01/08/2013 17h25

Share

Projeto Praças Digitais testa wi-fi gratuito no Centro

Primeiro local do projeto Praças Digitais começou a operar nesta quinta-feira em caráter experimental. Licitação para o serviço deve ser iniciada nos próximos meses para que praças de todos os distritos da cidade possam oferecer o serviço até outubro

Começou a funcionar hoje em caráter experimental, na praça Dom José Gaspar, no Centro, o projeto Praças Digitais. O teste foi realizado com a colaboração da Idea – Planejamento de Redes Metropolitanas, empresa que irá deixar o sinal aberto na praça sem custos para a Prefeitura, até que o prestador de serviço, a ser escolhido pela licitação das Praças Digitais, inicie a instalação de sua rede.

“Este teste serve para estudarmos a estrutura, a força do link, a velocidade, se os aparelhos são adequados para que possamos especificar qualquer mudança necessária ainda na licitação”, afirmou o secretário municipal de Serviços, Simão Pedro.

Deste a liberação do wi-fi na semana passada até o início da tarde de hoje foram utilizados 8,5 GB para download e 3 GB para upload no local. “Este é um acesso a informação e a cultura a todos, principalmente para aqueles que não têm a possibilidade de ter acesso à internet em casa pode buscar o acesso de graça”, afirmou a estudante de direito Naira, que estava no local.

“Este serviço já é prestado em muitas capitais do mundo. O Brasil está atrasado nesse processo de disponibilização gratuita da conexão para que as pessoas possam dispor dos espaços públicos para se conectar e usar os seus equipamentos, exercitando o direito da comunicação”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, que também ressaltou: “Estamos vivendo um momento importante na cidade de São Paulo que é a re-apropriação dos espaços públicos, terminando com essa fase de criminalização”.

Também participou do evento o secretário municipal de Direitos Humanos, Rogério Sottili, que lembrou que o acesso livre à internet é um direito fundamental aos cidadãos. "Estamos ocupando os espaços públicos para exercer a nossa cidadania, para discutir os nossos direitos humanos. Isso vai se alastrar por toda a cidade. Vamos debater, vamos discutir e exercer a cultura. Criar e nos comunicar. Isso é o exercício da cidadania. São Paulo estará à altura da sua presença política no cenário mundial”, afirmou.

Teste
O teste de conceito teve o padrão conforme as especificações do projeto que foram estabelecidas pela Secretaria Municipal de Serviços e pela Prodam para a prestação do serviço público de wi-fi nas 120 Praças Digitais (meta número 58 do Programa de Metas 2013-2016 da Prefeitura). Ele também serviu para permitir a avaliação do prazo necessário para instalar equipamentos e conexões em uma praça.

Os principais itens estabelecidos para o programa são:

- Conexão de 512 kbps efetivos por usuário, para download e upload;
- Qualidade, estabilidade e garantia de banda que contemplem diversos usos da internet, inclusive streaming, voz sobre ip e video;
- Infraestrutura que assegure o acesso à internet por meio de dispositivos de diversos tipos, como smartphones, tablets, notebooks, netbooks;
- Sistema de gestão que permita detectar e evitar possíveis incidentes e cumprir determinações legais e judiciais;
- A neutralidade não pode ser quebrada. O prestador de serviço não está autorizado a filtrar o tráfego por ip de origem ou de destino, por aplicação ou por conteúdo, exceto para cumprir legislação em vigor;
- Medição da estabilidade, disponibilidade e capacidade da banda por meio do SIMET - Sistema de Medição de Tráfego Internet, disponível pela internet para qualquer usuário; e pelos SIMET - Boxes desenvolvidos pelo NIC.br e doados ao projeto Praças Digitais.

Praças Digitais
A iniciativa da Prefeitura, uma parceria da Secretaria de Serviços com a Prodam busca levar o acesso à internet para as principais praças de cada Subprefeitura e para marcos simbólicos da cidade. A ação encoraja a cidadania por meio da inclusão digital.

O número de localidades públicas atendidas é de 120 distribuídas entre os 96 distritos da capital. A disponibilidade dos serviços será dividida conforme a demanda do local, regiões consideradas críticas com grande circulação de pessoas terão uma cobertura de 99% com eventos esporádicos e o restante não-crítico é de 96%. Posteriormente outras praças podem ser consideradas críticas também.

A velocidade mínima da internet gerada é de 512kbs e tem uso irrestrito para qualquer cidadão que tenha um dispositivo compatível com o sistema wi-fi. A velocidade da conexão será medida pela NIC.BR em parceria com a Secretaria de Serviços. O Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha (Simet) a ser instalado nas praças é o instrumento que atestará o nível da conexão.

Avalie o serviço
Para colaborar com o serviço, os cidadãos que utilizam a rede podem encaminhar
relatos, sugestões e críticas sobre o sinal na Praça Dom José Gaspar pelos perfis do Twitter (@wifi_livre), do Facebook e pelo email pracasdigitais@prefeitura.sp.gov.br a partir do dia 8 de agosto. É importante enviar, se possível, com qual o aparelho o usuário está navegando.

A Coordenadoria de Conectividade e Convergência Digital será responsável por coletar os dados gerados pelo sistema de gerenciamento da Idea e pelo SIMET, além de receber contribuições dos usuários durante todo o período de teste.