Secretaria Comunicação

Prefeitura lança Atlas do Trabalho e Desenvolvimento

O objetivo é facilitar o planejamento de ações públicas ou privadas. O programa estará disponível gratuitamente dentro de 15 dias e, em breve, poderá ser baixado diretamente do site da Secretaria Municipal do Trabalho.

O prefeito de São Paulo lançou nesta sexta-feira (14/09) o Atlas do Trabalho e Desenvolvimento da Cidade de São Paulo. O atlas é um software que divide a Cidade em 454 microrregiões e faz uma classificação de acordo com mais de 200 indicadores de desenvolvimento, considerando as áreas de educação, saúde, renda e trabalho. O objetivo é facilitar o planejamento de ações públicas ou privadas. O programa estará disponível gratuitamente dentro de 15 dias e, em breve, poderá ser baixado diretamente do site da Secretaria Municipal do Trabalho.

"Esse Atlas nos dá condições de planejar melhor a Cidade", explicou o prefeito. "Quando nós pensamos num atlas, eu sempre faço a associação com um navegador. É inimaginável um navegador fazer a sua viagem sem uma bússola. Na Cidade de São Paulo, com seus 11 milhões de habitantes, é inimaginável existir um planejamento, seja do cidadão, seja do poder público, sem essas informações condensadas num documento como este Atlas", acrescentou.

A Secretaria do Trabalho já começou a planejar ações com a ajuda do Atlas, com vistas a implementar novas unidades do programa de crédito popular da São Paulo Confia. São as unidades de Guaianases e do Jardim Felicidade (Jaçanã), regiões identificadas pela Prefeitura como tendo perfil ideal para a aplicação do programa. O Atlas foi desenvolvido em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e as Fundações Seade e João Pinheiro.

No Atlas, a Cidade foi dimensionada em 31 Subprefeituras, 96 distritos e 454 Unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs), algo que não existia até o momento. Com a complexidade e a riqueza de dados apresentados no projeto, o Município ganhou uma radiografia completa, mostrando uma São Paulo cheia de contrastes. É uma ferramenta de produção de informação sobre a Cidade, com mais de 200 indicadores de desenvolvimento ligados às áreas de educação, saúde, renda e trabalho. A ferramenta permite conhecer a realidade sócio-econômica do Município com profundidade nunca antes obtida.

"Uma Cidade como São Paulo não pode improvisar em suas políticas públicas. O Atlas Municipal permite estabelecer políticas de emprego e desenvolvimento sócio-econômico para os munícipes com segurança, além de ser instrumento fundamental para toda a administração pública", afirmou o secretário municipal do Trabalho.

De forma prática e ágil, o Atlas exibe tabelas e mapas e fornece aos agentes sociais uma análise exata das necessidades de cada um dos bairros, identificando as demandas de cada região. Assim, o planejamento de ações públicas de desenvolvimento vai se tornar mais eficaz. Na esfera privada, também é instrumento de planejamento de desenvolvimento e expansão de negócios. Cada empresa, depois de identificar o perfil de seus clientes e consumidores, encontra no Atlas a região exata da Cidade onde vivem estas pessoas.

Outro exemplo que pode definir os rumos das ações públicas de desenvolvimento no Município são as taxas de analfabetismo. A maior taxa acima dos 25 anos de idade está em Paraisópolis, com 22,03%; e a menor fica em Moema/Indianópolis, com 0,39%. Na faixa etária de 18 a 24 anos, a maior taxa está localizada em União Vila Nova/Vila Nair, com 9,83%; do outro lado, o Atlas mostra 42 UDHs (Vila Olímpia, Pacaembu, Sumaré e Moema, entre outras), onde o analfabetismo é zero na mesma faixa etária.