Projeto Redenção

Criado em 2017, o Redenção conta hoje com mais de 100 profissionais que já realizaram cerca de 200 mil abordagens, resultando em cerca de 800 mil atendimentos, onde orientadores socioeducativos cadastram e os encaminham para as cinco unidades do Atendimento Diário Emergencial (ATENDE). Este serviço pode ser considerado a maior política de redução de danos já praticada na cidade de São Paulo. Diariamente, são realizados cerca de 3.500 atendimentos. Os ATENDEs são destinados ao acolhimento e atendimento de dependentes químicos, onde são disponibilizados banho, alimentação, dormitório, cabeleireiro, barbeiro, oficinas de capacitação e ressocialização aos beneficiários. Todos os equipamentos seguem a mesma infraestrutura e modelo de atendimento. São três unidades na região da antiga cracolândia, uma na região da Avenida Roberto Marinho e uma na Vila Leopoldina.

O programa oferta serviços que permitam a melhora da autoestima do usuário, ação conjunta com o governo do Estado para dar apoio a dependentes químicos; encaminhamento de ex-usuários para o programa Trabalho Novo, com geração de empregos; articulação de apoio familiar aos dependentes, em especial após o tratamento; além de articulação com Conselho Tutelar e demais entidades para dar atenção especial às crianças e adolescentes. As ações programáticas da SMADS no programa incluem acompanhamento aos usuários nas cenas de uso encaminhando-os para acolhimento; operação da rede emergencial de acolhimento através do programa ATENDE com banho, alimentação, dormitório, cabeleireiro, barbeiro e oficinas de capacitação; encaminhamento para a saúde do município e do Estado, e acolhimentos definitivos nos serviços; relação de transparência e comunicação com a sociedade civil, Ministério Público e Justiça.

Orientadores do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) atuam diariamente na região, das 8h às 22h. São mais de 100 profissionais que abordam os dependentes realizando a escuta (para entender as demandas de cada um), cadastrando e promovendo os encaminhamentos para os ATENDEs e para outras políticas públicas. As abordagens são feitas individualmente, baseadas na criação de vínculo com os orientadores especializados e também são disponibilizados transporte para deslocar os usuários até a unidade indicada.