CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

O trabalho de contação de histórias é um dos principais projetos da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, assim como a mediação de leitura.

II Festival

Durante séculos, a arte de contar histórias foi cultivada por diversas comunidades ao redor do mundo, e ainda hoje nos fascinam os contos, fábulas, lendas e causos de todos os povos.

Cada cultura desenvolveu um jeito diferente de contar suas histórias de viagens por lugares exóticos, recheadas de personagens instigantes que povoam nosso imaginário e nos dão asas para voar pelo mundo, como as grandes epopeias gregas, as trovas dos bardos na Península Ibérica, as histórias milenares que exercem grande influência na literatura africana moderna e as fábulas alemãs, francesas e chinesas.

III Festival


O contar e ouvir histórias remete a essa prática histórica da oralidade, proporcionando aos ouvintes uma oportunidade para desenvolver a imaginação, enriquecer o vocabulário e completar experiências.


Na formação de uma criança, ouvir histórias é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho infinito de descobertas e compreensão do mundo. O contador trabalha a linguagem oral abrindo caminhos para que aprendamos a falar, escrever, ler e pensar melhor.


Desde a instituição das primeiras Bibliotecas Municipais, a contação de histórias tem um papel importante. As apresentações são feitas por profissionais e grupos de destaque, e também por funcionários da rede que se especializaram nesta arte. Além disso, a Biblioteca Hans Christian Andersen, temática em Contos de Fadas, abriga um núcleo de formação e aperfeiçoamento para contadores.Vários projetos foram implantados nas bibliotecas ao longo dos anos, atraindo crianças, jovens e adultos para os livros e a leitura.


IV Festival

Por tais motivos, o trabalho de contação de histórias é um dos principais projetos da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas. No trabalho realizado na rede, o contador de histórias assume também papel de mediador que, a partir de um relato oral ou de um texto escrito, estabelece uma relação dialógica com o ouvinte, incitando a expressão e a intervenção pessoal, o resgate dos repertórios individuais e a troca de experiências, de forma a enriquecer o conteúdo, o entendimento da leitura e as possibilidades de interpretação.


Além dos contadores de história da casa, outros contadores profissionais também realizam atividades, permitindo que os funcionários das bibliotecas vivenciem diferentes dinâmicas e agreguem novos elementos às suas práticas, ao mesmo tempo em que o público desfruta as apresentações.

 

V Festival




A atenção da Coordenadoria em aprimorar a formação do contador de histórias e enriquecer sua atuação levou à concretização do Festival A Arte de Contar Histórias.


Festival A Arte de Contar Histórias


O Festival é o ponto de encontro e trocas dos contadores e movimenta toda a cidade, pois ocorre em bibliotecas do Sistema com uma programação especial de oficinas, palestras e contação de histórias que se estende também aos Bosques, Pontos de Leitura e aos Ônibus-Biblioteca.

VI Festival


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"São as histórias que nos abrem os ouvidos de ouvir e os olhos de ver, construindo a espécie humana"
Tatiana Belinky

 


logo SMB