06/11/2009 17h59

Share

Centro de Memória do Circo é inaugurado na Galeria Olido

Antiga tradição circense do Largo do Paissandu é recuperada por meio da inauguração do espaço com foco na pesquisa e reverência ao circo como expressão artística

Em julho do ano passado, a Galeria Olido abrigou a exposição Largo do Paissandu – onde o circo se encontra que trazia painéis, vídeos com depoimentos de artistas circenses e mais de 120 fotografias que recuperavam a memória do Largo do Paissandu como ponto de encontro de artistas da categoria na década de 1920.

Na ocasião, a mostra foi considerada uma espécie de contagem regressiva para a abertura do Centro de Memória do Circo, que aconteceu no dia 16 de novembro. O local deve funcionar como um espaço permanente de reverência e pesquisa sobre a arte circense com acervo fotográfico e multimídia. Seu acervo inicial é proveniente de companhias e famílias circenses, com destaque para os arquivos do Circo Nerino (1913-1964) e do Circo Garcia (1928-2003).

A vocação da região foi acentuada no início do século seguinte, quando o Café dos Artistas, encontro entre artistas e empresários circenses, para lá se transferiu. Mas, foi nos anos 1920 que o circo marcaria definitivamente a história do lugar com as temporadas ali realizadas pelos Irmãos Queirolo, Alcebíades e Seyssel, que tinham como atração principal o palhaço Piolin (Abelardo Pinto-1897/1973), que conquistou a cidade, inclusive os artistas e intelectuais modernistas, entre eles Mário de Andrade, que passaram a escrever constantemente sobre ele, assim colaborando para perpetuar a sua fama. 

A programação de abertura contou com uma série de encontros que abordaram desde o circo como patrimônio cultural brasileiro a questão da proibição do uso de animais nas apresentações. Esse tipo de encontro com pessoas que são referência no segmento e novos representantes dessa arte dará a tônica ao novo espaço que é o único na cidade dedicado exclusivamente ao circo, sua documentação e expressão artística.

Além do Centro de Memória, a Secretaria de Cultura tem projeto de inaugurar o Circo Escola Piolin, também na região do Largo do Paissandu, com projeto do arquiteto Marcos Cartum. Assim como o projeto carioca, implantado na Praça da Bandeira, a escola paulistana também será instalada num antigo reduto de arte circense.