Logo - Cultura

Festival Anima Mundi celebra 25 anos com sessões no CCSP e Circuito Spcine

Mais de 300 filmes são exibidos entre 26 e 30 de julho

Indicado ao Oscar, "Fera!", de Daniel Sousa, integra retrospectiva de 25 anos do Festival


Gabriel Fabri


Em 2017, a animação brasileira completa seu centenário e o festival Anima Mundi, 25 anos de existência. O que começou como uma maneira de valorizar a animação em uma época em que o cinema nacional estava sem produzir por conta do fim da Embrafilme, ao mesmo tempo em que técnica ainda não recebia reconhecimento como arte, o evento tornou-se um pilar importante na história da animação brasileira. Quem conta é o curador Cesar Coelho, um dos fundadores do festival. “Quando a gente começou, recebíamos um filme brasileiro por ano. Depois, com a facilidade da tecnologia, muita gente começou a fazer para o evento, de maneira independente”. Segundo Coelho, neste ano, foram submetidos para seleção cerca de 300 produções brasileiras. 

Entre os dias 26 e 30 de julho, a 25ª edição do Anima Mundi chega ao Centro Cultural São Paulo (CCSP) e a outras salas do Circuito Spcine: Spcine Olido, SPcine Roberto Santos, SPcine Cidade Tiradentes e nos CEUs. Neste ano, totalizam-se 345 filmes de 45 países, sendo 70 produções nacionais, sem contar as sessões especiais.

O cartaz escolhido para esta edição foi assinado pela cineasta portuguesa Regina Pessoa, diretora da animação “História Trágica com Final Feliz” (2005). A obra é um dos filmes que integram a Sessão Petrobras. O programa celebra os 25 anos do festival com uma retrospectiva no CCSP que exibe filmes premiados. “Essa escolha é uma forma de homenagear as mulheres também”, explica o curador. “A presença feminina era rara há algum tempo, mas, aos poucos, felizmente, as mulheres estão dominando o mercado”. Além do filme de Regina, essa mostra inclui o curta-metragem suíço “Boa Viagem”, de Fabio Friedli, que fala sobre imigração; a produção portuguesa “Feral”, de Daniel Sousa, que foi indicada ao Oscar em 2014; e o curta-metragem “Passo”, de Alê Abreu (diretor brasileiro de “O Menino e o Mundo”). 

O CCSP recebe também a programação completa das mostras competitivas, além de sessões especiais com convidados que integram o programa Papo Animado. Entre eles, estão o canadense Robert Valley, o búlgaro Theodore Ushev e o uruguaio Walter Tournier. Já as salas do Circuito Spcine recebem, além das sessões das mostras competitivas, exibições especiais nos dias 5 e 6 de agosto, após o fim do Festival. Essa programação será divulgada em breve.  

Confira a programação completa nos sites http://www.animamundi.com.br/http://circuitospcine.com.br/