Dicas de Leitura: Livros banidos

Em nossas dicas de dezembro, indicamos livros que, apesar de serem extremamente prestigiados hoje em dia, chegaram a ser banidos de bibliotecas e livrarias pelo mundo.


É muito difícil ao lermos um livro, pensarmos na trajetória que ele teve até chegar às nossas estantes. Um livro clássico não nasceu clássico e, muitas vezes, demorou anos para que caísse no gosto da crítica e do público. Alguns deles chegam a receber interpretações diversas que geram o efeito contrário do esperado por seu autor. Ao desbravar diversas culturas divergentes e períodos conflituosos da história, muitos livros que hoje são indispensáveis nas prateleiras de bibliotecas e livrarias, chegaram a ser vetados e mesmo proibidos em alguns países, alguns por motivos bastante curiosos. Confira a seguir:

Admirável mundo novo - Aldous Huxley
A distopia de Huxley, uma das obras de ficção científica mais discutidas e estudadas no mundo, foi banida de diversas bibliotecas municipais nos EUA por, aparentemente, incitarem ao sexo promíscuo e à destruição da moral e da família.

A Revolução dos Bichos - George Orwell
Livro controverso que critica metaforicamente a União Soviética, foi banido de bibliotecas pelo mundo entre os anos 1960 e 1980, por ser considerado pró-comunismo em alguns países capitalistas. Já no século XXI, os Emirados Árabes também proibiram a novela por considerarem que vai contra alguns valores islâmicos.

Fahrenheit 451 - Ray Bradbury
Tocando justamente no assunto da proibição de livros, em uma sociedade onde diversas obras são queimadas por um governo totalitário, o livro de Bradburry publicado em 1953 é proibido até hoje em algumas bibliotecas no mundo por suas referências à violência e ao consumo de drogas.

Lolita - Vladimir Nabokov
Banido durante vários anos em alguns países da Europa, na Argentina e na Nova Zelândia, a história da paixão obsessiva de um padrasto por sua enteada de 12 anos foi considerada obscena e imprópria pela agressividade de sua personagem principal, depois de sua publicação durante os anos 1950.

O diário de Anne Frank - Anne Frank
As páginas do diário da adolescente holandesa Anne Frank, mantida em cativeiro até a sua morte com a família pelo regime nazista, comoveu e encantou leitores em todo o mundo.  Algumas famílias nos EUA, entretanto, colocaram o livro na lista de protestados, por tratar de assuntos como sexualidade na adolescência.
Anne Frank é uma das patronesses de nossas Bibliotecas.

O Poço da Solidão - Radclyffe Hall
Publicado corajosamente em 1920, o romance de Radclyffe Hall fala de uma mulher que se sente aprisionada num corpo feminino a despeito de sua autoidentificação masculina e sua atração por outras mulheres. Durante quase três décadas o livro foi proibido na Inglaterra e nos EUA, sob a acusação de obscenidade, por tratar da homossexualidade com tanta força.

O Sol é para todos - Harper Lee
Vencedor do prêmio Pulitzer, o romance publicado em 1960 está entre os mais populares do século XX, vendendo mais de 30 milhões de cópias pelo mundo. No entanto, sua narrativa, que explora abertamente racismo e estupro, deixa o romance entre os campeões da lista de livros proibidos em escolas e bibliotecas nos países de língua inglesa nas últimas décadas.



Consulte o nosso catálogo online para saber em quais bibliotecas estão disponíveis estes e outros livros, livres de censura.

Veja também a lista das bibliotecas pelas regiões de São Paulo.