Assistencia e Desenv. Social

Diversão e aprendizado contagiam CCA Lapa na comemoração do Dia do Folclore Brasileiro

Foto: Wagner Origines/SMADS
Por: Bruna Carvalho


Brincadeiras, teatro e dança são alguns exemplos das atividades desenvolvidas para ensinar o folclore brasileiro às crianças que fazem parte do Centro para Crianças e Adolescentes (CCA) Lapa. E foi com muito orgulho que os 150 conviventes que fazem parte do projeto apresentaram na última quinta-feira (24) as cenas ensaiadas com tanto amor.

O folclore brasileiro é celebrado no dia 22 de agosto e nunca passa batido para essa turma. “Quando você oferece coisas novas, você descobre a capacidade que eles têm e isso motiva muito”, afirmou a educadora Edméia Pereira.

Com a experiência de dez anos trabalhando na casa, Edméia destacou a importância de aprofundar ensinamentos que permitem trabalhar o respeito à diversidade por meio de contos e mitos que são passados de geração em geração.

E a recepção não poderia ser melhor por parte dos pequenos. “Eu achei muito legal fazer um trabalho com harmonia entre as crianças e os adolescentes”, declarou Rafaela Camargo, 10 anos. Para Matheus Martins, com a mesma idade, o mais importante foi “o apoio que tivemos para todo mundo participar e aprender”.

O dia a dia no Centro de Convivência

Educação, cidadania e cultura são aplicadas com muita diversão no dia a dia de mais de 150 crianças e adolescentes entre seis e 14 anos que dividem espaço de segunda à sexta-feira no CCA, localizado no Alto da Lapa.

O Centro é administrado pela ACM (Associação Cristã de Moços), instituição mundial que oferece atividades de esporte, cultura e lazer, mas que mantém o foco no trabalho social. O serviço é mantido por meio de convênio com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Os conviventes são atendidos no local em contraturno escolar e tem acesso às atividades socioeducativas, artísticas e esportivas. “O projeto tenta trazer uma forma diferente de aprender. A escola tem o seu papel e nós complementamos”, disse Edméia.

Recompensa

“Temos exemplos vivos de pessoas que são muito gratas à Instituição por ter contribuído na formação deles, e esse é o nosso objetivo”, explicou João Paulo Barbosa, diretor executivo da ACM.

Raquel Faria, 13 anos, é um desses exemplos de gratidão. Raquel frequenta o CCA desde os seis anos de idade e conta que os aprendizados e cuidados que recebe no local são de suma importância para seu desenvolvimento. “Até quando estamos fora do peso ideal somos observados e direcionados a uma alimentação saudável”, declarou.

Alessandra Delgado, gerente do serviço, comentou o processo de acompanhar o crescimento dessas crianças. “A gente curte muito todos os momentos e a recompensa vem da valorização deles e do nosso trabalho, além do interesse em continuar frequentando o CCA mesmo no período da adolescência”, finalizou.