Barra de Impressão

Secretaria Municipal de Cultura


Secretarias / Cultura / Arquivo Histórico / Acervos


Acervo Permanente do Arquivo Histórico Municipal

Documentos textuais

O AHM possui cerca de 2.000 metros lineares de documentos textuais produzidos e acumulados pelo executivo público municipal e entes privados. Dentre a documentação pública, o Arquivo custodia os fundos Câmara Municipal de São Paulo, Prefeitura Municipal de São Paulo e Santo Amaro. 

O fundo CMSP possui três séculos de documentação referente à administração pública de São Paulo, desde a Vila de Santo André da Borda do Campo (1556), passando pela criação da Vila de São Paulo de Piratininga em 1560 até 1899 com a instituição da Prefeitura Municipal.

O fundo Santo Amaro reúne os documentos produzidos e acumulados pela antiga Câmara da Vila de Santo Amaro e posteriormente, pela prefeitura deste município incorporado à cidade de São Paulo em 1935. 

O fundo PMSP inicia-se em 1899 e segue até 1935. É um fundo aberto, pois o órgão produtor segue funcionando até os dias de hoje. Para além da data limite 1899 -1935, o fundo contém alguns segmentos documentais recolhidos de forma aleatória ao longo da existência do Arquivo Histórico. São estes:

  • Documentos produzidos e acumulados pelo Departamento de Cultura (1935 – 1940);
  • Documentos produzidos e acumulados pela Comissão do IV Centenário da cidade de São Paulo (1951-1967).
  • Livros de registros dos cemitérios públicos municipais (remontam até 1977);
  • Registros do Instituto de Previdência Municipal – IPREM (remontam até 1971);
  • Documentos referentes à atividade de fiscalização de elevadores na cidade de São Paulo (1937-1980);
  • Documentos produzidos e acumulados pela Comissão Municipal da Memória e Verdade – CMVD (2014 – 2016);

Contamos ainda documentação textual oriunda dos fundos e coleções particulares custodiados pelo AHM. Destes, destacam-se os fundos Escritório Caio da Silva Prado e Armando Prado. 


Documentos cartográficos

O acervo cartográfico do AHM é composto por aproximadamente 15.000 plantas, mapas e desenhos técnicos provenientes de fundos públicos (CMSP e PMSP), privados (Escritório Caio da Silva Prado, Jorge Macedo Vieira, João Brito da Silveira Leme) e coleções (Severo e Villares, S.A.R.A Brasil e Vasp Cruzeiro).

Grande parte das plantas pertencentes aos fundos Câmara Municipal e Prefeitura de São Paulo remontam ao período compreendido entre o final do século XIX até 1930. Deste segmento se sobressaem os documentos referentes à:

  • Projetos de obras públicas;
  • Projetos de obras particulares;
  • Levantamentos topográficos da cidade e suas adjacências.

Para além da data-limite de 1930, integram também o fundo PMSP os projetos de obras públicas desenvolvidos na ocasião das comemorações do VI Centenário da Cidade de São Paulo. Destes, destaca-se o projeto do Parque do Ibirapuera composto por 2.782 plantas e desenhos técnicos datados de 1949 a 1972. 

Dentre os fundos particulares podemos citar as produções de: 

Jorge Macedo Vieira – engenheiro e urbanista responsável pelo desenvolvimento projetos de loteamento na capital, cidades do interior e em outras localidades do país;

João Brito da Silveira Leme – engenheiro formado pela Escola Politécnica de São Paulo. Seu acervo é composto por desenhos técnicos, projetos de construção e diversos exercícios de estudos de cálculo desenvolvidos nos tempos da faculdade.

O fundo privado Escritório Caio da Silva Prado –  também possui um número considerável de plantas e projetos arquitetônicos referentes a obras particulares que a família Prado pretendia executar na cidade de São Paulo.

No tange às coleções custodiadas pelo Arquivo Histórico Municipal podemos citar: 

Severo e Villares – contém projetos arquitetônicos de vários edifícios da cidade de São Paulo, como: Mercado Municipal, Teatro Municipal, Estádio do Pacaembu, entre outros, assinados pelo Arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo.

Sara Brasil – coleção de mapas topográficos da cidade de São Paulo realizados pela empresa italiana Sara em 1924. 

VASP-Cruzeiro – coleção de mapas topográficos da cidade de São Paulo referentes à década de 1950.


Acervo fotográfico

Composto por cerca de 1.000.000 de itens documentais (analógicos e digitais) proveniente de fundos públicos (CMSP e PMSP), privados (Armando Prado, Escritório Caio da Silva Prado) e coleções (Volcov, S.A.R.A Brasil, VASP Cruzeiro e Aníbal Queirós Monteiro), o acervo fotográfico do AHM remonta ao final do século XIX, se estendendo até o século XXI.

A maior parte do acervo, cerca de 895.000 registros fotográficos, pertence ao fundo PMSP. Estas imagens foram produzidas com o intuito de registrarem as intervenções urbanísticas, bem como a implementação e manutenção de serviços públicos realizados pela municipalidade desde a década de 1920 (com algumas lacunas) até o ano de 2013. Nota-se também a preocupação em registrar constantemente os cerimoniais de prefeitos.

Os fundos privados Armando Prado e Escritório Caio da Silva Prado trazem em seus registros fotográficos retratos do cotidiano de uma das mais importantes famílias da aristocracia paulistana dos séculos XIX e XX.

Já as coleções apresentam olhares sobre a cidade de Itapira (Coleção de fotos de Aníbal Queirós Monteiro), levantamentos aerofotogramétricos (S.A.R.A. Brasil e VASP Cruzeiro) e registros de campanhas eleitorais (Volcov).

O acervo fotográfico é constituído por negativos PB (de acetato e de vidro), negativos coloridos (acetato), positivos, contatos e imagens já produzidas em meio digital. 

O acesso a este segmento do acervo permanente é feito através de consulta pela intranet ao banco de dados em Access com os itens documentais classificados e descritos. Por se tratar de uma quantidade expressiva de documentos, o acervo se encontra em processamento técnico, não estando totalmente cadastrado em nossa base de dados.