo nas investigações. O sistema também é integrado ao Detecta, da Secretaria Estadual da Segurança Pública.

O City Câmeras surgiu da necessidade de se aliar segurança, tecnologia e participação da sociedade e será uma importante ferramenta do poder público para detectar, prevenir e reagir a situações de emergência na cidade de São Paulo. O principal diferencial é a participação da população. Para formar essa rede de monitoramento, além das câmeras dos órgãos públicos, serão utilizadas câmeras de segurança residenciais e as que estão instaladas em pontos comerciais.

Para participar do sistema, a pessoa deve contratar uma empresa de armazenamento de imagens em nuvens, o que possui custo inferior ao cobrado pelo armazenamento em gravadores. Além disso, as imagens ficam mais seguras na nuvem e não podem ser apagadas. O interessado também deve ter equipamento que atenda aos requisitos técnicos mínimos (veja mais detalhes no fim do texto) e um link de acesso à internet. Quem participar do programa receberá um login e uma senha para acessar o sistema e visualizar a câmera que disponibilizou.

No total, o programa já conta com 333 câmeras conectadas à plataforma na cidade de São Paulo, mas este número cresce a todo momento com as novas adesões por parte da população e a integração das câmeras públicas ao sistema. Os dados de todas as câmeras ficam registrados por até sete dias, o que ajudará também na investigação de crimes.

“O que nós estamos fazendo é integrar o que já existe na cidade de São Paulo. Hoje, quando acontece um crime, a Polícia Civil recebe a informação e faz uma ação no local para achar onde estão as câmeras. Agora, damos endereço a essas câmeras. A polícia já consegue acessar. A finalidade é criar a dificuldade para a prática do crime na cidade”, diz o secretário de Segurança Urbana, José Roberto Oliveira.

Após o lançamento, o City Câmeras instalou, conforme previsto nesta primeira etapa, 250 câmeras na região do Brás, sendo 232 fixas e 18 móveis. O Brás foi o primeiro a participar da iniciativa, que contemplará toda a cidade, por ser o maior centro comercial de São Paulo, registrando um grande número de pessoas que circulam diariamente na região. Outros bairros também estão aderindo ao programa, como Belém, Tatuapé e Sumaré. O objetivo é expandir e, até o fim da gestão, instalar um total de 10 mil câmeras pela cidade.

O sistema também vai permitir uma economia para a Prefeitura de R$ 3,6 milhões por ano com a rescisão do contrato de aluguel de links e câmeras. Com a plataforma do City Câmeras, o aluguel destes equipamentos não será mais necessário. O site e a plataforma foram doados pela iniciativa privada, sem custos para a Prefeitura.

Como funciona o City Câmeras

O modelo operacional do sistema permite a integração das imagens, que ficam armazenadas e são transmitidas para o Comando da GCM e Controle da Prefeitura por meio de um canal de comunicação de dados da internet, sendo possível a realização de uma triagem de ações que acontecem nas ruas e avenidas da cidade.

Com o sistema, será possível monitorar o patrimônio público, escolas, hospitais, além de grandes vias de circulação de pessoas e automóveis, como pontes, passarelas e avenidas, por meio de câmeras externas de condomínios, fábricas e empresas. Este monitoramento vai permitir mapear as maiores ocorrências, até mesmo de zeladoria, como o descarte irregular de resíduos, e aumentar o efetivo de segurança. O principal objetivo de atual gestão é trabalhar de forma integrada e em parceria com o Estado, participando efetivamente na prevenção de delitos e na segurança pública, sobretudo dificultando a prática do crime na cidade.

A ação conta com o apoio da Febraban, Telefônica, Tecvoz, Camerite, Fevabras e Alobrás. A Prefeitura ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.

Requisitos técnicos para uma câmera participar do City Câmeras

Para aderir ao projeto é preciso estar atento se as câmeras atendem a certos requisitos técnicos que garantam qualidade das imagens, capacidade de envio e compartilhamento na rede de monitoramento da Guarda Civil Metropolitana. Também é necessário um link de acesso à internet:

Câmera com resolução 720p - 1 Mega Pixel - 12 fps
É necessário o uso de câmeras com tecnologia HD e transmissão mínima de 12 fps (frames/fotos por segundo).

Protocolo RTSP
RTSP é o protocolo de comunicação utilizado nas câmeras e gravadores.

Cadastro da câmera na plataforma
É necessária a contratação de uma plataforma de gravação em nuvem do mercado (com gravação mínima de 7 dias).

Fonte: Secom