PREFEITURA DE SÃO PAULO

Dicas de Leitura - André Neves - Entrevista

As Dicas de Leitura de dezembro de 2017, homenageiam André Neves, escritor e ilustrador de livros infantis, que gentilmente concedeu uma entrevista para a Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas. Com vários prêmios de literatura e uma carreira admirável, André acaba de vencer o 3º lugar na categoria Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil, do Premio Jabuti 2017, com a obra "Nuno e as Coisas Incríveis".

30/11/2017 14h00


Livro e Literatura

COORDENADORIA DO SISTEMA MUNICIPAL DE BIBLIOTECAS: Vimos em algumas entrevistas que você diz criar primeiro a imagem para depois criar o texto. Como é esse seu processo criativo?
ANDRÉ NEVES: A imagem é fundamental para minha narrativa. Quase sempre eu tenho uma ideia, não uma história. Começo a escrever e criar personagens, situações, ambientes. Aos poucos a história em forma de livro aparece com as preocupações profissionais para criar narrativa em livros.

CSMB: Qual livro você teve mais dificuldade em escrever e/ou ilustrar? Qual você considera o mais primoroso?
ANDRÉ NEVES: Cada livro é especial. Nas minhas criações pessoais tudo se torna importante e apesar de perceber uma maturidade livro a livro, sinto que os últimos são mais elaborados. Porém, não diminuem encantos anteriores. Gosto de todos porque acredito que meus leitores são os responsáveis pelas melhores escolhas em minha obra. Não sou eu quem decido.

CSMB: Escrever e ilustrar o seu próprio livro é muito diferente de ilustrar um livro escrito por outra pessoa?
ANDRÉ NEVES: Sim, completamente. A palavra e a imagem nascem juntas e criam uma interdependência necessária para a palavra e a imagem. No livro de outro escritor nem sempre consigo estabelecer uma narrativa criativa e coerente para resignificar a palavra com imagem.

CSMB: Você já publicou ou pretende publicar algum livro só de imagens, sem texto escrito?
ANDRÉ NEVES: Já tenho quatro. Sim, pretendo. Mas tem de surgir naturalmente. São na minha opinião os livros mais difíceis de elaborar.

CSMB: Muitos de seus livros têm influências da cultura nordestina. Por que Obax é uma história africana?
ANDRÉ NEVES: Porque meu imaginário é grande e comporta tantas histórias e culturas. Que venham outras.

CSMB: Gostamos muito que em alguns de seus livros, como em Margarida, há um pequeno texto de como a obra foi criada e de como você estava se sentindo. Por que decidiu acrescentar esse relato?
ANDRÉ NEVES: Porque acho cansativo uma biografia formal. Nome, formação, trajetória. É bom provocar o leitor com o processo criativo.

CSMB: Você acompanha o processo editorial de seus livros? Há conflitos entre o tempo editorial e o seu tempo artístico?
ANDRÉ NEVES: Sim. Tento acompanhar ao máximo. Principalmente o controle da cor e impressão. Fidelizar a ideia é concretizar meu sonho, é fazer o leitor sonhar.

CSMB: Seus argumentos/inspiração são frutos do mundo real? Suas histórias são metáforas desse mundo?
ANDRÉ NEVES: Sim. Todas as histórias têm um pouco de mim com muita fantasia para transformar o real em imaginário.

Público, Promoção à Leitura e Biblioteca

CSMB: Como é a sua relação com seus leitores?
ANDRÉ NEVES: Adoro estar com leitores e estimular o ler e o olhar para o livro ilustrado. De forma natural vamos construindo uma relação de afeto para que eles continuem a ler e busquem novas leituras com mais experiência.

CSMB
: Você não subestima as crianças quando escreve; ao criar uma história você pensa num leitor específico? Pensa na vida na infância?
ANDRÉ NEVES: Penso em mim mesmo. No meu fazer criativo. Não penso no leitor ou em idades. Depois que consigo elaborar criar, brincar, experimentar. Que consigo um início, meio, fim. Penso na forma livro e leitor. Enfim ele aparece.

CSMB: Já pensou em publicar livros voltados ao público adulto?
ANDRÉ NEVES: Eu já publico. Meu livros são para infância de todos os leitores.

CSMB: Quais são suas aspirações artísticas e literárias?
ANDRÉ NEVES: Ler e ver arte é estimulante e inspirador. Um filme, uma exposição, um teatro, música, tudo pode estimular a imaginação para criar.

CSMB: Você se sente recompensado pelas indicações e premiações como, por exemplo, o Prêmio Jabuti, exposições de seus desenhos, etc.?
ANDRÉ NEVES: Não me sinto recompensado. Me sinto grato por gostarem dos meus livros e por me possibilitarem com exposições, estimular os tantos caminhos por onde a criação e a leitura podem acontecer.

CSMB: As bibliotecas de SMB possuem muitas obras suas, sua presença é marcante. Como você se sente sabendo que sua obra está acessível a tantas pessoas?
ANDRÉ NEVES: Grato, feliz.

CSMB
: Conte um pouco de seu relacionamento com as bibliotecas públicas.
ANDRÉ NEVES: Tenho uma relação próxima. Adoro as bibliotecas que promovem atividades leitoras com frequência. As bibliotecas escolares e em especial as bibliotecas comunitárias que fazem o grande esforço para mostrar que cultura pode fortalecer o pensamento e mudar a vida das pessoas.

CSMB: Pode nos contar um pouco sobre seus trabalhos com a promoção da leitura no Brasil?
ANDRÉ NEVES: Ando de norte a sul e tenho experiências incríveis para contar. Escolas, bibliotecas, eventos literários. Reuniões com educadores e artistas. São nesses espaços onde sinto-me realmente autor.

CSMB: Você gostaria de deixar alguma mensagem para os leitores das bibliotecas públicas?
ANDRÉ NEVES: Leiam. As bibliotecas são espaços mágicos e são nosso direito. A leitura é um direito cidadão e as bibliotecas públicas existem para a realização desse benefício ao prazer e ao conhecimento. Precisamos ser leitores, entender as relações políticas para ampliar esse benefício. Cobrar e ler.

 

Agradecemos muito a André Neves pela participação das Dicas de Leitura.

Veja aqui algumas obras de André que selecionamos para as Dicas de Leitura de dezembro