Logo SMDHC

Prefeitura participa de campanha do TJSP contra machismo e abuso no transporte público

Foi lançada oficialmente nesta terça-feira, no Tribunal de Justiça de São Paulo, a campanha “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”. A iniciativa, que busca combater a violência sexual nos transportes, uniu instituições públicas e privadas em busca de uma mudança de cultura que estimule vítimas de abuso sexual nos transportes, bem como testemunhas de algum incidente, a denunciarem os agressores – e, consequentemente, inibirem esses tipos de situações.

Durante a cerimônia foi ainda assinado um Convênio de Cooperação para viabilizar a campanha publicitária institucional, direcionada às empresas de transporte público municipais e estaduais. Assinaram o documento o desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, presidente do TJ SP, o governador Geraldo Alckmin, e a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Eloisa Arruda, que esteve presente representando o prefeito de São Paulo, João Doria.

“Esta é uma triste realidade de muitas mulheres, que utilizam ônibus e metrô lotados e são vítimas de abuso. Temos orgulho de participar desta campanha, de buscar a conscientização – e basta algo simples, que é se colocar no lugar do outro. Nenhuma pessoa gostaria de ter sua filha, irmã ou mãe sendo assediada no transporte público. Por isso fica aqui o compromisso da Prefeitura de São Paulo para que possamos divulgar esta iniciativa e, desta maneira, resgatar a dignidade de todas as mulheres paulistas e paulistanas”, afirmou a secretária.

Outras autoridades também assinaram o documento. Com a campanha, serão divulgados cartazes em todos os meios de transporte público, além de vídeos e postagens nas redes sociais de todas as instituições participantes. Também foram realizados seminários de sensibilização com funcionários das empresas de transporte, de modo a capacitá-los para o atendimento das vítimas.

Além do TJSP, do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de São Paulo, participam da campanha o Ministério Público de São Paulo, CPTM, Metrô, EMTU, SP Trans, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícia Militar, Polícia Civil, ViaQuatro, EFCJ (trem), Secretaria de Segurança Pública, Secretaria dos Transportes Metropolitanos e a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo.