Share

Programação Cultural - Biblioteca Mário de Andrade - Junho/2016

Programação Cultural - Biblioteca Mário de Andrade - junho/2016

Imagem do post

Gnôthi Seautón – A desconstrução do Ego
Teatro
Dia: 1, quarta-feira, às 20h
Local: Auditório

O ator Nilson Condé apresenta Gnôthi Seautón – A Desconstrução do Ego, uma encenação reveladora de quem somos para nós mesmos e para os outros. Gnôthi Seautón são as sábias palavras atribuídas a Sócrates gravadas no Portal do oráculo de Delphos na Grécia antiga que recomendavam o autoconhecimento, o se descobrir para uma vida espontânea no presente, no momento em que sentimos que estamos realmente vivos, na ação presente de cena que é o principal fundamento do teatro e, consequentemente, da vida.

Paulistano de 77 anos, Nilson Condé iniciou no teatro aos 18 anos no Instituto de Previdência do Estado de São Paulo em 1957, onde trabalhou e formou um grupo teatral. Em 1959, substituiu o ator Marcus Vinícius de Andrade no papel de Bengá na montagem do grupo Oficina de A Engrenagem, de Jean Paul Sartre. Nos anos seguintes, trabalhou em diversos projetos de teatro, cinema e TV, até decidir se ausentar do circuito comercial em 1979. A peça apresentada na BMA marca a volta do ator aos palcos de São Paulo.

Cinemário – Desejo: prazer e transgressão
Cinema
Local: Auditório

Em homenagem ao mês dos namorados (sic), a programação de cinema da BMA em junho está dedicada ao lado mais obscuro das relações amorosas. Exibiremos nove produções especialmente escolhidas para representar obsessões, desejos ocultos, relações doentias, traições, confissões perturbadoras e a mítica busca pelo êxtase total do ser humano.

Dia: 1, quarta-feira, às 22h30 – Império dos sentidos (1976; 105 min.)
Direção: Nagisa Oshima
Indicação etária: 18 anos
Elenco: Eiko Matsuda, Tatsuya Fuji, Aoi Nakajima
Reprise: 5, domingo, às 14h

Dia: 3, sexta-feira, às 00h00 – Último tango em Paris (1972; 129 min.)
Direção: Bernardo Bertolucci
Indicação etária: 18 anos
Elenco: Marlon Brando, Maria Schneider
Reprise: 4, sábado, às 14h

Dia: 8, quarta-feira, às 22h30 – Morgana e as ninfas (1971; 85 min.)
Direção: Bruno Gantillon
Elenco: Dominique Delpierre, Alfred Baillou, Mireille Saunin
Indicação etária: 18 anos
Reprise: 12, domingo, às 14h

Dia: 10, sexta-feira, às 00h00 – A menina santa (2004; 110 min)
Direção: Lucrecia Martel
Elenco: Maria Alché, Julieta Zylberberg, Mercedes Morán
Indicação etária: 18 anos
Reprise: 12, domingo, às 16h

Dia: 15, quarta-feira, às 22h30 – A filha de Calígula (1981; 70 min.)
Direção: Ody Fraga
Elenco: Michel Belmondo, Bentinho, Ilse Cotrim
Indicação etária: 18 anos
Reprise: 18, domingo, às 14h

Dia: 21, terça-feira, às 20h – A balada de Orin (1977; 109 min.)
Direção: Masahiro Shinoda
Elenco: Shima Iwashita, Tomoko Naraoka, Kirin Kiki
Indicação etária: 18 anos

Dia: 23, quinta-feira, às 20h – De olhos bem fechados (1999; 159 min.)
Direção: Stanley Kubrick
Elenco: Tom Cruise, Nicole Kidman, Sidney Pollack
Indicação etária: 18 anos

Dia: 29, quarta-feira, às 22h30 – Amantes (1984; 141 min.)
Direção: John Cassavetes
Elenco: Gena Rowlands, John Cassavetes, Diahnne Abbot
Indicação etária: 18 anos
Reprise: 2 de julho, às 14h

Dia: 1 de julho, sexta-feira, às 00h00 – Irreversível (2003; 96 min.)
Direção: Gaspar Noé
Elenco: Monica Bellucci, Vincent Cassel, Albert Dupontel
Indicação etária: 18 anos
Reprise: 3 de julho, às 14h

O Corpo Nu
Filme
Dia: 2, quinta-feira, às 20h e 21h
Local: Auditório

Dirigido por Diego Carvalho, misto de documentário e ficção, o curta O Corpo Nu (2016; 23 min.) cria uma narrativa em torno da associação comumente feita pela sociedade entre nudez e as ideias de sexualidade, sensualidade e erotismo. No filme, seis voluntários dão seu depoimento sobre o assunto enquanto permanecem nus diante da câmera, cujo enquadramento fixo busca dessexualizar a nudez e tratá-la apenas como forma simples, natural e primária durante a conversa.
Cada sessão será acompanhada por um debate com o público. Indicação etária: 18 anos

Juventude, Tempo Livre e Direito à Cidade
Curso
Dia: 2 e 30, quinta-feira, às 19h30
Local: Hemeroteca

Destinado a gestores da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, jovens frequentadores do Parque Ibirapuera e a sociedade civil em geral, o curso será composto por oito aulas de temas diversos e que se estenderão até agosto. Neste mês de junho, acontecem mais duas aulas na BMA.

Dia: 2, quinta-feira – “Tempo livre: lazer, recreação e arte urbana”, com Diná Teresa Ramos, licenciada e Bacharel em Educação Física (Unicamp), Mestre em Educação Física (Unicamp) e consultora de Programas de Esporte, Cultura e Lazer (Ministério da Educação e Ministério do Esporte). A pesquisadora atua em Movimentos de Ocupação de Parques e Praças da Cidade de São Paulo e foi indicada para o Prêmio da Virada Sustentável 2014.

Dia: 30, quinta-feira – “Liberdade, livre-arbítrio e o consumo de drogas: a estratégia da redução de danos”, com Angélica Comins, assessora da Coordenação de Políticas sobre Drogas da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo.
Para inscrições e demais informações:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/umapaz/noticias/?p=215002

Física para todos
Debate
Dia: 4, sábado, às 10h
Local: Auditório

Em 2005, o Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP) iniciou um programa de engajamento mais direto de disseminação dos saberes das ciências físicas a um público mais amplo. A partir de então, o Instituto passou a organizar ciclos de palestras voltadas a ouvintes interessados de diversos setores da sociedade com temas contemporâneos que dizem respeito à vida dos cidadãos. No mês de junho, o tema da palestra apresentada na BMA pelo pesquisador José Perrotta será “Reatores Nucleares de Pesquisa no Brasil e sua Importância para a Sociedade”.

Insurreição
Lançamento e palestra
Dia: 4, sábado, a partir das 18h
Local: Hall de entrada

Evento multimídia, Insurreição – Leituras, performances, exibição de vídeos e manifestações oferecerá ao público um espaço de debate cultural com a presença de coletivos, movimentos sociais, secundaristas, militantes LGBT, mulheres negras, feministas, rappers, artistas etc.
Estão programados para o evento:
• Lançamento do livro Aos nossos amigos – Crise e Insurreição, de autoria do Comitê Invisível, com fala pública do professor e filósofo Vladimir Safatle;
• Videoconferência de Laymert Garcia dos Santos sobre “Linguagens Totalitárias”;
• Distribuição dos textos em formato de cordel Os involuntários da Pátria, de Eduardo Viveiros de Castro, e Carta aberta aos secundaristas, de Peter Pál Pelbart.

Chorinho no Terraço
Show
Dia: 4, sábado, às 16h – Roda Inaugural
Local: Terraço

Marcando o primeiro show da terceira edição do projeto Chorinho no Terraço aqui na BMA, será oferecida uma grande festa com a presença de todos os convidados que passarão por aqui em 2016. Além do Quinteto Pauliceia, estarão presentes Henrique Araújo (bandolim), Milton Mori (bandolim), Danilo Brito (bandolim), Nailor Proveta (clarinete e saxofone), Rafael Toledo (percussões), Alessandro Penezzi (violão), Jane do Bandolim (bandolim), Tiago Santos (cavaco e bandolim) e Allan Abadia (trombone). Venham comemorar com a gente mais um ano de sucesso.

Dia: 18, sábado, às 16h – Cultura afrobrasileira com Henrique Araújo
Local: Terraço

“Encontros entre Brasil e África Contemporânea” é uma iniciativa multidisciplinar que visa romper os estereótipos sobre a África presentes no Brasil, o Quinteto Pauliceia apresenta um show temático destacando compositores e músicas que evidenciam essa referência cultural poderosíssima na música brasileira. Para tanto, o grupo convida o grande e jovem bandolinista Henrique Araújo.

9x Rosa
Exposição e narração de histórias
Dia: 5, domingo, às 14h
Local: Saguão

O projeto “9x” deste ano será dedicado ao escritor mineiro João Guimarães Rosa. A escolha teve como inspiração três efemérides importantes na sua carreira: comemoram-se em 2016 os 70 anos de Sagarana e os 60 anos de Corpo de Baile e de Grande Sertão: Veredas. Inciado em 2015, o projeto promove o encontro entre nove ilustradores e nove contadores de histórias que trabalharão em duplas em torno de contos do autor, explorando as possibilidades da literatura por meio das relações entre desenho e oralidade. O encontro de junho reunirá o ilustrador Daniel Almeida e o contador Vinícius Mazzon, que farão a apresentação do conto “Sorôco, sua mãe, sua filha”.

Teatro na Mário
Teatro
Dia: 6, segunda-feira, às 20h – O Balcão
Local: Auditório

O espetáculo é uma releitura da obra-prima lendária de Jean Genet, na qual se constroem jogos eróticos que desvelam os mecanismos que estruturam o poder em nossa sociedade, expondo a cruel mecânica de funcionamento do mundo contemporâneo. Na casa de prostituição de Madame Irma, as fantasias são instauradas em estranhos e violentíssimos jogos sexuais. A questão crucial para o dramaturgo é o prostíbulo como metáfora do mundo inteiro, o que confere à obra uma implacável lucidez acerca da lógica de operação das instituições em nossa sociedade. Elenco: Club Noir – Arthur Rangel, Juliana Galdino, Luisa Micheletti, Renato Forner, Taynã Marquezone e Vinícius Tardelli. O espetáculo celebra os 10 anos da companhia Club Noir.

Dia: 13, segunda-feira, às 20h – Vinícius Poemas e Canções
Local: Auditório

O espetáculo apresenta a obra literária do poeta Vinícius de Moraes em diálogo com sua obra poético-musical. Poemas e canções vão evidenciando a fina trama que o “poetinha” foi tecendo ao longo de sua carreira, sempre insistindo na alegria de viver, na necessidade de amar apesar da dor, na busca da paixão como forma de realização da existência humana. Nesse espetáculo, o ator e o músico emprestam suas vozes para apresentar não duas faces de um mesmo poeta, mas duas vozes que dialogam no mesmo ser humano em busca de um sentido comum: a paixão, substância da vida. Elenco: Marco Antonio Garbellini.

Dia: 20, segunda-feira, às 20h – Amarelo distante
Local: Auditório

O espetáculo solo Amarelo Distante fala de descobertas, solidão e dor. Baseada em dois contos do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu (“Lixo e purpurina” e “Anotações sobre um amor urbano”), a peça proporciona a busca pelo autoconhecimento através da história de um jovem e suas experiências em terras estrangeiras. Nos anos 1970, Caio F. se exilou em Londres, onde se deparou com a solidão, a sensação de estrangeirismo, a precariedade em decorrência da falta de dinheiro, sentimentos ambíguos e saudosos do Brasil, da família e dos amores do passado, do presente e, possivelmente, do futuro. Foi a partir dessas angústias que ele escreveu um diário, mistura de ficção e realidade, que é o fio condutor desta história. Elenco: Mateus Monteiro.

Dia: 27, segunda-feira, às 20h – Negro de Estimação
Local; Auditório

Adaptado a partir do livro Contos Negreiros, de Marcelino Freire, Negro de Estimação apresentada ao longo de 55 minutos quadros que mostram a evolução do corpo negro, de informações históricas aos questionamentos atuais. O corpo se desdobra em personagens que contam suas estórias e em movimentos fragmentados do universo das manifestações populares. Fala-se de identidade racial, religiosidade, exploração sexual, violência e racismo, permeados com humor, acidez e poesia, características fortes na obra de Marcelino. Elenco: Kleber Lourenço. Indicação etária: 16 anos.

Clube de Leitura
Roda literária
Dia: 8, quarta-feira, às 19h
Local: Terraço

Em parceria com a editora Companhia das Letras, a Biblioteca Mário de Andrade realiza mais um Clube de Leitura. O livro discutido no mês de junho será Dois irmãos, de Milton Hatoum. No dia, aproveite para retirar também o livro, Hibisco Roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie, selecionado para o Clube do mês de julho.

Encontro Formativo Memória & Vida “Luto Infantil e Parental”
Palestra
Dia: 9, quinta-feira, das 12h30 às 18h30
Local: Auditório

Enfrentar o tabu da morte é um grande desafio. Apresentando de forma explícita e abrangente questões referentes a morte, luto e memória, o Serviço Funerário do Município de São Paulo – SFMSP espera contribuir para o enfrentamento desse temido fato da vida. O encontro formativo Memória & Vida “luto infantil e parental” organizado e realizado pelo SFMSP conjuntamente com o Programa São Paulo Carinhosa e a Secretaria Municipal de Educação – SME, contou com cinco turmas de participantes e, no dia 09 de junho, fará seu encerramento na BMA. Além dos inscritos, a participação é livre a todo público interessado.

Democracia na História com Alexandre van de Sande
Palestra
Dia: 9, quinta-feira, às 20h
Local: Auditório

Vivemos um momento de acirramento político que vem testando potências e limites do atual modelo democrático. No mundo todo, ecoa a crescente insatisfação das pessoas com os modelos políticos existentes e, a partir desse sentimento, começam a surgir novos arranjos democráticos e novas possibilidades para o fazer político. É dentro desse campo que se situa a nova série de debates do ciclo Democracia na História, agora apontando para o futuro e debatendo desafios e possibilidades da democracia no século XXI.

“Como construir uma democracia melhor com menos de 100 linhas de código” é o tema da palestra que será ministrada por Alexandre van de Sande, designer da Fundação Ethereum, no primeiro encontro do projeto Democracia na História de 2016. A internet transformou radicalmente os meios de comunicação e as formas de organização. Uma tecnologia nova chamada Blockchain promete agora fazer o mesmo com governos, setor financeiro e o próprio conceito de propriedade privada.

Festival do Minuto 2016
Cinema
Dia: 10, sexta-feira, a partir das 13h
Local: Auditório

No seu 25º ano de existência, o Festival do Minuto de 2016 exibirá na BMA os melhores de 2015. Reafirmando o caráter de diversidade do festival, a programação da mostra contará com as seguintes sessões: Melhores Minutos de 2015, Videominuto sobre o Amor, Animações, Videominuto Fotografia, Meu Primeiro Minuto, Videominuto Música e Nano Minuto. A programação completa pode ser consultada no site oficial do festival ou no site da BMA.

www.festivaldominuto.com.br
www.bma.art.br

Espetáculo Hertz
Dança
Dias: 10, sexta-feira, às 20h
Local: Terraço

Partindo da pesquisa de linguagem Brain Diving, a performance criada por Fernando Martins explora a conexão entre movimento, sons e frequências sonoras tendo como objeto cênico a mesa cimática que existe como um corpo que cria dualidades com o intérprete e interatividade com o público. A dramaturgia cênica dialoga com lugares e rumos subjetivos e objetivos que narram parte da vida artística do performer e suas experiências, trazendo histórias de lugares distantes contadas de perto, sob olhares reais e fantasiosos.

Charlas de Cineclub – Pelo Malo
Filme
Dia: 11, sábado, às 15h
Local: Auditório

Charlas de Cineclub é um projeto de extensão da área de Língua Espanhola e suas Literaturas da EFLCH-Unifesp em parceria com a Biblioteca Mário de Andrade. O projeto consiste na exibição de um filme falado em espanhol seguida de discussão nessa língua conduzida por um(a) professor(a) convidado(a). Em junho, o projeto exibirá o filme Pelo Malo (2013; 93 min.), de Mariana Rondón. A apresentação do filme será feita pela professora Neide Elias.

Filmado na Venezuela, o filme narra o dia a dia de uma família pobre composta por Junior, um menino ainda na infância, e Marta, sua mãe. Enquanto o menino sonha em alisar os cabelos para ficar parecido com o modelo de beleza dos programas de TV que ele assiste, sua mãe luta tanto para sustentar financeiramente a família após a morte do marido quanto para convencer o filho a mudar de ideia. Elenco: Samuel Lange Zambrano, Samantha Castillo, Nelly Ramos.

Ciclo BMA de Música Erudita – O Negro na Ópera
Show
Dia: 14, terça-feira, às 20h
Local: Auditório

Acompanhadas do pianista Ademir Costa, as irmãs Edna e Edineia de Oliveira desenvolvem um intenso trabalho didático e performático que busca a conscientização das dificuldades e das possibilidades do negro no universo operístico dos palcos brasileiros. O recital desmistifica a estética única imposta até o começo do atual século e mostra que o negro não nasceu apenas para o samba, mas sim para todas as artes. O programa traz árias famosas e conhecidas do público, um repertório de música de câmera alemã e, claro, música brasileira.

Ficha Técnica:
Edna de Oliveira – soprano
Edineia de Oliveira – mezzo-soprano
Ademir Costa – piano

Imagens do Brasil Profundo

Entrando em seu terceiro ano na BMA, o projeto segue seu caminho revelando formas e expressões culturais escondidas de um país singular, complexo e com alto grau de originalidade. Este ano, o projeto pretende uma abrangência maior, lançando um olhar sobre a rica e diversificada cultura brasileira. Vamos atrás de um país ainda desconhecido, um Brasil dos interiores, das pequenas cidades, rincões, vilarejos e das comunidades escondidas. Vamos buscar um Brasil não óbvio, forte e pulsante, avesso e além do país invisível para a grande mídia.

Dia: 15, quarta-feira, às 20h – Show “Mario de Andrade: ‘Eu sou trezentos…'”, com Jean e Joana Garfunkel
Local: Auditório

Jean e Joana Garfunkel voltam à BMA (em 2015 eles apresentaram o show “Grande Sertão: Veredas”) trazendo uma visão literomusical inspirada na irreverência lírica do poeta, escritor, músico e folclorista Mário de Andrade. A pluralidade de seu talento, a diversidade de seus enfoques literários e seu compromisso modernista com a afirmação de uma cultura genuinamente brasileira, são revisitados pela narrativa de textos escolhidos do autor, num diálogo vibrante entre música e literatura.

Dia: 29, quarta-feira, às 20h – Debate “Bar, botequim e a cultura brasileira”
Local: Auditório

Jair Marcatti convida o cineasta Ugo Giorgetti para debater o botequim, essa “instituição” brasileira por excelência, espécie de último sopro da antiga da Ágora grega, no qual todos os assuntos, dos mais simples aos mais sofisticados, são tematizados e discutidos. Palco de encontros, lançamentos e manifestos de incontáveis movimentos culturais brasileiros, o botequim é uma arena e um local aberto, espaço de sociabilidade, falas, conversas e bate-papos, marcando a paisagem da vida social brasileira. Como dizia Nelson Rodrigues, “o boteco é ressoante como uma concha marinha. Todas as vozes brasileiras passam por ele”.

Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
Cinema
Dias: de 16 a 26 de junho, a partir das 17h
Local: Auditório

A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental entra em 2016 em sua quinta edição trazendo para o Brasil filmes dessa temática produzidos em diversas partes do mundo, em sua maioria inéditos no país. Além de proporcionar ao público a exibição gratuita dessas produções, a Mostra promove debates temáticos, trazendo as questões dos filmes para a realidade mais próxima de cada um de nós. A Mostra é também uma plataforma ampla e forte de educação e informação para exibição, discussão e difusão de produções audiovisuais com temáticas socioambientais. Um de seus objetivos é chamar a atenção para questões ambientais, de sustentabilidade, governança, cidadania, participação e políticas públicas. Este ano a Ecofalante fará exibições em diversos locais da cidade de mais de 100 filmes selecionados. Para maiores informações: www.ecofalange.org.br/mostra

Bibliotequinha Mário de Andrade
Infantil
Dia: 19, domingo
Local: Deck

Pensado como forma de estimular a vinda do público infantil e infantojuvenil para a BMA, a Bibliotequinha Mário de Andrade é um projeto mensal que terá nove edições no ano de 2016. Apresentando-se sempre aos domingos, artistas ligados à arte e entretenimento infantil criarão uma tarde de diversão recheada de música, teatro, histórias, atividades lúdicas e muita palhaçada, tendo sempre como foco principal o objeto livro e a arte de imaginar. O grupo Esopo em Dó Maior – que em 2015 apresentou na Biblioteca nove narrações/canções inspiradas em autores clássicos – volta em 2016 como uma das atrações principais do projeto.

14h – Histórias de Anansi
Numa época quando não haviam histórias, uma aranha – ou melhor, um homem-aranha – sobe aos céus para comprá-las e transformar o mundo terreno em um lugar mais alegre e cheio de histórias para contar. Inspirado na lenda africana de Anansi. Apresentação: Esopo em Dó maior. Texto: Markito Alonso. Composição: Anselmo Mancini e Rafael Amaral.

15h – Jarro da Memória
Imagine um jarro de barro em que memórias reais e imaginárias são guardadas e confundidas. Agora, imagine você mesmo criando seu jarro. Venha aprender e libertar sua imaginação nessa divertida brincadeira. Apresentação: Julli Pop.

16h – As Três Fiandeiras a Fiar e a Menina a Rimar
As atividades apresentadas pelo grupo Damas & Cia. foram criadas para estimular a imaginação das crianças, incentivando-as a brincar recontando as mesmas histórias de diversas maneiras. Apresentação: Damas & Cia.

Círculo Áfricas – Contribuição de intelectuais e artistas africanos no Brasil
Roda de bate-papo
Dia: 20, segunda-feira, às 19h
Local: Sala branca

Criado pelo Núcleo Amanar da Casa das Áfricas, coletivo voltado para pesquisa, formação e promoção de atividades culturais e artísticas relacionadas ao continente africano, o projeto tem como objetivo colocar o público interessado no assunto em contato com estudiosos e artistas africanos residentes no Brasil, prioritariamente ligados às universidades e instituições localizadas no estado de São Paulo, contribuindo na disseminação dessa produção cultural. O tema do terceiro encontro aqui na BMA será “Protagonismo de mulheres africanas na cidade”, apresentado por Nadia Ferreira.

Samba na Varanda – Tuco Pellegrino
Show
Dia: 25, sábado, às 16h
Local: Terraço

Este mês, o projeto Samba na Varanda apresenta “Caminhos de bambas”, uma homenagem de Tuco Pellegrino à “apoteose do samba”. Deslocamo-nos ao Rio de Janeiro pelas pegadas de Donga, Ismael Silva, Paulo da Portela, Noel Rosa, Cartola, Waldir 59, Monarco, entre tantos outros bambas que tiveram papel decisivo no delineamento dos traços do samba carioca. O título do disco mais recente de Tuco, Na contramão do progresso, faz referência a uma relação muito particular com o tempo, que supera tanto a nostalgia voltada para um passado idealizado quanto a aceitação resignada de uma temporalidade que subordina a memória às exigências do mercado e da indústria musical.

Oficina de Música Experimental com Mário del Nunzio
Curso
Dia: 27, 28 e 29, das 17h às 20h
Local: Hemeroteca

Em 2016, a BMA renova a parceria como Ibrasotope para a realização de mais uma temporada do projeto Ciclo de Música Experimental. Entre junho e dezembro serão convidados músicos e compositores brasileiros e estrangeiros, todos com destacada atuação no âmbito da música experimental, para trabalharem juntos, resultando em diversos tipos de intercâmbio musical.

Inaugurando a temporada, Mário Del Nunzio (compositor formado na Unicamp, com diversas peças já apresentadas no Brasil e no exterior) apresenta este mês a oficina “Introdução à Música Experimental”. No encontro serão abordados temas importantes desse gênero, como música eletroacústica, composições abertas e improvisação, exploração sonora de objetos não associados tradicionalmente à produção musical, técnicas instrumentais expandidas (uso de instrumentos musicais tradicionais de modo não convencional) e instalações sonoras e música em contextos multimídia.
Vagas limitadas a 15 participantes. As inscrições devem ser feitas antecipadamente pelo e-mail bma@prefeitura.sp.gov.br

BMA Instrumental – Júlia Tygel, Adriana Voltz e Vana Bock
Show
Dia: 28, terça-feira, às 20h
Local: Auditório

A pianista Júlia Tygel retoma sua parceria com as violoncelistas Adriana Holtz (OSESP) e Vana Bock (OSUSP) para um passeio pela música popular brasileira, com repertório todo formado por arranjos especialmente preparados para piano e violoncelo.

Gravura na Ponta da Faca
Exposição
Até dia 30 de julho. Visitação de seg. a sáb. das 9h às 18h
Local: Hemeroteca

Com o propósito de elucidar questões apresentadas pelas gravuras de Cláudio Caropreso e Francisco Maringelli expostas nas galerias da Hemeroteca da Biblioteca Mário de Andrade, assim como das circunstâncias que possibilitaram a realização dessa mostra, registra-se o diálogo entre os dois artistas. Ao tratar dos motivos, temas, matérias e objetos de seus trabalhos, Maringelli e Caropreso [Chicão e Claudinho] estabelecem uma correspondência artística a fim de buscar pontos de convergência em seus trabalhos. A cidade, tema central no imaginário dos gravadores, surge não apenas como assunto nessa conversa, mas também como espaço privilegiado de exposição, que divulga tanto o texto quanto as imagens extraídas e apropriadas da metrópole.