08/06/2017 16h19

Share

Prefeitura instala Unidade Emergencial de Atendimento a dependentes químicos na Luz

Estrutura vai abrigar 100 pessoas para pernoite e 150 para atendimento dia

Texto: Secretaria Especial de Comunicação
Foto: Heloisa Ballarini/SECOM


O prefeito João Doria visitou nesta quinta-feira (8) o novo espaço do projeto Redenção para acolhida e atendimento de dependentes químicos na Luz. A Unidade Emergencial de Atendimento, que passa a operar a partir das 18h desta quinta-feira, está localizada em um estacionamento disponibilizado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) na Rua General Couto de Magalhães, região central.

A estrutura, com espaços de descanso, banheiros, refeitório e consultórios para atendimento de saúde e psicossocial, tem capacidade para acolher 150 pessoas ao longo do dia e 100 pessoas para pernoite. O espaço faz parte das ações do projeto Redenção, cujo objetivo é resgatar e dar oportunidade de tratamento aos dependentes químicos. “Trata-se de uma operação conjunta com as secretarias de Saúde e de Assistência e Desenvolvimento Social, exclusivamente para atender aos dependentes com acolhimento adequado, pelo tempo que for necessário”, disse o prefeito.

As estruturas foram cedidas pela DASA do Brasil, empresa de medicina diagnóstica, e montadas sob coordenação de Cláudio Carvalho, secretário municipal de Investimento Social. Foi firmado um contrato de comodato até o final do ano, com possibilidade de renovação, e sem contrapartida para a Prefeitura.

“Aproveitamos uma área municipal servida de água, esgoto, energia e transporte, para facilitar a locomoção e o atendimento às famílias, com instalações independentes e dotadas de toda estrutura necessária para que essas pessoas tenham uma nova oportunidade de vida”, disse o secretário de Serviços e Obras, Marcos Penido.

Os espaços de descanso são equipados com quatro jogos de beliche, sendo oito pessoas por unidade. Há duas baterias de banheiros, divididos em masculinos e femininos, cada qual com sete unidades, e duas baterias de chuveiros elétricos, também divididos por gênero, no total de 20 cabines para banho. Uma equipe de atendimento médico estará no local durante 24 horas.

“Essa é mais uma porta de entrada para as pessoas que querem mudar de vida e sair da dependência química. Aqui, a gente oferece o banho quente, áreas de descanso, toda a acolhida dos profissionais de assistência social, técnicos, educadores, área de conversa e também para exercícios físicos, justamente para que essas pessoas, no momento da abordagem, tenham a chance de serem encaminhadas a outros serviços já existentes, como internação, centros de acolhida ou comunidades terapêuticas”, disse o secretário de Assistência e Desenvolvimento Social, Filipe Sabará.

As abordagens são feitas individualmente, baseadas na criação de vínculo com os agentes especializados, com disponibilização de transporte para deslocar os usuários até a unidade.