Esporte

CICLOFAIXA: UMA NOVA REALIDADE DE LAZER EM SÃO PAULO

Todos os domingos e feriados nacionais, das 7h às 16h, o paulistano conta com 84,3 quilômetros de ciclofaixas de lazer para pedalar por toda a cidade.

Iniciativa da Prefeitura de São Paulo lançada em 2009, as ciclofaixas possuem sinalização própria. As ruas que ocupam são todas pintadas e demarcadas com cones, que fazem a separação entre a faixa dos ciclistas e a dos carros e, nas principais vias, a velocidade máxima da pista é reduzida – tudo para evitar acidentes e fazer com que o ciclista encontre segurança para pedalar. As ciclofaixas ficam sempre junto ao canteiro central ou no lugar das motofaixas e atualmente reúnem cerca de 100 mil pessoas todos os domingos. Pessoas de todas as idade podem utilizar as ciclofaixas pessoas de todas as idades, mas os menores de 12 anos devem estar acompanhados por um responsável.

Solange Menzel, supervisora de eventos na Secretaria de Esportes, faz parte do planejamento e logística das ciclofaixas paulistanas. “As ciclofaixas buscam interligar as regiões da cidade. Começamos com o trecho entre parques, passamos para a ligação entre sul e centro, chegamos à Paulista e, para o futuro, a ideia é interligar essa pista à primeira, pela Indianápolis, até o Ibirapuera.”

Este ano também foram inaugurados o trecho de 2 km entre a Paulista e a Praça Roosevelt, extensão que passará ainda pelos trechos Vergueiro-Liberdade-Centro–Praça Dom José Gaspar e contará com 16,8 km no total. Além disso, foi feita a ligação entre as ciclofaixas de lazer da Zona Norte com a ciclovia da Braz Leme e a ligação entre o Parque das Bicicletas e a Avenida Paulista.
Em breve serão inaugurados outros 24,5 km de ciclofaixas, com a ampliação do trecho do centro histórico, da Vila Mariana e de São Judas.

Além de fazer bem para a saúde enquanto se exercitam, com a integração da Ciclofaixa à região central da capital, os ciclistas também podem conhecer diversos pontos turísticos da cidade, como, por exemplo, o Teatro Municipal, o Viaduto do Chá, a Liberdade, o Parque da Juventude, Tiquatira, Ibirapuera e o Villa Lobos. E se você não tem bicicleta, não precisa se preocupar, porque nos parques da cidade é possível alugar uma por um preço que vai de 5 a 10 reais por hora.

O objetivo das ciclofaixas é o incentivo e a conscientização da população a respeito do uso da bicicleta como meio de transporte e forma de lazer. “É, na verdade, um pontapé inicial para a criação do hábito de usar a bicicleta como meio de transporte. Primeiro as pessoas vão se acostumar a andar pela cidade como forma de diversão e lazer.” Solange explica.

A iniciativa é uma ação conjunta das secretarias de Esportes, Lazer e Recreação, do Verde e do Meio Ambiente, de Transportes e de Coordenação das Subprefeituras, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e é patrocinada pela Bradesco Seguros.


CICLOFAIXA: LAZER E CONVÍVIO SOCIAL NO ESPAÇO PÚBLICO

Além de servirem como local para a prática de exercícios físicos, os 81,5 quilômetros de ciclofaixas da cidade de São Paulo se tornaram ponto de lazer para a população.

Leda Sueli de Arruda Martins, do Núcleo de Lazer da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas e Programas da SEME, fala sobre algumas vantagens da iniciativa: “A integração entre famílias nas ciclofaixas é constante. Pais levam os filhos, às vezes na garupa, às vezes com suas bicicletinhas de rodinha e ambos se divertem muito. Maridos vão fazer exercícios com a esposa e aproveitam para passar o dia juntos. É algo muito positivo. Todos estão aproveitando o espaço público para uma atividade de lazer, que, além de boa para a saúde física, é boa para a saúde mental, porque deixa as pessoas até mais relaxadas. O período de funcionamento das ciclofaixas também é ótimo, pois há opção de escolha de horários, não é algo de curta duração.”

As famílias aproveitam o dia e as crianças, além de se divertirem, ganham vivência e valores fundamentais para a vida adulta. É isso que conta Roselene Crepaldi, doutora em pedagogia e educação infantil, atualmente no Centro de Documentação e Biblioteca da Secretaria de Esportes. “Há a volta da relação próxima entre a criança e a cidade. As ciclofaixas são uma forma de reapropriação do espaço público e da infância, um local de convívio em sociedade. Além dos ganhos motores e da diversão, essa oportunidade de convívio é muito importante, porque a criança aprende com o adulto e sai do mundo “virtual”, dos computadores e videogames, para exercitar e experimentar o que está ao seu redor, para interagir com o real. E há outro ponto fundamental: nas ciclofaixas o que importa não é a competição, mas sim, a solidariedade”.

Outra especialista da SEME no tema Lazer, Dinéia Mendes de Araujo Cardoso, acredita que pedalar nas ciclofaixas também traz enormes benefícios para a terceira idade. “É um revival para os senhores. Estes esportes com menos contato fazem com que eles voltem à atividade física e retomem hábitos mais saudáveis.” E ela complementa: “Os idosos são partícipes na cidade, eles buscam estar sempre atualizados e informados sobre o que acontece no mundo. As ciclofaixas estimulam esse tipo de reflexão, tanto a respeito da apropriação do espaço público quanto de problemas ambientais e da realidade do município, elas convidam os idosos a conhecer a cidade, a sair de um possível isolamento social e voltar aos centros urbanos. E é ótimo que eles saiam do sofá para pedalar com segurança, com poucos riscos de acidentes. Outro fator positivo é que as ciclofaixas provocam o lazer e interação entre gerações. Os avós saem com os netos, apresentam-lhes a cidade, é uma dinâmica muito importante.”

As ciclofaixas funcionam todos os domingos e feriados nacionais, das 7h às 16h. Para outras informações acesse o site oficial do projeto.

E para conhecer todas as regras oficiais da utilização das Ciclofaixas de Lazer de São Paulo clique aqui.