20/08/2014 14h21

Share

Novo edital "Redes e Ruas" seleciona projetos de inclusão, cidadania e cultura digital para a cidade de São Paulo

Parceria entre as Secretarias Municipais de Cultura, Direitos Humanos e Serviços irá selecionar até 62 projetos; investimento total será de R$ 3,7 milhões

Aconteceu no último dia 19 de agosto, na praça Roosevelt, o lançamento do novo edital Redes e Ruas,  uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo por meio da parceria entre as secretarias municipais de Cultura, Direitos Humanos e Cidadania e Serviços. Ao todo, serão investidos R$ 3,7 milhões.

+ Consulte o edital na íntegra em pdf


+ Ouça o áudio do edital na íntegra

+ Acompanhe o calendário de oficinas de divulgação e orientação

+ Acesse o blog do Edital Redes e Ruas

As inscrições ficam abertas entre 20 de agosto e 19 de setembro e deverão ser realizadas por meio cadastro na nova plataforma de gestão cultural SP Cultura e entrega do projeto e da documentação no Núcleo de Fomentos Culturais da Secretaria Municipal de Cultura.


(Lançamento do edital Redes e Ruas na Praça Roosevelt em 19 de agosto - Foto: Sylvia Masini)

A iniciativa apoiará até 62 propostas de inclusão, cidadania e cultura digital, que deverão prever, dentre o conjunto de atividades, ações a serem desenvolvidas em telecentros, praças do programa WiFi Livre SP e em parceria com os Pontos de Cultura de São Paulo. A ideia é promover e fortalecer ações de cultura e inclusão digital e promover iniciativas de ocupação dos espaços públicos na cidade de São Paulo.


Os projetos inscritos serão distribuídos em três grupos:

As linhas de ação deste edital estão sintetizadas em cinco temas principais: formação, produção artístico-cultural, comunicação, desenvolvimento e ocupação do espaço público pela cidadania. Os resultados apresentados poderão ser atividades coletivas como debates, encontros, oficinas, criação de blogs, sites, veículos de jornalismo comunitário, interações e inovações artísticas, aplicativos, novos pontos de encontro, entre outras novidades.

Uma comissão paritária formada por 12 membros, sendo 6 da sociedade civil e outros 6 do poder público, selecionará os projetos com base nos critérios previamente estabelecidos pelo edital.