24/02/2014 13h16

Share

SEHAB firma convênio com Banco do Brasil e COHAB-SP

 SEHAB assina convênio para produzir 3.700 unidades habitacionais com financiamento bancário para empresas credenciadas


O acordo prevê a indicação da demanda pela Prefeitura de São Paulo. Foi lançado edital, segundo as normas do PMCMV, para credenciar empresas que irão viabilizar 3.717 unidades em oito subprefeituras.

A Secretaria Municipal de Habitação firmou convênio com o Banco do Brasil e COHAB–SP para acelerar a viabilização de habitação de interesse social. O convênio vai permitir que o Banco do Brasil atue como instituição financeira oficial – ao lado da CEF – para financiar moradias populares através de construtoras selecionadas. O banco receberá o projeto da empresa selecionada através do chamamento e as áreas disponibilizadas pela COHAB–SP.

A seleção dessas empresas acontece através de chamamento – concurso – publicado em edital pela COHAB-SP. No primeiro edital foram selecionadas 15 áreas, com potencial construtivo de 3.717 unidades distribuídas em áreas que contemplam quatro subprefeituras da zona Leste; duas na zona Norte; uma na região de Mananciais, no extremo sul da cidade e; uma localizada na zona Sudeste. Os critérios estão compatíveis aos do Programa MCMV com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial – FAR, com renda mensal de até R$ 1.600 – para famílias que estão inseridas na lista de cadastro da Sehab.

cohab

Da esquerda para direita: Secretario da Habitação José Floriano, Superintendente Estadual da Área de Governo, Evaldo Fabiano Borges, Gerente Geral - Agência Governo São Paulo, Ricardo Bacci, Gerente Geral - Gerência Regional de Crédito Imobiliário, Francisco Roder Martinez, Gerência Regional de Crédito Imobiliário Edison Simbati e o Chefe da Assessoria Jurídica da COHAB-SP - Glauco Pereira dos Santos.

Os terrenos apresentados devem oferecer infraestrutura, favorecer a recuperação de áreas degradadas, facilitar acesso a equipamentos públicos, estar junto a centros geradores de emprego e renda, etc.

A hierarquização dos projetos urbanísticos está sujeita a avaliação da SEHAB, BB e a COHAB–SP; que preferem áreas de risco, comunidades, mananciais Billings e Guarapiranga e, a recuperação de áreas degradadas ambiental e urbanisticamente. Outros editais com novas áreas serão publicados.