Share

Programação Cultural - Biblioteca Mário de Andrade - dezembro/2016

Programação Cultural - Biblioteca Mário de Andrade - dezembro/2016


capa
Música e Prosa
show
Sarau temático de música, prosa e poesia com o trombonista Roney Stella e o pianista Carlos Roberto de Oliveira. No dia 1, serão apresentadas músicas de Ary Barroso, Zequinha de Abreu e Pixinguinha, entre outros. No dia 15, é a vez dos temas clássicos natalinos em formato de jazz.

Dia: 1, quinta-feira, às 20h – Ritmos Brasileiros
Local: Auditório

Dia: 15, quarta-feira, às 20h – Natal com Jazz

Trombonista com formação erudita, Roney Stella estudou na França em 1982 com Michel Becquet. Desde então, já realizou recitais e concertos com importantes grupos, como a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (primeiro trombone solista) e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), tendo trabalhado também ao lado de nomes como Roberto Sion, Joachin Koellreutter, Arrigo Barnabé entre outros.

O pianista Carlos Roberto é compositor e arranjador formado pelo Conservatório Dramático Musical de São Paulo e pela Escola Magda Tagliaferro, onde estudou com Neli Freire Braga e Zulmira Elias José. Estudou harmonia e contraponto com Osvaldo Lacerda, e música moderna e contemporânea com Hans Joachin Koellreutter, entre outros.

Física para Todos
palestra
Dia: 3, sábado, às 10h
Local: Auditório

Em 2005, o Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP) iniciou um programa de engajamento mais direto de disseminação dos saberes das ciências físicas a um público mais amplo. A partir de então, o Instituto passou a organizar ciclos de palestras voltadas a ouvintes interessados de diversos setores da sociedade com temas contemporâneos que dizem respeito à vida dos cidadãos. No mês de dezembro, a BMA recebe o Prof. Renato Higa (Instituto de Física da USP) que apresentará o tema “Bóson de Higgs: sua importância no quebra-cabeça da física de partículas”.

Alex Flemming – Série Biblioteca
Dia: 03, sábado, às 11h

A relação de Alex Flemming com a cidade se mostra intensa desde o início de sua carreira artística. Na Série Paulistana, exposta no MASP em 1980, o artista apresenta a cidade através do olhar dos anônimos que compõem o complexo e multifacetado cenário urbano. Nessas impactantes fotogravuras, o gravador atenta, entre outros, para questionamentos sobre a ocupação do espaço público.
Se na Paulistana Flemming volta seu olhar para o espaço público, na série para a estação de metrô Sumaré, o artista, ativo, nele intervém. A partir de seus icônicos retratos, em que excertos literários de grandes escritores brasileiros se sobrepõem a figuras diversas e anônimas, Flemming apresenta a cidade na sua multiplicidade.
Dezoito anos mais tarde, o artista intervém na fachada da BMA. São dezesseis imensos vidros nos quais cidadãos desconhecidos, frequentadores da Biblioteca, apresentam-se, distintos, como símbolos da exuberância étnica e cultural brasileiras. Diferentemente da série para a Estação Sumaré, desta vez Flemming incorpora uma aura de tridimensionalidade às imagens, utilizando-se de uma técnica especialmente desenvolvida para o projeto. O deslocamento das três camadas de tinta superpostas promovem uma infinidade de visões. Dependendo do modo como a luz incide no objeto ou da posição do observador, tem-se a impressão de se estar diante de uma obra diferente. De fato, a impressão é a de que os vidros vibram.
Resultado do esforço conjunto de parcerias que atuaram, determinantes, para a realização desse projeto especialmente desenvolvido para a BMA – e consequentemente, para a cidade de São Paulo –, vale destacar as figuras de Lucien Belmonte e Claudia Zampelli, da ABIVIDRO, da AGC GLASS EUROPE e da LUMIÈRE CULTURAL, com a presença constante e decisiva de Henrique Luz, sem os quais nada disso seria possível.
Aproveito também para agradecer ao diretor da BMA, Prof. Luiz Bagolin, que soube entender a importância da biblioteca como instrumento de estímulo a ações que extrapolam a natureza de sua administração estrita.
Por fim, todos os louros à alma expansiva e cativante de Alex Flemming, cuja chama criadora produziu mais um presente, emblemático, para a cosmopolita, multicultural e inesgotável cidade de São Paulo.

Festival Zum 5 anos
palestras, oficinas e feira de publicações independentes
Dia: 3, sábado, a partir das 11h
Local: Terraço e Auditório

A ZUM, revista de fotografia semestral publicada pelo Instituto Moreira Salles, comemora 5 anos com um dia inteiro de atividades. Artistas, fotógrafos e cineastas se revezam em oficinas de xerox e debates sobre questões pertinentes à produção contemporânea de imagens. O festival inclui uma feira de publicações, organizada em colaboração com a Casa Plana. Mais informações em revistazum.com.br

9x Rosa
exposição e narração de histórias
Dias: 4 e 11 domingo, às 14h
Local: Saguão

O projeto “9x” deste ano será dedicado ao escritor mineiro João Guimarães Rosa. A escolha teve como inspiração três efemérides importantes na sua carreira: comemoram-se em 2016 os 70 anos de Sagarana e os 60 anos de Corpo de baile e de Grande sertão: veredas. Iniciado em 2015, o projeto promove o encontro entre nove ilustradores e nove contadores de histórias que trabalharão em duplas em torno de contos do autor, explorando as possibilidades da literatura por meio das relações entre desenho e oralidade. No dia 4 de dezembro, a ilustradora Nara Isoda e a contadora Sansorai, farão a apresentação do conto “Hiato”. No dia 11, será a vez da contadora Emilie Andrade e da ilustradora Suryara apresentarem “A menina de lá”.

Música Experimental – Valério Fiel da Costa e Artesanato Furioso (Paraíba)
show
Dia: 6, terça-feira, às 20h
Local: Auditório

O Artesanato Furioso é um coletivo de performers, compositores, criadores em geral e pesquisadores de longa trajetória cuja ligação teve início em 2000 em Belém do Pará. Depois de passar por diversas formações, o Artesanato Furioso, então como projeto vinculado ao Laboratório de performance de música eletroacústica Log3/COMPOMUS, tem desenvolvido sistematicamente concertos envolvendo música experimental de “alto risco”, abordando obras raras do repertório da New York School (Cage, Feldman, Brown e Wolff) pouco executadas no Brasil. Valério Fiel da Costa, um dos criadores do grupo, é compositor, pesquisador, performer, professor de composição e membro do COMPOMUS (Laboratório de Composição Musical da UFPB). Em 2003, idealizou e coordenou, em conjunto com outros compositores, o Encontro Nacional de Compositores Universitários ENCUN. Atualmente, realiza a direção musical e curadoria do projeto Artesanato Furioso junto com docentes e discentes de graduação e pós do curso de música da UFPB.

Lívio Abramo – Vigor e lirismo
exposição
Dia: 7, quarta-feira, às 19h
Local: Hall

A exposição Vigor e lirismo se debruça sobre o rico acervo do Instituto Lívio Abramo para apresentar ao público um vasto panorama da obra desse artista, trazendo à luz a centralidade histórica de sua produção no contexto brasileiro. Focada principalmente sobre a prática da gravura, principal linguagem expressiva utilizada por Abramo, a exposição tem curadoria de Paulo Herkenhoff.

Democracia na História – André Bezerra
palestra
Dia: 8, quinta-feira, às 19h
Local Auditório

André Augusto Salvador Bezerra apresentará o tema “Judicialização da política e seus impactos para a democracia”.

O Poder Judiciário tem exercido papel de grande relevância na vida política do país. Decisões que impõem políticas públicas aos demais poderes do Estado ou que influem em processos eleitorais são cada vez mais frequentes.  A exposição procurará trazer ao debate público os impactos dessa situação para a democracia brasileira, fundada, de um lado,  por processos eleitorais relativos ao Executivo e Legislativo que devem ser respeitadas por juízes e, de outro lado, pela observância dos Direitos Humanos nem sempre observados pelos demais poderes de Estado.

O encontro com Andrea Pachá, inicialmente programado para esta data, foi cancelada devido a problemas com a agenda da palestrante.

Mostra de cinema – ETEC
filme
Dia: 9, sexta-feira, a partir das 19h
Local: Auditório

Na sua nona edição, o festival Buena Noche do curso de Produção de Áudio e Vídeo da ETEC – Jornalista Roberto Marinho exibirá curtas-metragens produzidos pelos alunos do primeiro módulo, documentários sobre a “Paulista aberta” e o “Minhocão” (atual elevado João Goulart) realizados pelos alunos do segundo módulo, e videoclipes de artistas e bandas independentes criados pelos alunos do terceiro módulo. Esta edição do festival também celebra os 5 anos de fundação dessa escola pública e gratuita.

Diálogos com a Literatura Brasileira
roda literária
Dia: 9, sexta-feira, às 20h
Local: Terraço

A partir do segundo semestre de 2016, a BMA passa a receber o antigo Clube de Leitura Monteiro Lobato. Seguindo o mesmo modelo dos encontros no antigo endereço, serão selecionados quatro romances (três autores brasileiros e um estrangeiro que dialogue com o Brasil ou a literatura brasileira) de ficção, um título de poesia e outro de contos ou crônicas. Para o encontro de dezembro, o livro escolhido foi Se vivêssemos em um lugar normal (ed. Companhia das Letras, 160 pág.), de Juan Pablo Villalobos.

Samba na Varanda – Silas de Oliveira
show
Dia: 10, sábado, às 23h59
Local: Auditório

Encerrando 2016, o projeto Samba na Varanda traz na madrugada do dia 10 de dezembro o espetáculo “Vejam essa maravilha de centenário: Batuqueiros e sua Gente homenageiam Silas de Oliveira”, uma homenagem ao centenário do compositor Silas de Oliveira que percorrerá o legado musical desse grande artista nacional cujo nome merece sempre ser lembrado e reverenciado.

Bibliotequinha Mário de Andrade

Pensado como forma de estimular a vinda do público infantil e infanto juvenil para a BMA, a Bibliotequinha Mário de Andrade é um projeto mensal que terá nove edições no ano de 2016. Apresentando-se sempre aos domingos, artistas ligados à arte e entretenimento infantil criarão uma tarde de diversão recheada de música, teatro, histórias, atividades lúdicas e muita palhaçada, tendo sempre como foco principal o objeto livro e a arte de imaginar. O grupo Esopo em Dó Maior – que em 2015 apresentou na Biblioteca nove narrações/canções inspiradas em autores clássicos – volta em 2016 como uma das atrações principais do projeto.

infantil
Dia: 11, domingo
Local: Deck

14h – Não é uma caixa
Vivi Gonçalves convida as crianças para desbravar, descobrir e desconstruir uma caixa de papelão. Muitas aventuras e desventuras em um jogo divertido que estimula a indagação: afinal aquilo é só uma caixa de papelão? Apresentação: Vivi Gonçalves.

15h – Revoada de pássaros
Crianças e adultos são estimulados a uma criação poética visual a partir de imagens de pássaros brasileiros dos mais diferentes tipos. Desenho, pintura e colagem são as formas de arte que mediarão esse acontecimento. Venha voar! Apresentação: Julli Pop

16h – A Menina Reclamona
Conheça Bibiana, uma menina que, de tanto reclamar das coisas, acabou ganhando o apelido de Reclamona. Baseado no livro homônimo de Marilu Rodrigues. Apresentação: Carú Lima e Markito Alonso.

Ciclo BMA de Música Erudita – Karin Fernandes
show
Dia: 13, terça-feira, às 20h
Local: Auditório

A Biblioteca recebe no último show do Ciclo BMA de Música Erudita de 2016 a artista Karin Fernandes, premiada em 21 concursos de piano e vencedora do “X Prêmio Eldorado de Música”. Karin dedica-se especialmente à execução do repertório para piano dos séculos XX e XXI. Com larga experiência internacional e onze CDs gravados, algumas de suas gravações foram finalistas em concursos como o Prêmio Bravo Bradesco Prime de Cultura 2012 e o Prêmio Concerto (edições de 2013, 2014 e 2015).

Ficha Técnica:
Karin Fernandes – Piano

Imagens do Brasil Profundo

Entrando em seu terceiro ano na BMA, o projeto segue seu caminho revelando formas e expressões culturais escondidas de um país singular, complexo e com alto grau de originalidade. Este ano, o projeto pretende uma abrangência maior, lançando um olhar sobre a rica e diversificada cultura brasileira. Vamos atrás de um país ainda desconhecido, um Brasil dos interiores, das pequenas cidades, rincões, vilarejos e das comunidades escondidas. Vamos buscar um Brasil não óbvio, forte e pulsante, avesso e além do país invisível para a grande mídia.

Dia: 14, quarta-feira, às 20h – Show de encerramento com Jaime Alem e Paulo Freire
Local: Auditório

Compositor, instrumentista e arranjador, Jaime Alem iniciou sua carreira em Jacareí, no Vale do Paraíba, onde se firmou como profissional ainda adolescente. Por quase 30 anos, o músico foi o responsável pelos arranjos e direção musical da cantora Maria Bethânia.

Paulo Freire é violeiro, escritor e contador de histórias. Autor de trilhas sonoras, canções, romances e livros infantis, é considerado um dos mais importantes violeiros da atualidade no Brasil.

Clube de Leitura
roda literária
Dia: 14, quarta-feira, às 20h
Local: Terraço

Em parceria com a editora Companhia das Letras, a Biblioteca Mário de Andrade realiza mais um Clube de Leitura. O livro discutido neste último encontro do ano será Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa.