Share

PRÉDIO DA BIBLIOTECA

desenho de Rodolpho Tamanini

Ilustração do prédio da biblioteca por Rodolpho Tamanini Netto (1998)

O prédio atual da Biblioteca Alceu Amoroso Lima foi projetado pelo arquiteto José Oswaldo Vilela no ano de 1990. O autor, que teve como colaboradoras Laís Tescari e Stella Abinades, recebeu sugestões de bibliotecários na concepção do projeto.

Em um terreno de 1360m² situado na esquina da Rua Henrique Schaumann com a Rua Cardeal Arcoverde, o edifício com 2330m² de área construída foi planejado a partir do clássico conceito arquitetônico "a forma segue a função", possuindo espaços específicos para atividades como música, cinema e artes plásticas.

O prédio, projetado para atender também aos portadores de necessidades especiais, possui uma arquitetura elegante, sóbria e de formas fixas. O uso do concreto foi uma opção para vencer grandes vãos, harmonizando com a cobertura de estrutura metálica. Na construção foram utilizados pisos de alta resistência, concreto, esquadrias de ferro e vidro. Em uma das laterais do prédio existem duas grandes vigas que funcionam como protetores termoacústicos e são os reservatórios de água do prédio.

A ampla entrada localizada na movimentada Rua Henrique Schaumann instiga as pessoas a conhecerem a biblioteca. Neste andar há um espaço para pequenas exposições, além de um auditório com capacidade para 130 lugares e espaço para cadeirantes. Subindo pela rampa, ou pelo elevador, chega-se até o primeiro pavimento, marcado por grandes esquadrias com fechamento em vidros translúcidos; há também um atrativo jardim que, apesar da vista para a avenida, oferece um espaço tranqüilo para leituras, cursos e eventos. No segundo pavimento está o acervo e a sala de pesquisa. Há também um mezanino, idealizado como espaço de múltiplo uso. Este pavimento recebeu empenas cegas, mas há aberturas na fachada e lanternins na cobertura que permitem a luminosidade natural.

As obras do edifício foram concluídas em 1998, atendendo aos anseios da comunidade que reivindicava um espaço mais estruturado e dinâmico para a biblioteca do bairro. Em 2006 o espaço interno foi reformulado para dispor o acervo especializado e atividades específicas em poesia e a fachada do edifício recebeu uma intervenção artística com a palavra POESIA.

Veja a planta da biblioteca em pdf



logo SMB

poesia