26/10/2013 14h08

Share

Hackatona do Ônibus reúne jovens para desenvolvimento de aplicativos para o transporte

Participam da maratona 16 equipes em busca de soluções para as dificuldades do sistema viário paulistano. Três projetos melhores avaliados receberão prêmios em dinheiro

Encerrando a programação do São Paulo Aberta, série de encontros sobre políticas públicas de participação social e transparência na cidade, dezesseis equipes participam neste final de semana (26 e 27) da “Hackatona do Ônibus”. Participam da maratona grupos de desenvolvedores, jornalistas, designers e programadores. Até amanhã, os mais de 50 participantes estarão reunidos no prédio da SPTrans, região Central, na busca de soluções para as complexas dificuldades do sistema viário paulistano. Os três projetos melhores avaliados receberão prêmios de oito, quatro e três mil reais.

O prefeito Fernando Haddad visitou as equipes na manhã deste sábado e destacou a importância de projetos como este. “Nós temos que aproveitar agora, que estamos fazendo uma reformulação, que como toda reforma complica algumas coisas, mas é uma reforma para melhor, e não podemos perder a oportunidade para empregar tecnologia”, afirmou Haddad. “Imagino que esta seja a cidade mais preparada para o desenvolvimento de softwares no Brasil", concluiu o prefeito.

O principal objetivo da Hackatona é desenvolver ferramentas que melhorem a mobilidade urbana, além de reforçar a divulgação de dados da atual gestão e estimular o desenvolvimento de aplicações que melhorem a prestação de serviços públicos. Os grupos utilizam como base para suas ferramentas digitais dados reais, disponibilizados pela SPTrans e uma lista de desafios, construída a partir das demandas e necessidades dos usuários de ônibus da capital.

“A SPTrans tem muitos dados em relação a toda a movimentação dos ônibus na cidade de São Paulo. Linhas, velocidades e trajetos dos ônibus, além da movimentação dos passageiros, usuários pagantes e não-pagantes”, explicou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, que continuou: “Nosso objetivo é qualificar esse serviço prestado aos usuários.”

Entre os desafios propostos na lista estão a demanda de passageiros por linha (qual o total de passageiros por veículo em cada uma das linhas da cidade e em quais áreas são encontradas superlotação), localização dos pontos de ônibus, velocidade dos ônibus (como calcular a velocidade de um ônibus de um ponto ao seguinte e o tempo de parada), entre outros.

“Esta gestão coloca muito peso na transparência e na participação e isso aqui é uma forma de participação muito construtiva, porque eles não estão apenas apontando, eles estão fazendo. Temos que escancarar os dados para que a população possa devolver, e aqui ela está devolvendo mesmo, na forma de produtos, algo que realmente é o caminho na gestão pública”, afirmou o chefe de gabinete da SPTrans, Ciro Biderman.

A iniciativa é uma parceria da Controladoria Geral do Município (CGM) e da SPTrans, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas.

FOTO
O crédito da foto deve ser Fernando Pereira / SECOM.

Foto 1 – Prefeito visitou nesta manhã Hackatona do Ônibus

Foto 2 – Prefeito afirmou que cidade precisa de mais investimentos em tecnologia

Foto 3 – 16 equipes buscam soluções para as complexas dificuldades do sistema viário paulistano

Foto 4 – Haddad conversa com participantes

Foto 5 – Até amanhã, os mais de 50 participantes estarão reunidos em um prédio da SPTrans

Foto 6 – Os três projetos melhores avaliados receberão prêmios de oito, quatro e três mil reais